Custódia completa os seus 74 anos de presença franciscana, de história e evangelização!

“Todos os dias Vos bendizemos e esperamos glorificar o Vosso nome agora e por todos os séculos” (Te Deum)

Celebrar a História nos motiva trazer à memória situações, personagens, lugares até então esquecidos, tornando-os vivos novamente através de inumeráveis recordações que podem inspirar-nos motivações novas e desafiadoras, apesar de quaisquer percalços.

Neste sentido, é com imenso júbilo que a Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus comemora, no dia de hoje (17 de abril), os seus 74 anos de História. E nesta data memorável, onde iniciamos um verdadeiro “kairós” nas comemorações do “ano jubilar custodial”, louvamos o Sumo Bem pelos momentos importantes de vida fraterna, renovando nosso ardor evangelizador, inspirando-nos em São Francisco de Assis.

Os sentimentos que despontam em nossos corações ao suscitarmos na mente incontáveis nomes, os quais, de uma forma ou de outra, formam os tijolos de sustentação de nossa Custódia, são incontáveis.

Acerca dos franciscanos, da Ordem dos Frades Menores que doaram suas vidas para a construção desse legado desde 1947 temos muito que agradecer, louvar e bendizer ao Pai Celestial. Desde os irmãos presentes, protagonistas e coadjuvantes da missão e da proclamação evangélica, até àqueles que já se encontram na casa do Pai, somos gratos.

Isto dizemos também acerca dos religiosos, religiosas, padres, bispos, que fizeram ou ainda fazem parte desse imenso legado. E pelos inúmeros leigos, que nos ajudaram e ainda ajudam nos empreendimentos pastorais e sociais, colaborando com o anúncio do Reino de Deus nesta porção do interior de São Paulo e Triângulo Mineiro, rezamos contínua e ardorosamente em Ação de Graças.

Amados irmãos em Cristo, hoje somos introduzidos num tempo festivo, um ano de preparação para o Jubileu dos 75 anos da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus. Tempo kairótico, tempo da graça no qual, aos moldes dos anos jubilares eclesiais, somos impelidos a refletir sobre nossos feitos e louvar a Deus em ação de graças por tudo aquilo que recebemos dEle.

E é com imensa alegria que agradecemos a Deus por tantas dádivas ofertadas a cada dia em prol da evangelização do povo de Deus. Dessa forma, queremos conduzi-lo por uma breve reflexão:


Rumo ao jubileu de 75 anos de fundação

“Da Itália ao Brasil: de dois povos um só Coração”

Os filhos da Missão acordam para um grande dia, que durará por um ano! O sol brilha sobre as águas de um rio que une dois territórios, o Rio Grande.

Embora limite geográfico, um rio de vida, que nos inspira ao refletir a luz do sol, além de oferecer vida em abundância. Águas de luz e vida que unem Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba ao norte e nordeste do Estado de São Paulo, os nossos rincões, a nossa Terra do Trabalho, que remete estes seguidores de Francisco às origens italianas da Terra Laboris.

Contamos a partir deste ano, os feitos e anseios suscitados por Deus no coração dos 10 napolitanos e os 6 salernitano-lucanos que atravessaram as águas oceânicas para adentrarem a esta nossa terra.

Plantaram uma arvorezinha franciscana às duas margens deste Rio. Nas dioceses, pobres de sacerdotes, junto ao povo sedento por educação e acompanhamento pastoral e social, num país desejoso de progresso e aberto aos homens de boa vontade, se debruçaram com vitalidade de jovens operários do Reino e se fizeram despontar.

Paróquias, igrejas, escolas, educandários e orfanatos… prontamente levantados com a fervorosa ajuda dos fiéis encantados com a mensagem franciscana perduram, de um modo ou de outro, até os dias atuais.

Nós, frades franciscanos da Ordem dos Frades Menores, carregamos as insígnias do poverelo por estas terras até hoje. Embora como “vasos de argila” (2 Cor 4,7), carregamos tesouros, continuamos a grande Missão: Evangelizando nas periferias e arrebaldes, nas escolas e paróquias, na cultura e sociedade, como presença e sinal de vocação.

Somos irmãos que buscam viver com Cristo, por Cristo e em Cristo. Gritando ao mundo que a messe é grande, mas os operários são poucos.

O ardor missionário corre em nossas veias, é o nosso DNA, não importa o lugar, a contingência, seremos sempre mensageiros de PAZ e BEM. Afinal de contas, criar fraternidade à maneira de Clara e Francisco é a nossa Missão!


Nossa Custódia se alegra e agradece a todos pela confiança no trabalho desempenhado pelos nossos frades franciscanos. Certos de contarmos com vossas orações para a continuidade desta missão, suplicamos ao seráfico pai São Francisco que interceda junto de Deus por todos vós.

Que o Senhor vos dê a paz!

Fraternalmente,

Equipe – Revista (75 anos)

Papa Francisco: colocar-se à disposição dos outros, amando não com palavras, mas com fatos

Presidente da CNBB faz homenagem às mães, em ocasião do “Dia das Mães” comemorado no próximo domingo

CF 2022: CNBB recebe propostas de identidade visual até o dia 17 de maio

6º Domingo da Páscoa: “Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor!”

Frei Wanderley Figueiredo, OFM realiza Visita Canônica na Fraternidade de Olímpia/SP

Papa Francisco estabelece ministério de catequista

Iº Encontro Interprovincial de Postulantes das entidades que compõem o Noviciado Comum de Catalão/GO foi realizado em Franca/SP

Papa Francisco na Audiência Geral: O fruto da oração é o maior milagre que um cristão pode realizar