Frei Lucas Oliveira, OFM professa solene na Ordem dos Frades Menores

Franca (SP) – No ano em que a Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus completou os seus 75 anos de presença em terras paulistas e mineiras, a Fraternidade Custodial se rejubila de alegria e agradece a Deus pela vida e vocação do confrade Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM, que na noite desta última sexta-feira (29), na Paróquia São Judas Tadeu, em Franca/SP, professou solene os votos de obediência, sem nada de próprio e castidade na OFM (Ordem dos Frades Menores).

Tendo escolhido o lema: “Nada de vós retenhais para vós mesmos, para que totalmente vos receba quem totalmente se vos dá”, a celebração eucarística foi presidida pelo Custódio, Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM e contou com a presença de vários frades da Fraternidade Custodial, bem como religiosos e religiosas, familiares e amigos de Frei Lucas, OFM.

Em sua homilia, Frei Fernando, OFM recordou a importância deste dia na vida do professando: “[…] hoje é um dia de festa, de alegria, de entrega. É o dia que você levará à maior plenitude a sua consagração batismal, respondendo ao chamado divino. Você se entregará totalmente a Deus, sumamente amado, pela profissão da Obediência, da Pobreza e da Castidade, que deverá ser vivida segundo o espírito de São Francisco. Você contrairá uma aliança com Deus e sua vida se tornará por toda a existência um sacrifício oferecido a Deus, na caridade!”

O Custódio ainda complementou: “[…] você abraça o Cristo na Cruz a exemplo de São Francisco nos menores e sofridos do nosso tempo como o seu maior tesouro. Assim também você abraça conosco a vida em fraternidade e minoridade na Ordem dos Frades Menores com o espírito de oração e devoção, missão e contemplação, dentro da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus. Esta fraternidade, a nossa fraternidade, não é perfeita, mas te acolhe como um dom, um grande presente, especialmente, neste ano jubilar. Você, com os seus dons, vem para enriquecer-nos a todos nós e para caminharmos juntos, santificando-nos na doação generosa ao povo de Deus e na vida em fraternidade!”

Natural de Afonso Cláudio/ES, Frei Lucas Oliveira, OFM adentrou para o processo formativo na Custódia no ano de 2015. Fez o noviciado no ano de 2017 e professou os primeiros votos no dia 03 de janeiro de 2018, em Catalão/GO. Residiu em Marília/SP, onde deu início aos estudos teológicos. Realizou o seu Ano Apostólico no território Custodial, residindo no Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP. Na oportunidade, trabalho com zelo na propagação do PVF (Pró-Vocações Franciscanas). Atualmente reside na Fraternidade Santo Antônio Maria Claret e Frei Galvão, em Ribeirão Preto/SP.

Repleta de emoção e alegria, Frei Lucas, OFM agradeceu a presença de todos, presentes fisicamente ou pelos meios virtuais. Frei Alef Henrique Pavini, OFM, secretário custodial, fez a leitura da Benção de São Francisco, enviada pelo Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, Frei Massimo Fusarelli, OFM e que foi entregue pelo Custódio ao recém-professo. Após, leu também a Ata da Profissão Solene, registrando este momento ímpar na história da Fraternidade Custodial e sobretudo na vida e vocação deste irmão.

Gratos a Deus pela vida, vocação e consagração de Frei Lucas Oliveira, OFM, a Fraternidade Custodial radiante está por este irmão, agora consagrado definitivamente ao Senhor, pois abraçou a radicalidade do batismo em sua vida para sempre. Que nossa mãe Maria, junto do seráfico pai, interceda por este confrade, ajudando-o a perseverar neste belíssimo propósito.

Fraternamente,

Equipe de Comunicação

Com gratidão no coração, frades concluem “Semana de Formação Custodial”

Franca (SP) – Com ânimo fraterno e dispostos a resgatarem o primeiro amor do chamado divino feito a cada frade da Fraternidade Custodial, os frades da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus estiveram reunidos durante esta última semana (25 a 29/07), no Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP, para a “Semana de Formação Custodial” anual.

Sob a temática “A evangelização franciscana hoje”, a formação foi conduzida pelo confrade, Frei Gustavo Wayand Medella, OFM, atual Vigário Provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Em suas colocações, motivou os frades a refletirem a temática, baseando-se nas Exortações Apostólicas “Evangelli Gaudium” e “Fratelli Tutti; e também no “O Reino de Deus está próximo”, documento da SGME (Secretaria Geral para a Missão e Evangelização) da Ordem.

Todos os dias foram propostos momentos para as colocações, partilhas em grupos e reflexões em plenárias, além da rotina de orações e celebrações eucarísticas, bem como dos recreios fraternos a cada noite, favorecendo o convívio, a unidade e a comunhão dos confrades durante os dias propostos.

Frei Gustavo, OFM em uma de suas falas iniciais, mencionou que o capítulo II da Exortação Apostólica “Evangelli Gaudium” aponta o caminho necessário para aumentar a capacidade de diálogo, para assim deixar que o espírito sopre no campo da Evangelização e missão.

Gratos a Deus pelo dom da vida e vocação de cada confrade e pela graça de poder viver a Fraternidade, rogamos as bençãos do Pai Onipotente, sob a intercessão do pobrezinho de Assis, para que abençoe toda a Fraternidade Custodial em sua vida e missão, concedendo a graça da Santa Perseverança a todos!

Fraternalmente,

Frei Alef Henrique Pavini, OFM


Na ‘Alegria do Evangelho’ o ‘Reino de Deus está próximo’

Na Alegria do Encontro com Jesus, nasce o desejo da Missão; levar a Boa Nova do Evangelho a todos os povos em todas as circunstância, gera a Esperança da Misericórdia e da Salvação!

Anunciar o Evangelho com a vida é cumprir o Mandato Missionário; é experiência de Amor; é testemunho que atrai!

Jesus é o sentido da Vida é Fonte da Missão; traz uma Paz-inquieta que impulsiona para o Encontro com os Irmãos!

Na vida em Fraternidade se conserva e se irradia a Fé; é fonte de Esperança que faz a construção da Igreja-Comunhão!

De pessoa para pessoa, fazer o bem o tempo todo; é cumprir a Lei do Amor, como ensina Jesus nosso Senhor!

A Missão, é caminho diário de conversão e testemunho verdadeiro; modelados pela Graça de Deus, somos como o barro nas mãos do oleiro. Seguimos por um caminho novo, pois é Deus quem aponta a direção. Basta abrir o coração!

Guiados pelo Espírito Santo, somos Fraternidade-Igreja em Ação; em todas as realidades transborda a Alegria do Evangelho em cada coração; somos todos Igrejas; somos todos Irmãos!

Sustentados pelos pilares da Vida Fraterna e pelos pulmões da Missão: Fraternidade e Minoridade; Caridade e Oração; é testemunho de vida; é conquista por atração; é reconhecimento na partilha e no amor-doação; é vida autêntica entre todos os Irmãos!

Jesus Palavra, Jesus Eucaristia: é base e fonte da Missão; comungar a Vida-Nova é certeza da Alegria do Evangelho que enriquece o tesouro de cada coração. O Reino de Deus está próximo, somos todos Irmãos!

PAZ e BEM…

Frei José Antônio Alves de Souza, OFM

Franca, 29 de julho de 2022

18º Domingo do Tempo Comum: “Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus!”

LEITURAS: Ecl 1,2; 2,21-23 / Sl 89 / Cl 3,1-5.9-11 / Lc 12,13-21

A sabedoria do autor do Livro do Eclesiastes mostra que os bens terrenos são como a fumaça que desaparece. Este é o significado literal da palavra vaidade: fumaça. É algo que se pode ver por um brevíssimo tempo e depois desaparece. É por isso que a vaidade não dá fundamento ou base para aquilo que se quer defender. O ensinamento é que o poder dado a uma pessoa pelas riquezas acaba na sua morte.

Jesus no Evangelho de hoje ensina que o mais importante na vida não são as coisas materiais. Daí o pedido que faz para ter “cuidado contra todo tipo de ganância”, pois é uma forma de idolatria por querer aumentar sempre mais as posses e apegar-se às coisas materiais. Para São Paulo na segunda leitura, cobiça é idolatria, pois não coloca a confiança em Deus e sim nas coisas materiais e não busca “as coisas celestes” que fazem participar da vida de Cristo.

No tempo de Jesus a lei não defendia a divisão da herança entre os irmãos, mas o filho primogênito tinha o “direito” à herança do pai. Talvez por isso, este desconhecido peça a intervenção de Jesus. A solicitação daquele “alguém do meio da multidão” fez Jesus contar a parábola de um ganancioso que pensava em desfrutar de suas riquezas. Além do homem rico pensar em aumentar sempre mais os seus bens materiais, ele é egoísta e diz para si mesmo “descansa, come, bebe, aproveita”. A grande colheita seria para si mesmo, nada seria partilhado ou colocado à disposição de quem precisasse comer… Neste contexto aparece a verdade: “louco! Ainda nesta noite, pedirão de volta a tua vida”. Aí está o que o Eclesiastes chama de fumaça, vaidade! A morte para quem “não é rico diante de Deus” acaba com tudo.

Para os cristãos de hoje Jesus ensina que é preciso entesourar valores que dão sentido à vida humana. De fato, as coisas materiais não são problema; o problema é iludir-se pensando que elas podem salvar porque dão prestígio e poder. A realização do ser humano está em ser solidário com os outros, em construir um caminho de amor e generosidade livre das amarras da cobiça e do egoísmo.

Frei Valmir Ramos, OFM

Frades estão reunidos em Franca/SP para a “Semana de Formação Custodial”

Franca (SP) – Como de costume, nossa Custódia organiza anualmente, na última semana do mês de julho, uma Semana de Formação. Essa tem um caráter de atualização e convivência para todos os frades. Atualiza cada confrade no conhecimento, oferecendo formação teológica, pastoral, franciscana e humana. E não poderia faltar, o espírito da fraterna convivência na qual estreitam os laços de amizade, irmandade e conforto, concretizando, assim, nossa vivência carismática.

Para nos nortear durante essa Semana de Formação, um outro frade de outra entidade é convidado para facilitar a temática. Esse ano contamos com a presença fraterna de Frei Gustavo Wayand Medella, OFM, frade da Província Franciscana da Imaculada Conceição. do Brasil, atual Vigário Provincial. O confrade aborda a temática: “A Evangelização Franciscana hoje”, trazendo como materiais base para os estudos: Exortações Apostólica do Papa Francisco ‘A Alegria do Evangelho’ e ‘Fratelli Tutti’, e o documento da Ordem dos Frades Menores ‘O Reino de Deus está próximo’.

Os conteúdos são muito intrínsecos e atuais para a vivência pessoal e pastoral dentro de nossas fraternidades e frentes de evangelização. As exortações nos levam a refletir e nos exortam para sermos sempre ousados e sairmos de nossos comodismos e nos impulsionam a uma missionariedade de continuo encontro com o outro, levando promoção humana, soluções para uma continua busca de sanar dificuldades e transitar nas diversas crises reais existentes, portando a novidade de Cristo, seja no social, humano, ecológico, eclesial, político e econômico. Sermos sal da terra e luz no mundo, chamado continuo de Deus para nós discípulos missionários.

A exortação apostólica ‘A Alegria do Evangelho’, em particular, nos motiva a não deixarmos morrer o espírito missionário, medula da nossa caminhada enquanto peregrinos e colaboradores do Reino, e nos ajuda a compreender que o essencial não nos sejam tolhidos para que não nos desanimem. Assim, o Papa Francisco exclama:

  • “Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário!” (EG 80)
  • “Não deixemos que nos roubem a alegria da evangelização!” (EG 83)
  • “Não deixemos que nos roubem a esperança!” (EG 86)
  • “Não deixemos que nos roubem a comunidade!” (EG 92)
  • “Não deixemos que nos roubem o Evangelho!” (EG 97)
  • “Não deixemos que nos roubem o ideal do amor fraterno!” (EG 101)
  • “Não deixemos que nos roubem a força missionária!” (EG 109)

A Semana de Formação foi iniciada na última segunda-feira (25) e segue até sexta-feira (29), onde se culminará o encerramento com o almoço. A noite, haverá a solene Celebração Eucarística, na qual todos os confrades, com alegria, se reunirão com o povo de Deus, na Paróquia São Judas Tadeu, e na oportunidade, Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM, professará definitivamente seus votos de obediência, sem nada de próprio e em castidade na Ordem dos Frades Menores.

Pedimos a iluminação de Deus para que nos guie e nos dê sabedoria para discernirmos com tranquilidade e consciência nossa missão e vocação, e nos abençoe para que sua presença seja contínua em nossas vidas. Que São Francisco interceda por cada um de nós, seus confrades, e nos aponte sempre Aquele que nos chamou e nos ama.

Que a PAZ e o BEM reine em nossos corações!

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Comissão para a elaboração da “Ratio Studiorum Custodiae” se reúne em Franca/SP

Da esquerda para a direita: Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM, Frei Valdemir Nelo Rufino, OFM (Frei Miro) e Frei José Luiz da Costa, OFM

Franca (SP) – Enquanto Custódia, visando se reestruturar e bem pensar uma formação para todos os nossos frades, estiveram reunidos nos últimos dias 13 e 14 de julho, no Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP, a Comissão de Preparação e Elaboração da Ratio Studiorum Custodiae.

Para pensar, elaborar e formular algo concreto, os membros da Comissão, a saber: Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM, Frei José Luiz da Costa, OFM e Frei Valdemir Nelo Rufino, OFM, procuraram elencar e desenvolver o material, baseado nos documentos da Ordem dos Frades Menores, na realidade de nossa Custódia, bem como buscou projetar um itinerário contínuo e que favoreça uma formação de qualidade aos frades da Fraternidade Custodial.

Após a elaboração, irão encaminhar para a correção e formatação. Por fim, irão apresentar ao Secretariado para a Formação e os Estudos e para o Conselho Custodial para as devidas ponderações e aprovações.

Gratos a Deus pelo empenho destes confrades, rogamos as bençãos de Deus para a nossa Fraternidade Custodial, para que possamos perseverar no trabalho mútuo, na formação e vivência autêntica do Evangelho em nossas vidas.

Fraternalmente,

Frei Alef Henrique Pavini, OFM

OFS de Bebedouro/SP celebra Capítulo Eletivo

Novo Conselho da OFS de Bebedouro/SP, com o delegado, irmão José Juvenal da Silva, OFS

Aconteceu na tarde deste sábado (23), a celebração do Capítulo Ordinário Eletivo da Fraternidade Sagrado Coração de Jesus da OFS (Ordem Franciscana Secular), de Bebedouro/SP.

O encontro foi conduzido pelo irmão, José Juvenal da Silva, OFS, membro da Fraternidade (OFS) de Ribeirão Preto/SP), no qual foi  delegado pelo Conselho Regional da OFS.

Durante o encontro, todos os presentes  reconheceram a força da Fraternidade e seu modo de evangelizar e sustentar o carisma franciscano, mesmo após passar por muitas dificuldades, porém permanecendo fiel ao caminho proposto por São Francisco de Assis.

Após as reflexões, ocorreu a eleição e posse do novo Conselho, pelo período de três anos (2022-2025).  Ficou composto da seguinte forma:

  • Ministro: Fabio Rissi, OFS
  • Vice-Ministra: Antônia Aparecida dos Reis Pavini, OFS
  • Formador: Carlos Gérico, OFS
  • Secretária: Neusa Batistella, OFS
  • Tesoureira: Leonor Savenhago Maximiniano, OFS

Os demais serviços ficaram para o novo Conselho, quando reunirem-se em assembleia, definir quem assumirá. Assim fica constituído todo o conselho desta Fraternidade que, com muito empenho, realizam suas atividades presenciais desde fevereiro, após a pandemia.

Terminando, Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM, Assistente Espiritual da Fraternidade (OFS), delegado pelo Regional da OFS como Assistente do Capítulo, confirmou a posse do Conselho e finalizou rezando com as seguintes palavras: “O Deus da esperança vos encha de todo gozo e de paz na vossa fé, para que, pelo poder do Espírito Santo, sempre abundeis na esperança”.

Desejamos um bom caminho para o novo Conselho da Fraternidade. Que as bênçãos de Deus, por intercessão de São Francisco, Santa Clara, Santa Isabel da Hungria e São Luís, os conduzam e iluminem suas missões e serviços em prol da Fraternidade e do Reino de Deus.

PAZ e BEM!

Carlos Alberto, OFS

Frei Lucas Oliveira, OFM professará os votos solenes na próxima sexta-feira (29)

Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM

Queridos irmãos e irmãs, PAZ e BEM!

É com grande alegria que a nossa Fraternidade Custodial na próxima sexta-feira (29), reunida estará na Paróquia São Judas Tadeu de Franca/SP, para a celebração eucarística onde o nosso confrade, Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM professará os votos solenes na OFM (Ordem dos Frades Menores).

Por isso, a Equipe de Comunicação de nossa Custódia, entrou em contato com o referido confrade para entrevistá-lo e assim, partilhar com todos vocês, nossos amigos e benfeitores, um pouco desta trajetória de vida e vocação.

Acompanhe conosco!


CONHECENDO UM POUCO DE SUA VIDA E VOCAÇÃO

Fonte: Instagram/Arquivo Pessoal – Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM

Equipe de Comunicação – Conte-nos um pouco da sua história!

Frei Lucas, OFM – Eu nasci em Afonso Cláudio, uma cidade do interior do Estado do Espírito Santo, onde vivi até 2009, quando terminei o Ensino Médio. Desde criança me engajei na comunidade católica do meu bairro, a Comunidade São Vicente, e aos poucos, fui me encantando pela vida eclesial. Fui catequista, coroinha, acólito, membro do grupo de oração “Luz Divina”, da RCC (Renovação Carismática Católica), onde fui pregador, membro do núcleo e coordenador do ministério jovem.

Tive a alegria de também poder colaborar na vida social da minha cidade, quando fui eleito vereador mirim e, posteriormente, presidente da Câmara de Vereadores Mirins. Eu confesso que achava a vida pública interessante, mas nada me cativa da mesma forma que a vida na igreja. Aos poucos, percebi que o ardor que eu sentia em meu coração era algo sério, real e forte, e passou a ser o grande norteador das escolhas.

Em 2010 ganhei uma bolsa integral pelo ProUni (Programa Universidade para Todos) para cursar filosofia na Faculdade Católica Salesiana do Espírito Santo (atualmente UniSales) em Vitória/ES, e esse foi um período muito importante para mim, pois fiz experiencias significativas que muito colaboraram na minha caminhada.

Fiz a experiência de morar sozinho, pude me desligar gradativamente da minha família e fui aprovado em um concurso público para ser Oficial Administrativo.

Em 2013, após o término do curso de filosofia ingressei no processo formativo franciscano, mas decide deixá-lo em julho de 2014. Só que quando Deus Chama é difícil, praticamente impossível, deixar de responder a esse chamado, e voltei para o processo formativo em setembro de 2015 e aqui estou hoje, às vésperas da Profissão Solene, fazendo-me um menor entre os irmãos.

Equipe de Comunicação – Fale um pouco quem é o Frei Lucas e como se deu o seu discernimento vocacional.

Frei Lucas, OFM – Sou uma pessoa de personalidade forte e cabeça dura, eu confesso. E por muitas vezes eu não consegui compreender o porquê que Deus foi escolher logo a mim, alguém com tantos defeitos para tão nobre missão. Tendo transcorrido todo o processo formativo eu continuo sem entender, mas hoje acredito que a lógica que Deus usa em seus desígnios é tangível à mente humana.

Anteriormente eu citei que desde criança eu participava da Comunidade Católica do meu bairro, e também desde criança eu sentia o desejo de ser padre. O tempo passou e o desejo não desapareceu. Fiz experiências de trabalho e de namoro, mas o desejo continuava ali, me incomodando. Em 2009 conheci os Frades Franciscanos no Convento da Penha (Vila Velha/ES) e me apaixonei pelo carisma do Santo de Assis. De lá para cá o franciscanismo nunca mais deixou de ser um grande tesouro pra mim. Eu já sentia o desejo de ser padre, e quando conheci os frades encontrei o “meu lugar na igreja” como narra Santa Terezinha em um belo poema.

Equipe de Comunicação – O que o Frei Lucas está pedindo a Igreja e a sua Fraternidade Franciscana é a Profissão Solene. Explique-nos um pouco sobre isso e qual o sentido dela para o Frade Menor?

Frei Lucas, OFM – A Profissão Solene, que eu prefiro chamar de Profissão Perpétua por ser mais compreensível para o povo, nos configura definitivamente a forma de Cristo, ao abandono da Cruz ao carregarmos a nossa cruz diária. É a entrega total e definitiva de tudo o que temos e somos a Deus para sermos seus instrumentos na humanidade.

Equipe de Comunicação – Qual sentido de fé e a relação da Igreja em sua vida?

Frei Lucas, OFM – Eu não conseguiria contar a história da minha vida sem citar a Igreja e muito menos sem mencionar as decisões que tomei por simplesmente acreditar no chamado que eu senti em meu coração. O eu vive na atmosfera da fé. Sem fé, sem a igreja, faltaria o oxigênio para a vida. Padre Zezinho diz isso em uma de suas músicas, “Mas deixa eu lhe dizer que eu ainda creio e quero crer, que sem religião não sei viver”.

Equipe de Comunicação – O que diria para um jovem que deseja ingressar na Vida Religiosa hoje?

Frei Lucas, OFM – Se joga! Vai dá medo? Vai! Vai dar vontade de desistir? Vai! Vai ter dia que você achar que fez a escolha errada? Vai! Mas se este é o chamado que você sente no seu coração, nada irá te trazer a completude que a vida religiosa te traz.


CONVITE

 

Agradecidos a Deus pelo vida deste irmão, desejamos perseverança em sua vida e vocação. Que Deus, por intercessão de São Francisco e Santa Clara, ajude o Frei Lucas, OFM cotidianamente em vosso trabalho e missão.

Equipe de Comunicação

Eleita nova presidência da Conferência dos Religiosos do Brasil

Ir. Eliane Cordeiro ao lado de Ir. Maria Inês – Fonte (Imagem): Site da CRB 

Marília Siqueira (Cidade do Vaticano)

No dia 21 de julho de 2022 foi eleita a nova presidenta da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) para o triênio 2022-2025, com a participação de 401 religiosas e religiosos na 26ª Assembleia Geral Eletiva. Trata-se de Ir. Eliane Cordeiro de Souza, 67 anos, Mercedária da Caridade, que substitui Irmã Maria Inês Vieira Ribeiro, religiosa da Congregação das Mensageiras do Amor Divino, que havia sido reeleita em 2019. O novo triênio tem por eixo norteador a centralidade em Jesus Cristo, a missionariedade e a sinodalidade. 

Irmã Eliane foi conselheira geral da congregação, provincial do Brasil e coordenadora da regional da CRB (RJ). Tem formação em gestão e orientação educacional em escolas públicas e privadas. É pós-graduada em educação popular e especializada em assessoria bíblica. Atualmente se dedica à coordenação do Centro Social Padre Zegrí: Projeto Convivência e Fortalecimento de Vínculos, que atende crianças carentes.

Após a divulgação do resultado, Irmã Eliane fez votos de que “permaneçamos no amor e na força de Deus, porque somos chamadas e chamados para amar e servir na caminhada dos pobres, vivendo os desafios da fraternidade”. E concluiu, referindo-se ao Evangelho de João 17,22: “Para que sejam um, como nós somos um”.

A centralidade da assembleia

Ressignificar a vida religiosa consagrada em uma Igreja sinodal: O convite de Jesus é para que “permaneçamos em seu amor” (cf. Jo 15,9), dentro de uma lógica de sinodalidade e profecia, o  convite para sairmos ao encontro de todos quantos se aproximarem de nós, a promovermos diálogos fecundos, a cultivarmos esperança e fraternidade onde estivermos. Estas são as diretrizes gerais da 26ª Assembleia Geral Eletiva (AGE) da CRB.

A 26ª Assembleia definiu horizonte e prioridades

Na busca de ressignificar a vida religiosa consagrada no discipulado de Jesus Cristo, em sinodalidade, missionariedade e contínua conversão, à luz da Palavra, convocadas e convocados a permanecer no seu amor, escutar e responder, com esperança, os gritos e os clamores dos tempos, para tornar visível o Reino de Deus.

Prioridades do eixo discipulado: Cultivar a vivência encarnada da Palavra de Deus como um itinerário de conversão, em atitude de escuta, discernimento e compromisso. Promover a mística do cuidado consigo, com as/os outras/os e com a casa comum, inspiradas/os na Trindade.

Prioridades do eixo sinodalidade: Viver a sinodalidade, a partir da escuta ativa e criativa, favorecendo a irmandade, humanizando e ressignificando o modo de ser, estar e agir nas comunidades, na Igreja e na sociedade. Fortalecer relações interculturais, intercongregacionais e intergeracionais, e efetivar parcerias com outros organismos eclesiais e sociais.

Prioridades do Eixo Missionariedade: Assegurar a presença profética e transformadora junto às infâncias e juventudes e às diversas formas de pobreza e vulnerabilidade nas periferias existenciais, sociais e geográficas. Assumir a ecologia integral e o bem-viver como um estilo de vida, na defesa da Casa Comum e dos povos originários.

A mensagem do cardeal da Amazônia

O arcebispo de Manaus Dom Leonardo Ultich Steiner, carinhosamente chamado pelo povo “Cardeal da Amazônia”, fez uma saudação especial aos religiosos e religiosas, congregações e institutos presentes na vida da Igreja na Amazônia,  os quais “na ousadia, perseverança e profecia seguem ao lado dos nossos povos na construção de um mundo mais justo, fraterno, solidário e comprometido com o Reino de Deus”, diz Dom Leonardo.

Como presidente da Comissão Episcopal Especial para a Amazônia da CNBB, Dom Leonardo manifestou o desejo de que a Assembleia Geral Eletiva da CRB Nacional, “seja de fato expressão de sinodalidade, experiência tão bonita que vivenciamos em toda a Amazônia e que segue ecoando e gerando frutos em nossas igrejas particulares”.

Fonte: Vatican News

17º Domingo do Tempo Comum: “Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá!”

LEITURAS: Gn 18,20-32 / Sl 137 / Cl 2,12-14 / Lc 11,1-13

Jesus está sempre em oração e seus discípulos querem aprender com Ele. Em várias passagens Lucas mostra Jesus rezando, isto é, falando com o Pai, a quem Ele chama com um apelativo familiar, íntimo. Os discípulos não sabiam do conteúdo do diálogo de Jesus com o Pai, mas a oração do “Pai nosso” faz intuir que era de louvor pela grandeza e bondade do Pai de todos; de pedido para que o seu Reino se instaurasse no mundo, com a confiança de que a vontade d’Ele era o melhor para todos os seus filhos e filhas; de pedido para que a todos não faltasse o pão cotidiano e para que perdoasse os pecados da humanidade.

Na primeira leitura vemos como Deus já havia revelado a sua bondade e justiça diante da súplica de Abraão. O contexto da leitura do Gêneses é o da hospitalidade e da justiça de Deus. O pedido de Abraão é para que a cidade não fosse destruída se houvesse alguns justos nela. Obviamente a justiça de Deus não faz acepção de pessoas, mas as pessoas fazem suas opções de modo livre. O povo da cidade ameaçada de destruição não quer se converter, deixar para trás suas obras de violência, e abraçar a hospitalidade e a justiça. O apelo de Deus é pela conversão e sua bondade não permite que o justo pague pelo injusto. A lógica de Deus é diferente daquela humana que primeiro mata para depois saber se era ímpio.

Na vida real vemos os homens de poder tomando decisões de condenar os justos para preservar os seus interesses. Foi o que aconteceu com Jesus, sendo condenado à morte de cruz. Mas o Pai o ressuscitou dentre os mortos, como vemos anunciado na segunda leitura. E ainda mais, o Pai nos “trouxe para a vida junto com Cristo e a todos nós perdoou os pecados”. Isto significa que todos temos a oportunidade de sair do pecado fazendo uma opção pela justiça de Deus, deixando uma porta sempre aberta aos necessitados.

Em sua bondade, o Pai nos oferece o que tem de maior: o Espírito Santo. Este ensinamento de Jesus só foi compreendido pelos discípulos depois da ressurreição d’Ele e quando o mesmo Espírito iluminou e deu força a todos. Aí compreenderam a incomensurável bondade de Deus que olha constantemente para cada filho e cada filha.

Hoje todos os cristãos são chamados a manter um diálogo constante, íntimo e levar os fatos da vida real para o Pai e para Jesus, nosso irmão. Ele jamais deixará de ouvir os clamores daqueles que superam o egoísmo, os próprios interesses, optam por construir a paz e amam os irmãos e irmãs.

Frei Valmir Ramos, OFM

Paróquia São Judas Tadeu de Franca/SP promove a 14ª edição da “Semana de Formação Litúrgica”

Franca (SP) – Após um período de pausa devido a pandemia do COVID-19, os fiéis da Paróquia São Judas Tadeu de Franca/SP, estiveram durante esta última semana (11 a 15/07) reunidos para a 14ª edição da “Semana de Formação Litúrgica”. A formação foi realizada no Salão Paroquial, sempre às 19h30, abordando cada dia uma temática diferente, com assessores variados.

Sendo cada dia uma temática e um assessor, a estrutura do evento se deu da seguinte maneira: A segunda-feira (11), foi conduzida pelo Bispo Diocesano de Franca/SP, Dom Paulo Beloto, onde refletiu acerca da “Oração e Espiritualidade”. Na noite da terça-feira (12), Virgílio Carvalho, amigo da comunidade local, refletiu sobre os “Salmos”.

A quarta-feira (13) ficou sob a responsabilidade do diácono cooperador, Frei Alef Henrique Pavini, OFM, que trabalhou a temática “Espiritualidade e Liturgia Franciscana”. Conduzida pelos confrades, Frei Paulo Henrique Castro Souza, OFM e Frei Vinícius Felipe Armani Pedro, OFM, a formação da quinta-feira (14) teve por temática “Palavra e Música na Liturgia”. Como conclusão, a temática girou em torno da prática vocal “Estudo, Treino e Entendimento acerca da Voz”, com a fonoaudióloga Larissa, paroquiana local.

Gratos a Deus pela oportunidade de reavivar a chama do serviço litúrgico na Paróquia São Judas Tadeu de Franca/SP, Frei Luís Fernando Nunes Leite, OFM, pároco, agradeceu a todos os fiéis que participaram, bem como a todos os envolvidos na assessoria, onde na simplicidade e partilha de vida, puderam contribuir com a formação litúrgica local. Deus vos abençoe sempre!

Fraternalmente,

Frei Alef Henrique Pavini, OFM