Irmãos Leigos Franciscanos das quatro obediências, se reúnem de maneira remota para a quarta edição do encontro nacional

No dia 06 de setembro de 2021 realizou-se o IVº Encontro de Irmãos Franciscanos das quatro obediências – OFM, OFMCap, OFMConv e TOR. O último encontro aconteceu em 2019 em Lagoa Seca/PB.

O encontro desse ano, aconteceu de forma online e teve como tema “Portadores de esperança: sinal da bondade e misericórdia de Deus”, tendo como pano de fundo as temáticas da pandemia – a encíclica Fratelli Tutti, o desafio das relações humanas e redes sociais e o contexto de polarização. Como lema, teve o número 27 da Fratelli Tutti: “Quem constrói um muro, acabará escravo dentro dos muros que construiu, sem horizontes” (FT, 27).

Tivemos a participação de irmãos dos quatro ramos franciscanos e, mesmo a distância, foi satisfatório.

Na parte da manhã contamos com apresentações de atividades dos confrades e saudações dos superiores gerais e presidentes de conferências. A tarde fomos assessorados pelo Pastor Henrique Vieira, da Igreja Batista do Rio de Janeiro e de Moema Miranda, leiga da OFS e antropóloga. A noite foi aberta a discussão para os posicionamentos dos confrades, com seus questionamentos e contribuições.

O encontro teve por objetivo primeiro nos proporcionar o encontro (vivamos a cultura do encontro, como nos pede o Papa Francisco). É significativo nos escutarmos mutuamente: nossas histórias, nossos sonhos, projetos, desafios. Nos apoiamos uns aos outros, nos entendemos, pois falamos a partir de um mesmo chão existencial-vocacional: somos simplesmente irmãos! E Claro que tiramos daí uma força motivadora que nos põe em marcha na caminhada da vida e da fraternidade.

Fraternalmente,

Frei Tiago Santos da Silva, OFMCap (Membro da Coordenação)

2 de Agosto: Perdão de Assis, voltar para casa e sentir o abraço de um Pai

A Porciúncula dentro da Basílica Santa Maria dos Anjos em Assis/Itália

“Peço-Te para que todos aqueles que, arrependidos e confessados, visitarem esta igreja, obtenham o perdão amplo e generoso, com a remissão completa de todos as culpas”.

Foi um pedido quase ousado aquele que São Francisco fez diretamente ao Senhor, que lhe apareceu numa noite de 1216 enquanto ele estava mergulhado em oração na Porciúncula. Segundo fontes franciscanas, ele se viu repentinamente cercado por um faixo de luz.

O Senhor então concedeu essa graça a Francisco que foi imediatamente ao Papa Honório III para obter a indulgência e em 2 de agosto de 1216, diante de uma grande multidão, na presença dos bispos da Úmbria, promulgou o Grande Perdão.

Francisco, naquele dia de agosto, disse às pessoas abrigadas à sombra dos carvalhos: “Irmãos, quero enviar-vos todos ao Paraíso e anuncio uma graça que obtive da boca do Sumo Pontífice”.

A indulgência do Perdão

Aquele distante dia de verão marca assim o nascimento do tesouro da Porciúncula: a Indulgência do Perdão que pode ser pedida para si ou pelos falecidos. Para obtê-la, é necessária a Confissão, a participação na Missa e a Comunhão, a renovação durante a visita à igreja da própria profissão de fé recitando o Credo e o Pai Nosso e, por fim, a oração segundo as intenções do Papa e pelo Papa.

Das 12 horas de 1º de agosto até às 24 horas de 2 de agosto, a Indulgência Plenária concedida à Porciúncula todos os dias se estende a todas as igrejas paroquiais do mundo e também a todas as igrejas franciscanas.

O programa das celebrações

Ao final de um Tríduo preparatório, a Solenidade do Perdão foi aberta às 11 horas deste domingo. O recém-eleito Ministro geral da Ordem dos Frades Menores presidiu a Solene Celebração Eucarística que se encerrar com a procissão da “Abertura do Perdão”. A partir de então, a Indulgência Plenária passa a ser concedida. 

Na segunda-feira, às 11h30, o Penitenciário-Mor do Tribunal da Penitenciária Apostólica, cardeal Mauro Piacenza, presidirá uma solene celebração. Já às 19 horas, as segundas Vésperas da Solenidade do Perdão serão presididas pelo Ministro Provincial dos Frades Menores da Úmbria e da Sardenha, Pe. Francesco Piloni. Por fim, às 20 horas, ao vivo da Porciúncula, está programada a Vigília dos Jovens.

Será possível acompanhar ao vivo todos os principais acontecimentos pela WebTV da Porciúncula e pelas redes sociais dos Frades.

Perdão: o caminho de retorno no abraço do Pai

“O perdão de Assis é um “super” dom que Francisco quis oferecer a cada pessoa, de cada época e lugar. Um retorno à uma relação com Deus, explica Pe. Francesco Piloni. Em uma noite conturbada, o Santo sentiu que cada pessoa é esperada e desejada por Deus, que cuida da pessoa, deixando nela uma saudade de casa: a relação com Ele. O perdão é voltar para casa, sentir o abraço de um Pai que desde sempre nos acompanhou”.

Padre Francesco Piloni, explicou ao Vatican News o significado da palavra perdão, em particular neste ano:

O perdão é, acima de tudo, aquele a ser dado a nós mesmos, pelo tempo vivido mal, pela pressa e pelas oportunidades perdidas. Frequentemente percebemos a bondade de uma coisa quando a perdemos, quando ela não existe mais. E é muito triste viver de oportunidades perdidas. Perdoar-nos por aquilo que negligenciamos ou vivenciamos de maneira superficial e também perdoar a forma como tratamos a Criação, falando em ecologia integral. Ou a não acolhida com que tratamos quem é diferente de nós, tendo em vista que se as diferenças podem gerar conflitos, mas a uniformidade gera asfixia, então é mais bonito enfrentar e buscar juntos o valor de um encontro.

Como vocês se prepararam para viver esta grande e solene festa do Perdão?

Além das habituais iniciativas que propomos todos os anos, criamos um novo site www.perdonodiassisi.org que permite não só acompanhar ao vivo todas as celebrações, mas também enviar pedidos de oração. Neste período assim difícil, percebemos que muitas pessoas nos pediram para serem amparadas com orações de intercessão. Portanto, é possível enviar pedidos de oração e receber ou dar um santinho personalizado com o próprio nome. Doações também podem ser feitas para apoiar as iniciativas da basílica. É, portanto, um instrumento a mais para oferecer a muitas pessoas em todo o mundo este lugar de graça que custodiamos, mas que pertence a cada pessoa que deseja o perdão: aquele retorno para casa nos braços do Pai em uma reconciliação que fala de beleza de ser filhos e irmãos.

Fonte: Vatican News

“É agosto! É mês Vocacional!” – SAV Custodial prepara série para mês vocacional

Iniciamos hoje o mês de Agosto e o grito que ecoa na Igreja é um ato de louvor e uma prece de esperança. Louvor a Deus que confia na humanidade e continua chamando homens e mulheres ao serviço do Amor. Uma prece de esperança para que mais corações se abram ao toque de Deus e assumam na Igreja um modo explícito de ser Evangelho no mundo.

É Agosto! É mês vocacional!

Por isso, nós, os frades, freiras, juventude, irmãs e irmãos seculares, Franciscanas e Franciscanos, queremos chegar até você com nossa alegria de ser de Deus e nossa simplicidade de viver como irmãs e irmãos em São Francisco e Santa Clara de Assis e partilhar o nosso vigor, seja na vida religiosa consagrada ou secular.

Nos acompanhe todos os dias desse mês e reze conosco pelas vocações Franciscanas.

E você jovem, que sente no coração o inquieto desejo de aproximar de nós e conhecer a nossa vida, não tenha medo, ou vergonha. Há espaço para todo mundo e te esperamos com alegria. Afinal, “conhecer não te compromete, acertar te realiza”.

O Senhor nos dê a sua Paz!

Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM (Animador Vocacional)


ACOMPANHE CONOSCO:

Série: “A gente pode ser muito mais feliz, seguindo o exemplo de Francisco de Assis” 

01 – APRESENTAÇÃO

Para assistir aos próximos vídeos, acesse: FRATERNIZAR SCJ


ENTRE EM CONTATO CONOSCO, CURTA NOSSAS REDES SOCIAIS E NOS ACOMPANHE!

Frei Massimo Fusarelli, OFM participa do anúncio do novo nome do Movimento Católico Mundial pelo Clima

Frei Massimo Fusarelli, OFM – Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores

O Movimento Católico Mundial pelo Clima, nascido em 2015, inspirado na publicação da encíclica Laudato Si ’, é um movimento católico composto por mais de 800 organizações e milhares de animadores Laudato Si em todo o mundo.

Em 2020, por ocasião do 5º aniversário de sua fundação, o Movimento iniciou um importante processo de discernimento sobre sua identidade, missão, nome e estruturas. Esse processo foi desenvolvido em espírito sinodal, envolvendo seus membros por meio de várias rodadas de consultas.

Uma das mudanças mais importantes neste processo foi a nova declaração de missão que propõe: “Inspirar e mobilizar a comunidade católica para cuidar de nossa casa comum e alcançar justiça climática e ecológica”.

Nas palavras da Dra. Lorna Gold da Irlanda, Presidente do Conselho de Administração, “é importante destacar que a missão está sendo ampliada para incluir o conceito de justiça ecológica, baseado no espírito de Laudato Si ‘, onde“ tudo está interligado ”. Esta nova Missão reflete uma visão mais ampla e mais coerente com Laudato Si´, que foi a centelha que motivou a fundação do Movimento no início ”.

Junto com a nova Missão, uma nova formulação de Valores, estruturas e identidade foi anunciada.

Em relação à identidade, a grande novidade é a mudança de nome, a partir de agora se chamará Movimento Laudato Si ‘.

“Começamos a trabalhar na mudança do nome em 2019. O principal motivo, além das dificuldades do antigo nome que era longo demais, foi que sentíamos que o Movimento Católico Global pelo Clima não representava mais o que estávamos realmente fazendo. Desde praticamente o seu início, o Movimento desenvolveu suas atividades a partir da visão integral de Laudato Si ’, muito mais ampla do que a crise climática”, disse Tomás Insua, Diretor Executivo e um dos co-fundadores do Movimento em 2015.

A escolha do nome não foi uma tarefa fácil: uma lista de 25 nomes possíveis foi submetida à consulta e votação de centenas de membros do Movimento, cardeais e outros líderes eclesiais. Depois de dois anos de discernimento, veio a confirmação do Papa Francisco: “Enviamos ao Papa uma carta explicando o processo sinodal que havíamos seguido e pedindo sua bênção para mudar nosso nome. A resposta do Papa, na forma de uma mensagem escrita, veio providencialmente na véspera de Pentecostes, durante a Semana Laudato Si ‘deste ano ”, lembrou Yeb Saño, Vice-Presidente do movimento com sede nas Filipinas.

Na nota manuscrita pelo Papa Francisco você pode ler: Pelo Movimento Laudato Si”: Obrigado pela missão de promover a ecologia integral e pela ajuda que oferece à Igreja no mundo inteiro. Feliz Semana Laudato Si ’. Fraternalmente, Francisco “

O Movimento Laudato Si ’, portanto, reconfirma sua identidade como um movimento global que reúne mais de 800 organizações membros e milhares de animadores Laudato Si’ em nível local.

Para mais informações sobre o Movimento e suas atividades, visite “Movimento Laudato Si'”

Leia a declaração completa “Do Movimento Católico Global pelo Clima ao Movimento Laudato Si” – CLIQUE AQUI

Gabriel López Santamaría
Diretor de Comunicação | Movimento Laudato Si’

Fonte: JPIC – OFM

Tradução: Frei Rodrigo de Castro Péret, OFM

Movimento Laudato si’: uma realidade consolidada que se renova

Giada Aquilino (Vatican News)

“Inspirar e mobilizar a comunidade católica para cuidar da nossa casa comum e alcançar a justiça climática e ecológica”. Estes são os objetivos da nova fase que se abre para o Movimento Católico Global pelo Clima, que a partir de hoje muda seu nome para Movimento Laudato si’.

Fundação seis anos atrás

Fundado em 2015 por um grupo de 17 organizações católicas e 12 líderes de realidades universitárias e sociais de todos os continentes, empenhados em ajudar os fiéis a responder às exortações da encíclica do Papa Francisco sobre os cuidados da casa comum, publicada naquele mesmo ano, o Movimento conta hoje com mais de 800 organizações.

Em tempos recentes, passou por “um caminho de discernimento que durou mais de 18 meses”, explica ao Vatican News Tomás Insua, co-fundador e diretor executivo do Movimento: uma reflexão sobre identidade, missão, nome e estruturas. O nome anterior, continua, “além de ser longo era difícil de recordar. Pensando no trabalho de conversão ecológica e na ecologia integral que a Laudato si’ invoca e que catalisa nosso trabalho, em colaboração com vários parceiros eclesiais decidimos nos chamar de Movimento Laudato si'”, depois de examinar uma lista de 25 nomes possíveis.

O novo logotipo do Movimento Laudato si’

Lorna Gold, presidente do Comitê Diretivo, que apresentou a novidade de hoje em uma reunião on-line, destaca como é “importante notar que a missão está sendo ampliada para incluir o conceito de justiça ecológica, baseada no espírito da Laudato si’, no qual ‘tudo está interligado”. A encíclica do Pontífice, prossegue Tomás Insua, “é a base de tudo o que fazemos e organizamos, desde a Semana Laudato si’ ao curso de Animadores Laudato si’, dos nossos Círculos aos estudos específicos”: um compromisso que nunca foi interrompido, nem mesmo durante a emergência pandêmica, tanto que agora temos cerca de 25 mil animadores Laudato si’ no mundo, pessoas envolvidas principalmente nas paróquias, associações e âmbito religioso, mas também pessoas comuns que sentem de modo particular o chamado à ecologia integral, colocando-se a serviço de suas próprias comunidades.

As cúpulas da ONU

 “Hoje há muito o que fazer: neste ano em particular precisamos nos concentrar nas próximas grandes cúpulas da ONU”, diz Tomás Insua com referência à Conferência da ONU sobre a Biodiversidade, a Cop15, agendada de 11 a 24 de outubro na China, e a Conferência da ONU sobre as Mudanças Climáticas, a Cop26, em Glasgow, de 31 de outubro a 12 de novembro, antes da qual também haverá um encontro “Fé e Ciência: Rumo à Cop26” em 4 de outubro no Vaticano e em Roma.

Um grupo do Movimento Laudato si’ no Vietnã

As grandes cúpulas da ONU, reflete o diretor executivo do Movimento Laudato si’, “têm o objetivo de reunir a família humana para agir com urgência diante destas grandes crises: os cientistas nos dizem que elas são ainda mais urgentes ano após ano. São muitos os sinais: os incêndios na Sardenha, o calor recorde e incêndios no Canadá, a seca em Madagascar, o grito da terra e dos pobres que são ainda mais altos. Portanto, há necessidade de agir”. Nós do Movimento – anunciou – estamos ajudando a animar uma iniciativa particular: ‘Planeta Saudável, Pessoas Saudáveis’. É uma petição com mais de 200 organizações católicas para lançar um apelo aos participantes nas cúpulas da ONU: será uma de nossas prioridades nos próximos meses e especialmente no período do Tempo da Criação, que começa em 1º de setembro. Estamos pedindo para aumentar o nível de ambição nas duas cúpulas: em particular na Cop26 – refere Tomás Insua – fala-se em alcançar até 2050 zero emissões de gases de efeito estufa em todo o planeta. Mas sabemos que os países mais ricos, que têm uma responsabilidade histórica por séculos de emissões, têm possibilidades mais claras para fazer esta transição até 2035 – 2040″.

As palavras do Papa para o Movimento Laudato si’

As palavras do Papa

Do Pontífice, um incentivo constante para continuar o compromisso do Movimento. “Escrevemos uma carta ao Papa, informando-o do processo, pedindo sua opinião e sua bênção antes de agir e mudar nosso nome. Francisco – informa Tomás Insua – escreveu uma breve carta de resposta, que chegou nas Vésperas de Pentecostes, em 22 de maio, e foi um sinal muito forte. Dado que este processo tem sido caracterizado por um clima de oração sinodal, pedindo luz ao Espírito Santo, o fato de a carta do Papa ter chegado para a festa de Pentecostes foi um sinal que nos motiva ainda mais: ele a dirigiu ao Movimento Laudato si’, agradecendo-nos “pela missão de promover a ecologia integral e pela ajuda” oferecida “à Igreja no mundo”, desejando-nos uma feliz Semana Laudato si’ que estava em andamento naqueles dias. Um incentivo a mais, reflete Tomás Insua, para “viver Laudato si’, que não deve permanecer um documento escrito, um documento de biblioteca, mas um documento vivo”.

Uma jovem do Movimento Laudato si’ em Assis

Fonte: Vatican News

“Somos todos irmãos!” – A grande tônica do Retiro Custodial 2021

Durante os dias 26 a 29 de julho, no Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP, os frades da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus estiveram reunidos para o retiro anual, cuja temática foi a que escolhemos para o nosso Capítulo Custodial – “Em tempos de crises, abracemos o futuro: Somos todos irmãos, não tenhais medo”.

O retiro foi assessorado pelo Pe. Nelber Rodrigues, SCJ (Dehoniano), que nos conduziu com maestria na temática proposta, bem como buscou resgatar pontos fortes da tradição franciscana.

“Somos todos irmãos” é a chave do franciscanismo, diz Pe. Nelber ao realizar a abertura do retiro na tarde da segunda-feira (26), nos provocando: “Vocês são filhos de Francisco e que coisa bonita, vocês apostarem em ‘somos todos irmãos’”.

A proposta foi refletir sobre três palavras tiradas do tema: Crise, Fraternidade e Esperança. Em uma de suas falas, Pe. Nelber, SCJ, reforçou que “a melhor coisa que a crise traz para nós é a verdade. Somente desta forma, o nosso coração se torna livre. A crise purifica!”.

Durante o tempo de crise, é tempo de “reconsiderar, reconhecer, redescobrir, retornar e reorientar”. Este foi o itinerário proposto pelo assessor, destacando que a fraternidade é presença, partilha e vivência conjunta. Isso ajuda a qualquer um na administração da própria vida e na dinâmica da fraternidade, onde somos interdependência.

Convidou-nos a retomar a inocência do chamado, quando deixamos tudo para viver o amor na fraternidade, na oblação de si e na missão de superar o medo e abraçar a confiança.

A programação contou com momentos de convivência, reflexão, silêncio e oração, sendo um dos momentos mais fortes a adoração eucarística, quando os frades, organizados em grupos se estenderam durante a tarde da quarta-feira (28) em oração silenciosa, trazendo presente os irmãos que não participaram do retiro. Este momento culminou com uma reflexão sobre o amor, o perdão e a vivência na fraternidade, com o gesto simbólico do lava-pés. “Assim como Jesus saiu da mesa e inclinou-se para lavar os pés dos discípulos, nós agora vamos nos aproximar da mesa de Jesus e repetir o gesto Dele de lavar os pés uns dos outros!”

Pe. Nelber concluiu os momentos de reflexões destacando que todos temos “medo” e que este sentimento é natural, pois sempre iremos nos proteger; é nosso instinto. Também reforçou que “a lógica que sustenta a vida fraterna é a lógica do oferecer, do devolver tudo em nome Daquele que recebi. A lógica do Cristo é a oblação, o ágape. A satisfação está em dar-se, em doar-se”.

Gratos a Deus pela vivência do carisma franciscano, pela vivência em fraternidade e por sermos irmãos; agradecemos a presença de Pe. Nelber, SCJ em nosso meio e por ter nos provocado a retornar à essência do nosso chamado: Sermos irmãos e amá-los sem nada em troca. Doar-se por completo!

Fraternalmente,

Frei Alef Henrique Pavini, OFM / Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM


Uma breve biografia de Pe. Nelber, SCJ

Padre Nelber Rodrigues, SCJ. Natural de Mococa/SP, é religioso e sacerdote da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (Dehonianos). Atualmente, vive e trabalha em Barretos/SP, na Cidade de Maria, como mestre no Postulantado Coração de Jesus.

Ministro Geral pede diálogo fraterno permanente e apoio mútuo

A Celebração Eucarística de encerramento do Capítulo Geral de 2021, que começou no dia 3 de julho, presidida por Frei Massimo Fusarelli e concelebrada pelos Freis Isauro Covili Linfati e Cesare Vaiani, foi uma celebração de gratidão, fraternidade, diversidade e esperança.

A variedade de línguas oficiais da Ordem, bem como outras línguas adicionais, eram usadas na oração e nos cantos. Antes da bênção final, os capitulares receberam como presente algumas lâmpadas de barro, inspiradas nas antigas lâmpadas de óleo encontradas nas catacumbas romanas, como uma lembrança da passagem bíblica do Capítulo: “Levanta-te … e Cristo te iluminará!” (Ef 5:14).

O Capítulo foi encerrado com as expressões de gratidão do novo Ministro geral e de Frei Sergio Galdi D’Aragona, Secretário geral do Capítulo, a todos os que fizeram parte deste Capítulo, aos frades que formaram a equipe de governo anterior da Ordem e a todos aqueles que eles assistiram e ajudaram a tornar possível o Capítulo nas situações difíceis do nosso mundo. Expressaram palavras especiais de agradecimento àqueles que apoiaram o Capítulo e à Ordem nos bastidores com seu árduo trabalho, suas orações e bons votos, incluindo as Clarissas e outros irmãos e irmãs religiosos, bem como amigos leigos e colaboradores.

Guardou-se um momento de silêncio pelo segundo vice-Secretário, o saudoso Frei Dexter Toledo, da Província das Filipinas, que faleceu tragicamente poucos meses antes do início do Capítulo.

Frei Massimo concluiu animando a todos os irmãos a permanecerem em um espírito de diálogo fraterno permanente e de apoio mútuo. Ele nos exortou a viver o Evangelho de Jesus, que é o cerne do nosso carisma, com paixão em nossas vidas. “Fazendo assim, dão testemunho ao mundo”.

No domingo à tarde, o novo Ministro Geral e o Vigário Geral fizeram uma peregrinação a Assis para confiar a Ordem ao Senhor, por intercessão de Santa Maria dos Anjos, de São Francisco e de Santa Clara, antes de iniciar os encontros no próximo semana na Cúria Geral da Ordem em Roma.

Equipe do Capítulo Geral – 2021

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil


RESUMO | Conclusão – Capítulo Geral (2021)

Os últimos encaminhamentos do Capítulo Geral

Diante das atuais inundações em partes da Alemanha e da Bélgica, o Ministro Geral anunciou que o Capítulo enviará uma mensagem ao Presidente da República Federal da Alemanha e ao Rei dos Belgas, como garantia de solidariedade e oração.

A Assembleia concluiu seus trabalhos sobre as Orientações e Mandatos do Capítulo, as emendas aos Estatutos e o Projeto de Mensagem. Além disso, as apresentações do dia incluíram o relatório da Comissão para as Finanças do Capítulo, o Instituto de Espiritualidade Franciscana da Pontifícia Universidade Antonianum, o Hotel e a Fundação Il Cantico e um intercâmbio sobre a presença e missão dos Frades em Marrocos.

Na última noite do Capítulo, foi realizada uma noite de confraternização no Il Cantico, com um jantar ao ar livre no terraço com uma vista espetacular da Cúpula da Basílica de São Pedro.

O Capítulo Geral termina neste domingo, 18 de julho, com a Missa de Ação de Graças, às 10 horas (horário de Roma).

Equipe do Capítulo Geral – 2021

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil


RESUMO | 15º DIA – Capítulo Geral (2021)

Mensagem do Santo Padre aos participantes do Capítulo Geral

Queridos irmãos!

Saúdo com afeto a vocês que participam do Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores. Um pensamento grato dirijo a Frei Michael A. Perry, que completou seu serviço como Ministro Geral, e ofereço meus melhores votos ao Pe. Massimo Giovanni Fusarelli, que foi chamado para sucedê-lo. Estendo minhas saudações a todas as suas fraternidades espalhadas no mundo.

Por muitos meses, devido à pandemia, nos encontramos vivendo em situações de emergência, isolamento e sofrimento. Esta experiência crítica, por um lado, estimula a todos nós a reconhecer o quanto a nossa vida terrena é um caminho a percorrer como peregrinos e forasteiros, homens e mulheres itinerantes, dispostos a nos livrar de coisas e reivindicações pessoais. Por outro lado, é uma ocasião favorável para intensificar a relação com Cristo e com os irmãos: penso nas suas fraternidades, chamadas a serem humildes presenças proféticas em meio ao povo de Deus e testemunhas para todos de fraternidade e de vida simples e feliz.

Neste momento difícil e complexo, em que corremos o risco de permanecer “paralisados”, apesar de tudo, vocês experimentam a graça de celebrar o Capítulo Geral ordinário, e isso já é motivo de louvor e graças a Deus. Neste Capítulo, vocês propuseram “renovar sua visão, abraçar o futuro”. Orienta-lhes a palavra de São Paulo:  “Desperta… e te iluminará Cristo”. (Ef 5, 14). E uma palavra de ressurreição, que os enraíza na dinâmica pascal, porque não há renovação e não há futuro se não no Cristo Ressuscitado. Com gratidão, portanto, vocês se abrem para acolher os sinais da presença e da ação de Deus e redescobrir o dom do carisma e da sua identidade fraterna e minorítica.

Renovar a própria visão: é assim que aconteceu com o jovem Francisco d’Assis. Ele mesmo atesta, contando a experiência que, em seu “Testamento”, coloca no início de sua própria conversão: o encontro com os leprosos, quando «o que era amargo se transformou em doçura de alma e corpo. (Test 1-4). Na raiz de sua espiritualidade é este encontro com os últimos e com os que sofrem, num sinal de “fazer misericórdia”. Deus tocou o coração de Francisco através da misericórdia oferecida ao irmão, e continua a tocar os nossos corações através do encontro com os outros, especialmente com pessoas mais necessitadas. A renovação da sua visão só pode começar a partir deste olhar om o qual contemplar o irmão pobre e marginalizado, sinal quase sacramental de presença de Deus.

Deste olhar renovado, desta experiência concreta de encontro com o próximo e com suas feridas, pode nascer energia renovada para olhar para o futuro dos irmãos e dos menores, como são vocês, segundo o belo nome de “frades menores”, que São Francisco escolheu para si e para vocês.

A força renovadora da qual necessitam provem do Espírito de Deus, daquela “santa operação” (Regra Bulada 10, 8) que é o sinal inequívoco de sua ação. Esse espírito, que transformou em doçura da alma e do corpo a amargura do encontro de Francisco com os leprosos, ainda opera hoje para dar novo frescor e energia a cada um de vocês, se se deixarem provocar pelos últimos de nosso tempo. Os encorajo a ir ao encontro dos homens e mulheres que sofrem tanto na alma como no corpo, para oferecer a sua presença humilde e fraterna, sem grandes discursos, mas fazendo sentir a sua proximidade de frades menores. Para ir em direção a uma criação ferida, a nossa casa comum, que sofre com a exploração distorcida dos bens da terra para o enriquecimento de alguns, enquanto são criadas condições de miséria para muitos. Para ir em direção como homens de diálogo, tentando construir pontes no lugar de muros, oferecendo o dom da fraternidade e da amizade social em um mundo que luta para encontrar a rota de um projeto comum. Ir como homens de paz e de reconciliação, convidando aqueles que semeiam ódio, divisões e violência à conversão do coração, e oferecendo esperança às vítimas que nascem da verdade, da justiça e do perdão. Destes encontros, vocês receberam um impulso para viver mais e mais plenamente o Evangelho, segundo a palavra que é o seu caminho: “A vida e a Regra dos Frades Menores é esta: observar o santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo (Regra Bulada, 1, 1).

Enquanto em boa parte da Ordem se enfrenta os desafios do declínio numérico e envelhecimento, não deixem que a ansiedade e o medo lhes impeçam de abrir corações e mentes para a renovação e para revitalização que o Espírito de Deus desperta em vocês e entre vocês. Tendes um legado espiritual de uma riqueza inestimável, enraizada na vida evangélica e caracterizada pela oração, fraternidade, pobreza, minoridade e itinerância. Não esqueçam que um olhar renovado, capaz de se abrir ao futuro de Deus, o recebemos da proximidade com os pobres, com os últimos da escravidão moderna, com os refugiados e os excluídos deste mundo. Eles são seus professores. Deveis abraça-los como fez São Francisco!

Queridos irmãos, que o Altíssimo, Todo-Poderoso, Bom Senhor os façam ser e tornar-se cada vez mais testemunhas credíveis e felizes do Evangelho; lhes conceda levar uma vida simples e fraterna; os conduza pelas estradas do mundo a semear a semente da Boa Nova com fé e esperança. Por isso, rezo e os acompanho com a minha Bênção. E vocês também, por favor, não esqueçam de rezar por mim.

Roma, São João do Latrão, 15 de julho de 2021

Papa Francisco


Tradução: Frei Clarêncio Neotti e Moacir Beggo

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

“Somos uma família e queremos sentir-nos cada vez mais orientados neste sentido”

Na manhã do décimo quarto dia, nesta sexta-feira (16/7), o Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores, em andamento em Roma, recebeu uma comunicação escrita do Santo Padre, que estendeu a sua saudação e deu uma mensagem inspiradora aos Capitulares e aos irmãos da Ordem em todo o mundo.

Prosseguiu o processo de votação em assuntos jurídicos, em particular relacionados aos casos de improbidade. Frei Lawrence Hayes, da Comissão de Propostas Capitulares, apresentou projetos de orientações e mandatos sobre nossa identidade franciscana, vida fraterna e solidariedade, formação, missão e evangelização e JPIC. A discussão que se seguiu incluiu áreas de igualdade e compreensão de novos irmãos que vêm de diversas origens familiares e culturais. Em seguida se votaram as resoluções.

Antes do almoço, os Capitulares foram agraciados com a presença das mais altas autoridades da Família Franciscana, representadas pela Vice-Presidente da CFI-TOR, Irmã María Magdalena Schmitz; o Ministro Geral da OFS, Irmão Tibor Kauser; Ministro Geral da o TOR, Amando Trujillo Cano; Frei Roberto Genuin, dos Frades Menores Capuchinhos; e o Ministro Geral dos Frades Menores Conventuais, Frei Carlos Alberto Trovarelli. Em particular, Frei Carlos falou da opção preferencial franciscana pela fraternidade. Frei Massimo Fusarelli, eleito Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, afirmou: “Somos uma família e queremos sentir-nos cada vez mais orientados neste sentido para os outros e para o mundo”.

Depois do almoço, a Assembleia conheceu o rascunho da Mensagem Final do Capítulo, apresentada por Frei Daniel Horan, e forneceu seus comentários e contribuições à comissão de redação sobre a mensagem chave e o conteúdo do documento. Os capitulares acolheram também dois novos Definidores gerais, Freio Albert Schmucki para a Europa Central e Frei Konrad Cholewa para a região eslava, vindos respectivamente da Suíça e da Polônia. Freis Julio César Bunader, Tyberiusz Maka, Pedro Zitha e Daniele Feligioni garantiram o almoço dos capitulares.

Equipe do Capítulo Geral – 2021

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil


RESUMO | 14º DIA – Capítulo Geral (2021)