Jovens frades concluem a 27ª Assembleia dos Frades de Profissão Temporária

Franca (SP) – Os Frades de Profissão Temporária com espírito juvenil e fraterno, estão reunidos desde a última segunda-feira (04) no Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP em assembleia.

Com o objetivo de rever a caminhada, partilhar a vida e estarem em oração, a 27ª Assembleia dos Frades de Profissão Temporária visa proporcionar aos jovens frades momentos oportunos para a realização pontos fundamentais na caminhada formativa enquanto frade menor.

Frades eleitos para a organização da 28º Assembleia dos Frades de Profissão Temporária (2023) – Da esquerda para a direita: Frei Paulo Henrique, OFM, Frei Vinícius Armani, OFM, Frei André Luís, OFM e Frei Vinícius Alves, OFM

Durante a terça-feira (05) foram eleitos os novos moderadores, secretários e representantes da 28ª edição da Assembleia dos Frades Profissão Temporária, que acontecerá em julho do próximo ano. Foram eleitos para moderadores e representantes os confrades: Frei Paulo Henrique Castro Souza, OFM e Frei Vinicius Felipe Armani Pedro, OFM. É tarefa dos mesmos organizarem a próxima assembleia, bem como estar presente no Secretariado para a Formação e os Estudos como representantes de todos os frades da respectiva etapa. Para secretários, foram eleitos os confrades: Frei André Luís dos Santos, OFM e Frei Vinícius Alves de Oliveira, OFM. Ambos devem auxiliar os moderadores na organização da assembleia, além de redigirem as atas e realizarem a comunicações entre todos os participantes.

Após as eleições, aconteceu a partilha pessoal da caminhada formativa, abordando de maneira humana e madura as potencialidades e limitações. Na sequência proferimos a oração da Coroa Franciscana, seguida da Celebração da Palavra. À noite nos confraternizamos em gratidão para comemorar nosso dia de verdadeira abertura e partilha de coração.

A quarta-feira (06) teve a manhã marcada com a assessoria do Vigário Custodial, Frei Valmir Ramos, OFM, que via Google Meet, abordou o tema desta edição. Durante a tarde, aconteceu também remotamente, o diálogo com o Secretário para a Formação e os Estudos, Frei Valdemir Nelo Rufino, OFM (Frei Miro), onde houve a oportunidade de poder partilhar acerca da vida acadêmica e experiências vividas durante o primeiro semestre deste ano. À noite participamos do Terço Rural, juntamente com a Fraternidade Local, seguida do recreio fraterno.

Na manhã da quinta-feira (07), recebemos diretamente de Roma/Itália, por vídeo chamada, o nosso Custódio, Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM. O mesmo partilhou suas experiências durante esse tempo na Itália e dialogamos com ele sobre andamento da assembleia. Logo após, iniciou-se um momento de espiritualidade orientado por Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM, que nos motivou a refletirmos acerca da nossa vocação franciscana.

Terminado o momento de retiro/espiritualidade, encerramos a 27ª edição da Assembleia dos Frades de Profissão Temporária com a celebração da Santa Missa, próximo ao cemitério do nosso Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP. Após o almoço, partimos para o momento de confraternização, onde comemoramos o bom êxito da mesma.

Gratos a Deus pela dádiva da Fraternidade, agradecemos aos confrades que nos acolheram durante estes dias, bem como toda a Fraternidade Custodial, por cuidarem e zelarem pela nossa formação. Que Deus abençoe a cada confrade e fiel, que durante toda a nossa caminhada tem rezado pela nossa perseverança.

Fraternalmente,

Frei Vinícius Felipe Armani Pedro, OFM


Resumo – 27ª Assembleia dos Frades de Profissão Temporária (2022)

Inicia-se em Franca/SP a 27ª Assembleia dos Frades de Profissão Temporária

Franca (SP) – Com inspiração e alegria de viver em comunhão uns com os outros e também pelo o anseio por poder partilhar a vida e missão, nesta segunda-feira (04) no Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP, deu-se início a 27ª Assembleia dos Frades de Profissão Temporária.

Para este encontro, estão reunidos os frades: Frei André Luíz dos Santos, OFM, Frei Cristiano Nobre de Oliveira, OFM, Frei Paulo Henrique Castro Souza, OFM, Frei Vinícius Alves de Oliveira, OFM e Frei Vinicius Felipe Armani Pedro, OFM, todos pertencentes a etapa do pós-noviciado e residentes na Fraternidade Nossa Sra. de Fátima, em Marília/SP.

Vivenciarão quatro dias de verdadeiras experiências de Fraternidade, na qual os frades são convidados a refletirem acerca de sua vida e missão na Ordem dos Frades Menores, com o tema: “Fraternidade, trabalho e espiritualidade”, ligando e culminando com os três primeiros anos de experiências ligados a Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus.

Recordaremos o Aspirantado, pois é nesta etapa que vivemos a nossa primeira experiência de Fraternidade Franciscana, conhecendo mais de perto o carisma de nossa Ordem Franciscana, onde acontecem fortes momentos de união e companheirismo, criamos verdadeiros laços de amizade e irmandade, em seguida o Trabalho, onde temos forte experiência no Postulantado, além do trabalho com as próprias mãos, somos convidados a aprender a trabalhar nosso interior, pois é algo de dentro para fora, sempre trabalhando com fidelidade e com muita alegria, reunindo todas as atividades em prol de nosso crescimento humano e espiritual.

E por fim, a Espiritualidade que é base de nossa vida, que reúne e culmina com chave de ouro. Vivenciamos este tempo mais profundamente no Noviciado, onde reunimos nossas virtudes em prol de realçar as virtudes do outro, observando sempre o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Por lema, o encontro contará com a seguinte inspiração: “Toda vocação verdadeira é um encontro”. Quando descobrimos e colocamos em prática todas as experiências vividas durante nossos primeiros anos de formação, conseguimos ser verdadeiros religiosos, capazes de religar Deus e os homens, uma experiência que se dá todos os dias e deste modo, contamos com vossas orações durante esses dias, no qual vivenciaremos o “Kairós” de Deus.

Em Francisco e Clara, PAZ e BEM!

Frei Vinícius Felipe Armani Pedro, OFM

Frades de Profissão Temporária participam da Semana Interprovincial de Formação Franciscana

Aconteceu durante esta semana (17 a 21 de janeiro de 2022), a “Semana Interprovincial de Formação Franciscana”, destinada aos frades de profissão temporária das seguintes entidades: Província Santa Cruz (MG), Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil (GO, TO e DF), Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora (MT e MS) e da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus.

Este encontro teve por objetivo estudar e aprofundar assuntos acerca da Espiritualidade Franciscana, além de uma maior integração dos frades das entidades acima referida, estreitando os laços fraternos.

A “Semana Interprovincial de Formação Franciscana” era para ter acontecido de maneira presencial, no Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP. Contudo, devido ao grande aumento dos casos de COVID-19, a organização achou por bem realizá-la de maneira remota (online).

Imagem (Fonte): Captura de Tela (Meet) – Frei Aldir Crocoli, OFMCap, em um dos momentos da formação.

A Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus foi a anfitriã da formação e convidou o Frei Aldir Crocoli, OFMCap, da Província Capuchinha do Rio Grande do Sul, que é Doutor em Franciscanismo. Durante esta semana, Frei Aldir, OFMCap, trabalhou e aprofundou de forma dinâmica, os capítulos 1, 7, 9 e 14 da Regra não-Bulada.

Foi possível perceber através deste estudo orientado por Frei Aldir, OFMCap, a grande riqueza desta regra, e que nas maioria das vezes, acabamos por ler sem realizar o devido aprofundamento. O estudo contribuiu para aprofundarmos o nosso conhecimento acerca da Cristologia Franciscana, bem como sobre a importância do conhecermos afundo a forma de vida em que nós, frades, escolhemos de livre e espontânea vontade viver, seguindo assim, os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Imagem (Fonte): Captura de Tela (Meet) – Frei Aldir Crocoli, OFMCap, durante os agradecimentos.

Os temas abortados por Frei Aldir, OFMCap, nos provocou a uma reflexão que é impossível não levá-la para o nosso cotidiano, como frades menores, seja em relação a convivência fraterna junto dos nos irmãos da Ordem ou junto com o povo de Deus. Assim sendo, agradecemos a Deus por tal dádiva e rogamos a Ele que continue abençoando este exímio frade, Frei Aldir, OFMCap, por nos conduzir com maestria durante os estudos desta semana. Que Deus nos dê a graça da santa perseverança!

Frei Douglas Brito Ribeiro Atanazio de Sousa, OFM (Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora – MT e MS)

Noviços professam os primeiros votos em Catalão/GO

No dia em que a Igreja celebra a Festa do Santíssimo Nome de Jesus, 03 de janeiro, doze noviços (7 da Província do Santíssimo Nome de Jesus do Brasil – GO/TO e DF, 4 da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus – SP/MG e 1 da Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora) professaram seus primeiros Votos Religiosos de obediência, sem nada de próprio e em castidade na Paróquia Mãe de Deus, em Catalão/GO.

Para ser um Frade Franciscano é preciso sentir a vocação, ou seja, sentir-se chamado por Deus a trilhar um percurso que te interpela a uma vivência em fraternidade e, com outros vocacionados; abraçar uma vida em comum e consagração a Deus no serviço a Igreja e ao Povo. É uma forma também de confirmar teu batismo de modo mais profundo. Esta vida deve configurar-se na pessoa de Jesus, tendo os Evangelhos como instrumento vivo e atual, e São Francisco como inspirador de uma espiritualidade que te faz sentir e te alimenta nessa experiência vocacional.

Ser Frade é estar ao serviço dos menores e excluídos da sociedade e ir de encontro as periferias existenciais e locais, lá onde estão as dores físicas, sentimentais e sociais. É ser um com todos, é ser irmão, onde possam construir um reino de justiça, equidade e bem-comum. E nessa certeza evangélica, abraçar um projeto que faça vencer o ódio, a fome, a violência, o genocídio, uma pandemia, um sistema que fere e mata, pois ser frade é querer e desejar do fundo do coração um mundo de amor.


Frades da Custódia, que professaram os primeiros votos:


Esse é um pouco do objetivo principal de ser um franciscano, além dos estudos, trabalhos, missões, serviços e ministérios confiados a cada vocacionado que deseja se lançar nessa vida. E isso foi o desejo de cada noviço que professaram seus votos. Uma etapa experimentada em suas vidas de muitas outras que virão. O noviciado é uma experiência de vida conventual e fraterna que são vividas durante um ano, que ao seu término, com satisfação e alegria, dão a cada um sentimentos particulares que os fazem olhar o mundo no modo de Cristo e de São Francisco.

Que cada neo-professo seja uma gota da graça de Deus e espalhem com fé e alegria a paz e o bem a todos os homens e mulheres por Deus amado.

PAZ e BEM!

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Frei Suelton faz partilha da experiência missionária realizada em Capaccio/Itália

Eu, Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM, frade do quinto ano de Profissão Temporária da nossa Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus, venho por meio desta relatar minha experiência do ano missionário realizado aqui na cidade de Capaccio nos anos de 2020 e 2021.

Essa missão aqui na cidade de Capaccio Capoluogo iniciou no dia 14 de setembro de 2018. A cidade está situada na Província de Salerno de frente ao Mar Tirreno, sul da Itália. Aqui nos firmarmos para darmos início a vida e missão nos moldes dos Santos Evangelhos e com Espiritualidade Franciscana.

No primeiro momento, quero recorda a disponibilidade dos frades por me acolherem no meio deles de forma simples e singular. Ao Frei Ademir (Neco) que junto com Antonio Martorano (Organista do Convento) foram até o aeroporto em Roma no dia em que cheguei (16 de fevereiro de 2021) e me acolheram e portaram-me até a Capaccio. Ao Frei Flaerdi que, ao me ver, agradeceu por eu ter aceitado em colaborar com a missão e ser um com eles. Frei Patrick que organizou um quarto para minha comodidade, bem como se preocupou em deixar-me uma semana tranquilo para me adaptar, depois tivemos a primeira conversa fraterna e, assim, me apresentou a programação da casa bem como o funcionamento da mesma. Por fim, a grande acolhida do povo de Capaccio e Monteforte (duas cidades onde temos paróquias) que não mediram esforços em prepara um belo momento fraterno de acolhida.

Aqui em Capaccio e seus distritos circunvizinhos pude notar a forte presença da Família Franciscana por meio da OFS e a expressiva quantidade de jovens e crianças. Estes sempre relatam que estavam a 20 anos sem a presença religiosa-espiritual dos frades e se encontravam dispersos e necessitados, mesmo com a participação ativa dos leigos e leigas quando assumiram o cuidado do Convento durante todo esse tempo. Nossa presença missionária tem reacendido nesse povo a alegria e o espírito de cada um e cada uma, na certeza de que suas preces e orações valeram a pena, pois hoje acolhem aquilo que um dia era esperança.

Também é notório a numerosa presença de imigrantes com destaque no trabalho na agricultura, e muitas das vezes um trabalho irregular e escravo; as mulheres que são obrigadas a se prostituírem-se para sua sobrevivência e de seus filhos. Muitas delas exploradas por grupos de mafiosos. São poucos os que conseguem se estabelecer e seguir um percurso de vida, digamos que, mais tranquila. E, diante disso, nos encontramos para colaborar e somar forças com a Cáritas Italiana, a Conferência Episcopal Italiana (CEI), a Diocese local e com a Liga Ambiente (Legambiente – ONG) que ambos já realizam trabalhos a anos com os imigrantes, como por exemplo: acolhida, vestimentas, documentações, residência, alimentação, trabalhos, medicamentos, estudos e etc.

Passados três semanas da minha chegada aqui na Itália, acompanhando o nosso trabalho fraterno junto aos imigrantes, infelizmente, logo em seguida, tudo foi obrigado a ser fechado por conta da pandemia do COVID-19 e nós tínhamos que permanecermos em casa, como vocês também tem experimentado esse fato. Porém, busquei e continuei buscando vivenciar intensamente esse momento importante do ano apostólico como extensão necessária e oportuna na minha vocação, principalmente nas dimensões de Fraternidade, Missão, Trabalho, Formação, Cultura e Estudos. Aproveitei cada momento com simplicidade e alegria, e todas as circunstâncias que o dia-a-dia me trouxe. No aspecto da espiritualidade, também, tenho buscado “não perder de vista meu ponto de partida”, ou seja, naquilo que acredito e depositei com fé, esperança e amor: Cristo e seu Evangelho.

No mês de junho algumas coisas começaram a funcionar e pudemos nos transitar, mas de maneira bem restrita, ou seja, foi um semestre totalmente recluso, sem no mínimo podermos praticar alguma atividade pastoral, por exemplo. O que nos fortalecíamos eram as orações em fraternidade e pessoal. As mídias sociais nos deram grande oportunidade de estarmos vizinhos do povo de Deus. Aos poucos, e com muita prudência, no segundo semestre nós pudemos nos movendo e procurando aplicar alternativas viáveis no âmbito pastoral da nossa missão e evangelização, seja nas paróquias, no convento, em fraternidade, como junto aos imigrantes. Durante o tempo da Pandemia, nossa fraternidade e a fraternidade da OFS realizamos a confecção de máscaras, e junto a nossas Paróquias realizamos as entregas para os migrantes.  

A nossa missão, desde o projeto inicial, segue as orientações do Papa Francisco de ser igreja em saída, de sair do comodismo e de ser anunciadores da Alegria do Evangelho. Buscamos ser presença espiritual, acolhedora e orientadora.

Em 2021 Criamos a Missa para os Imigrantes na qual arrecadamos alimentos não perecíveis e produtos de higiene pessoal e de limpeza. Entregamos a mais de 20 famílias de migrantes espalhadas pelas cidades vizinhas. Nesse tempo também me dediquei a estudos pessoal sobre teologia, franciscanismo, italiano (no qual sou muito grato ao Professor Gaetano Puca que com maestria me ajudou muito) e aproveitei também para participar e organizar, junto ao JPIC da nossa Custódia, formações on-line sobre a Laudato Sii, Economia de Francisco e Clara e Análise de Conjuntura Política do Brasil. Também destaco a maravilhosa e impagável experiência de conhecer grandes e principais lugares de forte cultura e de espiritualidade franciscanos, onde se fala fortemente sobre São Francisco e Santa Clara, além de Santo Antônio, São Bernardino de Sena e entre outros santos e santas franciscanas que viveram por aqui na Itália: Assis, Pádua, Veneza, Roma, Nápoles, Ilha de Capri.

Foram tempos bem proveitosos em que pude experimentar com dedicação, desde confecções de produtos próprio que o convento produz por meio da Fraternidade da OFS: Marmeladas, Licores, produtos em conserva de óleo e vinagre (típico italiano), como limpeza do convento, trabalhos braçais nas paróquias, liturgias, de modo particular celebrar a Liturgia da Palavra com a distribuição da Sagrada Comunhão. Enfim, atividades que não faltaram, experiência fraterna que nos fortificaram e unidade com a igreja e o povo que nos motivaram e motivam em nossa caminhada cristã e vocação religiosa franciscana.

Me encontro feliz e realizado na minha vocação Religiosa Franciscana. Busco sempre perfazer e se reencantar nesse ideal de vida que São Francisco nos deixou. Só tenho a agradecer, porque, “até aqui nos ajudou o Senhor Deus” (1Sm). Peço-vos vossas orações e preces, e também me coloco em comunhão de orações por todos.

Que Deus, por intercessão do nosso Seráfico Pai São Francisco de Assis, nos abençoe e nos guarde sempre. Desejo-vos saúde e felicidades. Paz e Bem!

Fraternalmente em Cristo, Francisco e Clara de Assis,

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Frades de Profissão Temporária renovam os votos em Franca/SP

Nos dias 26 e 27 de novembro, os Frades de Profissão Temporária da Custódia estiveram reunidos em Franca/SP no Convento Santa Maria dos Anjos para o retiro em preparação da renovação dos seus votos de obediência, sem nada de próprio e em castidade.

O retiro foi conduzido por Frei Valmir Ramos, OFM, que os introduziu refletindo a importância da Vida Consagrada para Igreja e a Sociedade, bem como refletiu a importância dos três votos religiosos. O Frei iniciou dizendo que “o retiro é um momento de conversa profunda com Aquele que nos chamou, Deus” e continuou dizendo que essa conversa deve estar ligada com a mesma pergunta que São Francisco fez ao crucificado: “Senhor, que queres de mim, que queres que eu faça?”. Frei Valmir concluiu sua introdução ao retiro motivando os freis de que “se querem serem homens de Deus, terão que se integrarem totalmente no barco”, barco esse simbolizando a entrega total a vida e missão de Jesus, tendo o evangelho como caminho e guia.

Na sintonia introdutória, os frades de profissão temporária foram impulsionados e animados pela luz da Palavra de Deus, em Mateus 16, 24-28, a discernirem com firmeza seus propósitos de vida abraçadas na e com a fraternidade franciscana. Frei Valmir os lembrou que o Evangelho indica a “tomar sua cruz, e que por trás dessa cruz tem um projeto, projeto do Pai para seu filho que reflete em nossas particulares vidas, e que isso deve ser doado na implantação do Reino de Deus.”

Os votos, dizia Frei Valmir: “é a renúncia de si mesmo, é o renunciar o meu para assumir uma missão, um projeto maior que vem de Deus, que está nos evangelhos.” E termina dizendo que “os votos são um caminho que conduz a liberdade, porque é um caminho da justiça e da liberdade. Observar esses valores e abraçar o Evangelho é deixar-se ser conduzido pela nossa forma de vida.”

Os Frades de Profissão Temporária: Frei Cristiano Nobre de Oliveira, OFM, Frei João Paulo M. de Moraes, OFM, Frei Lucas de Oliveira e Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM, renovaram seus votos na mão do Custódio Frei Fernando A. dos Santos na noite de hoje (29/11), às 18:00hrs, durante a Santa Missa celebrada na Capela do Convento Nossa Senhora dos Anjos em Franca/SP. Na Celebração estiveram presentes alguns frades e postulantes, e foi transmitida pela Página do Facebook da Custódia.

Meu irmão e minha irmã, rezem por esses freis para que o Senhor os conduza sempre e os fortaleçam na vocação de frades menores, plantando o reino da “fratellanza”, da justiça e do amor, sem deixar de olharem para os pequeninos e suas periferias existenciais. Deus nos abençoe e nos guarde sempre.

PAZ e BEM…

Fraternalmente,

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Frades de Profissão Temporária se reúnem em Garça/SP para Assembleia

No dia 03 de agosto de 2021, nas dependências da Fraternidade Nossa Senhora de Lourdes, Garça, SP e do Patronato Juvenil Garcense, deu-se início a XXVI Assembleia dos Frades de Profissão Temporária, com o tema “Somente identificando-se com os últimos, é que se chega a ser irmão de todos!” (FT nº 287). Estão presentes Frei Cristiano Nobre, OFM, residente na fraternidade de Marília/SP, Frei Lucas de Oliveira, OFM e Frei João Paulo Gabriel, OFM, residentes na fraternidade de Garça/SP e Frei Suelton Costa, OFM, residente na fraternidade de Capaccio/Itália. 

A Assembleia tem por objetivo reunir os frades de profissão temporária e promover a interação e a partilha, e com isso, gerar uma auto-avaliação da caminhada vocacional de cada um, como também o olhar dos frades em relação à instituição custodial, como consta no Artigo primeiro do Estatuto da Assembleia dos Frades de Profissão Temporário:

Art. 1 – A Assembleia dos Professos Temporários se constitui como encontro dos frades de profissão temporária para celebrar, partilhar e avaliar a própria caminhada vocacional, bem como o itinerário formativo da Custódia, visando o seu aperfeiçoamento. (2016, p. 2).

A partir da dinâmica proposta, os participantes têm a oportunidade de discutir sobre sua conduta na caminhada vocacional e formativa contando com a abertura de seus pares, a fim de aprofundar partilhas pertinentes à etapa de formação inicial, com o intuito de somar com a Custódia do Sagrado Coração de Jesus, naquilo que lhe é oportuno. (cfr. CCGG 129, 1-2; Ratio Formationis Franciscanae nº40).

O momento foi iniciado com a presença de Frei Suelton Costa, OFM, de forma remota, o que causou um sentimento de proximidade, uma vez que há cerca de um ano e meio este irmão se lançou na missão italiana.

Na oportunidade, e refletindo o tema deste ano, os frades estão se percebendo diante da caminhada vocacional e buscando seguir o ritmo que a Vida Religiosa Franciscana tem a oferecer, com a intenção sempre de se voltar àqueles mais necessitados, que São Francisco chamou de irmãos.

Com o espírito celebrativo e na intenção de horizontes cada vez mais frutíferos nos territórios e serviços custodiais, os frades reunidos se propõem, até a sexta-feira próxima (06/08), em ritmo de fraternidade, para rezar e criar ainda mais o sentido de pertença à Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus.

Frei João Paulo Gabriel, OFM

Visitador Geral foi acolhido pela Fraternidade de Marília/SP para a Visita Canônica

Visitador Geral com a Fraternidade de Marília/SP | (Da esquerda para a direita: Frei Cristiano, OFM, Frei Joaquim, OFM, Frei Wanderley, OFM, Frei Roberto, OFM – Guardião e Frei Alef, OFM

Foi com alegria que nós, frades da Fraternidade Nossa Sra. de Fátima de Marília/SP, à saber: Frei Roberto Luiz dos Santos, OFM (Guardião, Pároco e Formador), Frei Joaquim Camilo Alves, OFM (Vigário Local e Paroquial, Vice-Formador e Ecônomo), Frei Alef Henrique Pavini, OFM e Frei Cristiano Nobre de Oliveira, OFM, acolhemos durante estes dias (4 a 9 de junho) o Visitador Geral, Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM, para a Visita Canônica em vista do Capítulo Custodial que acontecerá em novembro próximo, em Brodowski/SP.

Frei Wanderley, OFM chegou na tarde da sexta-feira (04) e foi recebido pelos frades da fraternidade local. À noite, realizamos um recreio festivo de acolhida, partilhando e celebrando a vida em Fraternidade.

Jantar de acolhida do Visitador Geral

Durante a manhã de sábado (05), Frei Alef, OFM levou o Visitador até a Fraternidade de Garça/SP para a celebração e finalização de alguns detalhes da Visita Canônica, já realizada (15 a 20 de maio). Contudo, durante a semana de visita houveram reuniões dos conselhos (Custodial e Formação) na mesma fraternidade, não permitindo a celebração do Capítulo Local.

Retornamos para o almoço na Fraternidade de Marília/SP e a parte da tarde foi dedicada para conversa do Visitador com o Frei Joaquim, OFM. Às 19h Frei Wanderley, OFM presidiu a celebração eucarística junto da Fraternidade Local e da comunidade paroquial. No ensejo agradeceu e pediu desculpas: “Obrigado por acolherem a todos os frades já passaram por aqui e os que hoje estão convosco. Desculpem-nos por nossas falta e limitações! Contamos sempre com as vossas orações!”.

A manhã do domingo (06), deixamos livre para as celebrações e apreciamos um almoço muito bem preparado pelo confrade, Frei Cristiano, OFM. A parte da tarde ficou destinada para a conversa do mesmo com o Visitador Geral. Ao término da conversa, Frei Wanderley, OFM ficou livre, onde colocou os dons culinários à serviço dos confrades, conforme pediu. Após os compromissos do dia, celebramos o recreio fraterno preparado pelo Visitador, contando com a presença da Fraternidade de Garça/SP.

Fraternidades de Marília/SP e Garça/SP celebrando o recreio fraterno

Na segunda-feira (07) pela manhã, Frei Wanderley, OFM junto com o Frei Joaquim, OFM (Capelão das Clarissas), foram celebrar a santa missa no Mosteiro Maria Imaculada de Marília/SP, mosteiro das Clarissas. Após a celebração, o Visitador fez um breve encontro com elas, onde partilharam a vida e falaram sobre a presença e assistência dos frades. A parte da tarde ficou reservada para a conversa particular com o Frei Alef, OFM. 

Às 20h30 aconteceu de maneira remota (via meet), a reunião do CPP (Conselho de Pastoral Paroquial), onde as lideranças da paróquia partilharam a vida da comunidade e relataram um pouco sobre a presença dos frades.

Reunião do CPP (Conselho de Pastoral Paroquial)

Durante a visita, houve também um momento com Dom Luiz Antônio Cipolini, Bispo Diocesano de Marília/SP, da qual as Fraternidades de Marília/SP e Garça/SP fazem parte. Este momento aconteceu na manhã da terça-feira (08), onde o Visitador Geral pôde ouvir um pouco sobre a presença dos franciscanos menores nesta porção do povo de Deus. Na parte da tarde Frei Wanderley, OFM conversou com o guardião, Frei Roberto, OFM. Às 19h30, aconteceu o encontro com a OFS (Ordem Franciscana Secular), Fraternidade Monte Alverne de Marília/SP e também com representações da Fraternidade Santa Isabel da Hungria de Pompeia/SP que está sendo acompanhada, porém ainda não oficializada.

No último dia da visita (09), Frei Wanderley, OFM presidiu celebração eucarística na capela interna da fraternidade e após, realizou um Capítulo Local. Na oportunidade, leu o relatório da Visita Canônica e ao término, tomamos um café festivo e nos despedimos. O Visitador Geral seguiu para a última fraternidade à ser visitada, a Fraternidade do Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP.

Fraternidade de Marília/SP com o Visitador Geral após o Capítulo Fraterno

Agradecemos a presença fraterna de Frei Wanderley, OFM entre nós e suplicamos as bençãos de Deus sobre ele, para que possa continuar desempenhando com êxito este serviço em prol de nossa Custódia e de toda a Ordem dos Frades Menores.

Fraternalmente,

Fraternidade – Marília/SP

Frei Wanderley Figueiredo, OFM foi acolhido pela Fraternidade de Garça/SP para a Visita Canônica

Fraternidade de Garça/SP com o Visitador Geral | (Da esquerda para a direita: Frei José Ricardo, OFM – Guardião e Formador, Frei Lucas Oliveira, OFM, Frei Wanderley, OFM, Frei Ademir, OFM (Neco), Frei Edson, OFM – Pároco e Frei João Paulo, OFM)

Foi com alegria que a Fraternidade Nossa Senhora de Lourdes de Garça/SP, acolheu durante estes dias (15 a 20) o Visitador Geral, Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM, para a Visita Canônica devido ao Capítulo Custodial que acontecerá em novembro deste ano, em Brodowski/SP.

Fraternidade Local com o Visitador Geral, Frei Wanderley, OFM durante o almoço

Frei Wanderley, OFM chegou na fraternidade para o almoço e na noite deste primeiro dia (15), celebrou a eucaristia na Paróquia-Santuário Nossa Senhora de Lourdes, um dos campos de evangelização dos frades desta fraternidade, à saber: Frei José Ricardo Terêncio, OFM (Guardião e Formador), Frei Edson Pereira Lopes, OFM (Pároco), Frei Ademir Matilde, OFM (Frei Neco), Frei João Paulo Gabriel, OFM e Frei Lucas Oliveira, OFM; e após, seguiram com o jantar.

Pela manhã do domingo (16), celebrou a Santa Missa com a comunidade pertencente a Paróquia-Santuário, comunidade São Vicente de Paulo, anexa ao Asilo São Vicente de Garça/SP. Ao retornar para a fraternidade, os frades realizaram um almoço festivo devido a presença do Visitador Geral. Às 19h Frei Wanderley, OFM celebrou a missa na Paróquia-Santuário Nossa Senhora de Lourdes junto com a Fraternidade Local. Ao término da celebração eucarística, aproveitaram para vivenciar um recreio festivo.

Na segunda-feira (17), Frei Wanderley, OFM teve um momento para conversar com as lideranças locais, onde se reuniu com o CPP (Conselho de Pastoral Paroquial). Na oportunidade, as lideranças puderam partilhar a vida, as experiências paroquiais; e rezaram pelo Capítulo Custodial.

Visitador Geral e Frei Edson, OFM com os membros do CPP (Conselho de Pastoral Paroquial)

Durante a visita canônica, o Visitador Geral aproveitou para conversar com cada confrade da Fraternidade Local; com a Família Franciscana presente neste território, bem como, visitou uma das obras sociais da nossa Fraternidade Custodial, o Patronato São Francisco de Assis.

Frei Wanderley Figueiredo, OFM no ensejo, exortou e procurou animar aos frades na caminhada. Fez também algumas considerações em vista do Capítulo Custodial. A visita canônica encerrou na noite desta quarta-feira (19). Contudo, a despedida do Visitador Geral se deu no almoço da quinta-feira (20), junto com os frades membros dos Conselhos de Formação e Custodial, que se encontravam reunidos em Garça/SP.

Rogamos a Deus que continue abençoando e protegendo Frei Wanderley Figueiredo, OFM em sua missão e serviço em prol de nossa Custódia e Ordem.

Fraternalmente,

Frei José Ricardo, OFM (Guardião)

Frades de profissão temporária renovam seus votos!

“Comecemos irmãos, porque até agora pouco ou nada fizemos!” (São Francisco de Assis)

Esta é uma sentença dita por São Francisco, e reafirmada pelo Custódio, Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM, na homilia da celebração dos votos, que primeiramente se demonstra injusta por todo o trabalho e esforço empenhado no decorrer de um ano, no entanto, nos faz refletir acerca do que realmente é essencial para a vida e trabalho do frade menor, como também na necessidade que continua clamando ao nosso redor.

Desta forma, no último dia 28 de novembro, os Freis Lucas Oliveira e João Paulo Gabriel, emitiram a renovação dos conselhos evangélicos na capela do Convento Santa Maria dos Anjos, em Franca/SP. Já Frei Suelton de Oliveira renovou os votos na cidade de Capaccio, sul da Itália.

Os Conselhos Evangélicos são o que embasam os frades na caminhada rumo à vivência do Evangelho de Jesus Cristo, como assim desejava Francisco que fosse a vida da fraternidade. Não se trata somente de passar mais um ano em obediência, sem nada de próprio e em castidade, mas de configurar a vida à do Cristo, assumindo a sua forma de agir, de se relacionar com o Pai, no cuidado com a sacralidade da igreja, e no respeito e valorização digna dos homens. 

Por isso então que a fala de Francisco, mencionada acima, foi e é tão necessário nessa celebração de compromisso, uma vez que nos fez relembrar toda a caminhada neste ano de 2020, atípico com a vinda do novo coronavírus, e a extrema calamidade sofrida pelo povo de Deus; como também nos fez perceber que de todo esforço empenhado, o dom maior é a luz que recebemos de Deus, e que insistentemente é convidada a iluminar muitos que ainda não a viram.

Portanto, celebrar a renovação dos três votos a Deus, é confirmar com o coração cheio, que acreditamos no propósito de Jesus, e que configurando a ele, nos dispomos à concretude inicial do Reino de Deus aqui na Terra.

Nessa confiança, rogamos a Deus e à Virgem Maria, que continue nos conduzindo neste bom propósito, a fim de que possamos, não somente nós, mas todos os nossos irmãos, caminhar ao reino dos céus.

PAZ e BEM!

Frei João Paulo Gabriel, OFM