Frei Ignacio Ceja Jiménez, OFM é o novo Vigário Geral

Em 13 de maio de 2022, o Definitório Geral da Ordem, reunido na Cúria Geral em Roma/Itália, elegeu Frei Ignacio Ceja Jiménez, OFM para o serviço de Vigário Geral da Ordem dos Frades Menores, de acordo com o artigo 208 das Constituições Gerais da Ordem.

Frei Ignacio, é frade da Província Franciscana de São Francisco e São Tiago, nasceu em Guadalajara, no México, em 1961. Foi noviço de 1985 a 1986, fez a primeira Profissão em 1986, a Profissão Solene em 1988 e foi ordenado presbítero em 23 de maio de 1992.

Anteriormente foi Definidor Geral para a América Latina, Ministro Provincial da Província de São Francisco e São Tiago no México, Vigário Provincial da mesma, Mestre de Teologia, Mestre de Noviços e Guardião.

Frei Ignacio sucede o Frei Isauro Ulises Covili Linfati, OFM, que foi nomeado bispo de Iquique, Chile, em 23 de abril de 2022, pelo Papa Francisco.

Fonte: OFM

O apelo do Ministro Geral: O chamado missionário faz parte da nossa vocação

A todos os Irmãos da Ordem

Roma, 6 de maio de 2022

“O Senhor diz: ‘Eis que vos envio como ovelhas no meio de lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. Portanto, aqueles irmãos que por inspiração divina desejam ir entre os sarracenos e outros infiéis, deixem-nos ir com a permissão de seu ministro e servo”. (RegNB XVI, 1-3)

Caros Irmãos de toda a Ordem que o Senhor te dê a paz!

De 10 a 23 de fevereiro de 2022, fiz pessoalmente a visita canônica à Custódia dos Santíssimos Protomártires de Marrocos para conhecer diretamente esta realidade que depende do Ministro geral.

Experimentei esta oportunidade como uma verdadeira peregrinação numa terra única, durante a qual cresceram em mim as palavras da Regra não marcada há pouco, e com ela a consciência de que aqui está em jogo um ponto essencial do nosso carisma: estar com e estar entre as pessoas como transparência da Encarnação e da Paixão, do Bem que habita em cada criatura. 

Ao percorrer esta terra, trouxe comigo os irmãos de toda a Ordem, sentindo que aqui estamos jogando com algo muito vital: aderir a uma terra, um povo, uma cultura, línguas e outras visões do mundo, amando-os e buscando neles humildemente os vestígios da presença do Deus da vida. Nossas Constituições dizem: “Como seguidores de São Francisco e primeiros missionários da Ordem, os frades devem estar fortemente preocupados em ir humilde e devotamente entre os povos da religião islâmica, para os quais também não há onipotência senão Deus”.

Vivemos esta vocação em muitas partes do mundo. Marrocos é o lugar onde Francisco, Clara e António gostariam de dar um testemunho radical de Cristo, e onde os Mártires da Ordem o viveram. Agradeço a todos os frades que aceitaram a inspiração divina de vir viver com e entre este povo, como resposta ao chamado interior de dizer novamente sim à vocação de Frades menores. Com estas simples palavras, é minha intenção recordar a todos os frades da Ordem a vocação missionária que pertence de dentro à nossa vocação, que morre sem manter vivo este impulso. A necessidade de novos irmãos é muito urgente:

  • Na Custódia de Marrocos, encontra-se em anexo a apresentação específica;
  • No Sudão e no Sudão do Sul, onde se exige o conhecimento do inglês e do árabe, esperamos Irmãos para o serviço de formação e para o serviço pastoral e missionário em Cartum e Juba;
  • Na Custódia da Terra Santa há necessidade de formadores e frades que, aprendendo as línguas, possam ingressar nas diversas formas que a missão neste lugar exige hoje.
  • Na Rússia e na Líbia, precisamos de irmãos que estejam disponíveis para a missão em contextos difíceis.

Peço aos frades que sentem este chamado que o escutem na oração, que façam um discernimento pessoal e com o seu Ministro e se apresentem comigo através do Secretariado Geral para as Missões e Evangelização. Agradeço-vos mesmo que seja apenas para ouvir este chamado, coração da nossa vocação. Com a bênção de São Francisco, que nos quer irmãos e menores no mundo, saúdo-vos fraternalmente.

Fr. Massimo Fusarelli, OFM (Ministro Geral)

Fonte: OFM

Vigário Geral é nomeado bispo pelo Papa Francisco

Eleito no dia 14 de julho do ano passado para o sexênio 2021-2027, o chileno Frei Isauro Ulises Covili Linfati recebeu neste sábado, 23 de abril, uma nova missão: foi nomeado bispo pelo Papa Francisco para a Diocese de Iquique, no Chile.

O comunicado de sua nomeação foi feito pelo Ministro Geral, Frei Massimo Fusarelli, na Sala Duns Escoto da Cúria Geral, após a recitação do Angelus, ao meio-dia. Frei Massimo saudou o seu confrade na nova missão e disse que, em nove meses, sua presença no Governo Geral da Ordem dos Frades Menores foi “serena e construtiva”. A mesma manifestação teve o Definitório Geral que desejou um frutífero ministério episcopal.

Frei Isauro é natural de Lumaco, Diocese de Temuco, onde nasceu no dia 22 de março de 1961, filho de Pablo e Cecília. Ingressou no Noviciado dos Frades Menores em 16 de julho de 1981 e professou temporariamente em 16 de janeiro de 1983. Fez a profissão definitiva na Ordem dos Frades Menores em 20 de março de 1987 e foi ordenado sacerdote no dia 23 de novembro de 1990, na Igreja São Francisco da Alameda de Dom Carlos Oviedo Cavada, junto com seus confrades Claudio Salgado e Jorge Guajardo.

Frei Isauro foi eleito Ministro Provincial da Província da Santíssima Trindade do Chile no dia 16 de outubro de 2016 para o sexênio de 2017-2022. Na ocasião, ele era pároco em “São José Operário” do setor La Antena e Vigário Provincial da Província chilena.

Frei Isauro tem pautado sua vida por uma evangelização inclusiva e transformadora. Viveu durante oito nos em uma fraternidade de inserção numa zona periférica de Santiago e durante dez anos trabalhou como membro da entidade de não violência Sebastián Acevedo (ações nas ruas), contra a tortura em tempos de Augusto Pinochet; e foi membro de um grupo de formação contra a impunidade no início dos anos 90.

Frei Isauro também dividia o tempo na animação do serviço de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC) e na Pastoral Vocacional. No seu currículo, foi moderador da Formação Permanente, secretário da Formação Inicial na Província e na Conferência do Cone Sul; foi Visitador Geral da Província de São Francisco Solano do Peru e da Província de São Pedro e São Paulo no México; foi Definidor Provincial, Vigário Provincial e participou do Conselho Plenário da Ordem em 2018.

AGRADECIMENTO DO MINISTRO GERAL

Frei Massimo Fusarelli saudou o novo bispo e irmão Isauro em nome de todo o Definitório Geral, com quem partilhou estes nove meses de serviço, muito importantes para o trabalho em favor da Ordem. “O serviço compartilhado com o irmão Isauro tem sido muito bom e fraterno; Até agora teve delegações muito delicadas para o governo da Ordem, especialmente na América do Sul e Central, Terra Santa e Marrocos. A vossa presença no Definitório geral é positiva e construtiva. Sentiremos sua ausência. Ao mesmo tempo, como Ministro do Definitório geral, desejamos a Frei Isauro um fecundo ministério episcopal no estilo de fraternidade e minoridade de São Francisco e da Ordem. Em espírito de corresponsabilidade eclesial, aceitamos este chamado para servir a Igreja no Chile em um momento em que se exige uma nova resposta ao serviço do Reino de Deus. Sabemos que a Igreja no Chile vive um momento de grande e nada fácil conversão. Estamos certos de que a presença humana, fraterna e pastoral do Irmão Isauro poderá dar, com a ajuda de Deus, uma ajuda válida”, disse Frei Massimo.


DISCURSO DE FREI ISAURO

Aos meus queridos Irmãos da Ordem dos Frades Menores,

O Senhor te conceda a paz!

Inicio estas palavras de ação de graças com o alegre anúncio da Vigília Pascal: “Aleluia, Aleluia, O Senhor ressuscitou, Aleluia Aleluia”. É a melhor e mais bela expressão de alegria, júbilo e de um futuro eterno que a Igreja tem para conter e expressar a vida e celebrar a Eucaristia, sacramento permanente da Kénosis de Jesus Cristo que enche toda a Igreja de esperança e de uma nova visão de toda a humanidade.

Compartilho com vocês que, assim como meus irmãos no último Capítulo Geral me escolheram para servir a Fraternidade como Vigário Geral, o Papa Francisco Bispo de Roma e da Igreja Universal me devolve ao Chile para ser Pastor-Bispo da diocese de Iquique .

Desde meus inícios vocacionais tenho claro de que vim para a vida franciscana para ser frade e assim me formei em minha Província do Chile. Servi com generosidade e alegria em muitos cargos confiados sem procurá-los.

Sou irmão franciscano de fé em Jesus Cristo pobre e crucificado e de uma comunidade-fraternidade que o expresse e anuncie de igual forma. Sempre procurei estar atento à situação dos mais pobres e aprender a ler o presente com os outros, em suas luzes e sombras.

Nestes dez meses na Cúria senti-me muito bem, colaborei e aprendi muitas coisas. Posso dizer-lhes que os irmãos que formamos esta Fraternidade internacional cultivamos um bom clima fraterno de respeito, oração, alegria, responsabilidade e trabalho. Cultivamos boas relações e colaboração entre os Definidores e, especialmente para mim, foi muito agradável trabalhar com Frei Massimo, Ministro, na animação da Ordem. Com simplicidade dei o meu melhor em tudo que me foi confiado.

Depois de falar com o Ministro e rezar, aceitei a nomeação do Papa Francisco. O que tem me ajudado é:

Nas últimas semanas rezei com o Ícone do Cristo de São Damião que, como todos sabemos, falou ao nosso pai São Francisco e a nós hoje “Ide e reparai a minha Igreja que ameaça ruir” (2Cel 10; LM 2, 1; TC 13).

A realidade que a Igreja vive no Chile com suas luzes e sombras. Especialmente o tema dos abusos e a necessidade de continuar seguindo o caminho da vida evangélica, reparação, simplicidade e sinodalidade.

Pessoalmente, não me apego a ofícios, aceito-os e vivo em liberdade como um dom recebido para servir. Os frades do Definitório geral saberão dar um novo frade para servir a Ordem como Vigário Geral.

Digo-vos que, a partir da minha experiência pastoral, e agora da nomeação de Bispo, me anima a ser Pastor no meio do Povo de Deus, caminhando com todos, atravessando fronteiras, fronteiras e sendo uma Comunidade chamada a configurar-se com o Ressuscitado que tem as pegadas da Cruz, para que muitos crucificados possam ser abraçados e abaixados da cruz com uma vida digna.

Confiando em Maria, Virgem feita Igreja, em São Francisco, em Santa Clara e em milhares de irmãos e irmãs de ontem e de hoje, discípulos fiéis de Jesus me ajudarão a ser pastor no estilo de Jesus.

Com eterna gratidão.

Frei Isauro Covili Linfati, OFM

Fonte: OFM / Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Exercícios espirituais dos Ministros Gerais Franciscanos e seus Definidores no Monte Alverne

De 4 a 9 de abril, no Santuário Franciscano do Monte Alverne, em Arezzo (Itália), realizaram-se os exercícios espirituais dos Ministros Gerais e dos Frades Definidores Gerais da Primeira Ordem Franciscana e da Ordem Terceira Regular: Ordem dos Frades Menores (OFM), Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, Ordem dos Frades Menores Conventuais e Ordem Terceira Regular (TOR).

Juntamente com os quatro Ministros Gerais – Frei Massimo Fusarelli, OFM, Frei Roberto Genuin, OFMCap, Frei Carlos Trovarelli, OFMConv, e Frei Amando Trujillo Cano, TOR- 26 irmãos que fazem parte dos Definitórios da Primeira Ordem participaram Monte Alverne.

Durante os três primeiros dias as reflexões foram conduzidas por Frei Antonio Ramina, OFMConv, Reitor da Basílica de San Antonio de Pádua, e os dois últimos dias por Frei Francesco, OFM, chefe da ermida do Alverne.

Os exercícios terminaram neste sábado, 9 de abril, com a reunião da Conferência de Ministros Gerais.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Termina a 1ª Assembleia Ampliada da Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul

São Paulo (SP) – A 1ª Assembleia Ampliada da Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul terminou nesta sexta-feira, 25 de março, com a Celebração Eucarística às 10h30, na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro do Ipiranga, em São Paulo. Os frades das 12 entidades franciscanas que formam a Conferência estiveram reunidos desde a segunda-feira, dia 21.

O novo governo da Conferência – formado por Frei Daniel Alejandro Fleitas Zeni, Frei Fernando Aparecido dos Santos e Frei Marino Rohden – presidiu a Santa Missa neste dia solene da Anunciação do Senhor.

Na sua homilia, o presidente da Conferência, Frei Daniel Fleitas, lembrou que ontem também celebramos São Oscar Romero, um dos personagens mais luminosos por sua vida, sua história e seu carisma.

Ele nunca perdeu sua experiência de luta e o caminho de conversão dentro do ministério do seu serviço como pastor. Por isso foi chamado profeta de nosso tempo”, disse.

“Um profeta como no Evangelho está sempre disponível a anunciar, a descobrir e, sobretudo, buscar caminhos novos para a esperança”, acrescentou. O profeta, segundo o celebrante, sabe o tempo oportuno para a boa notícia e para a esperança.

Para Frei Daniel, os profetas não sou protagonistas da história com braços cruzados. “Nunca estão sentados. O profeta sempre abre caminhos. Arriscam sua própria vida”, lembrou.

“Irmãos, partilhamos quatro dias de escuta, de experiências e de intercâmbios. Que possamos levar essa experiência de vida às nossas comunidades e entidades. A Conferência não é uma experiência nacional, a conferência somos nós. A conferência do Brasil e Cone Sul é a expressão do anúncio da boa notícia. Eu os convido para que sejamos profetas como Romero, como Maria, que anunciam o caminho de esperança a nosso povo”, propôs.

“Como Maria, como São Romero, somos chamados a ser profetas.  Não detenhamos o tempo da graça. O profeta sabe entregar-se e sabe oportunamente deixar que outro continue. Que Maria seja para nós um compromisso de esperança e de alegria para para nosso povo e nossas entidades!”, pediu o celebrante.

No final da celebração, Frei Daniel agradeceu a todos os participantes, os frades do Governo Geral, especialmente o Definidor Frei César Külkamp, que acompanhou de perto o nascimento da nova entidade, os frades da Província da Imaculada pela organização da Conferência, através do Ministro Provincial Frei Paulo Roberto Pereira, as Irmãs da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição (CIIC), que acolheram este evento e todos os envolvidos nesta primeira Assembleia da Conferência.

Neste último dia, os frades votaram as propostas apresentadas pelos Ministros e Custódios e os secretários para a Formação e Estudos, secretários para as Missões e a Evangelização, moderadores para a Formação Permanente, coordenadores do Serviço de Animação Vocacional, Animadores da JPIC, Animadores da Pastoral Educacional.

Também foi dia de festa na Conferência pelos aniversariantes Frei Fidêncio Vanboemmel, ex-Ministro Provincial da Província da Imaculada e moderador da Formação Permanente, e Frei Rogério Viterbo de Souza, da Custódia das Sete Alegrias de Nossa Senhora.

O novo governo da Conferência e os coordenadores dos serviços

O Vigário Geral, Frei Isauro Covili, enviou a seguinte mensagem aos frades: “Gostaria de saudar todos os irmãos que participaram da Assembleia com grande entusiasmo e reflexão.  Saúdo especialmente os irmãos que foram eleitos para animar os diversos serviços, para o bem da Conferência. Convido a todos vocês a buscar sempre caminhos de fidelidade carismática, tendo em mente o Documento Final do Capítulo e as orientações para o período de seis anos. Certamente, vocês estabeleceram alguns desafios para este tempo e que o Senhor lhe dê seu Espírito para levá-los adiante. Com os melhores cumprimentos”, desejou Frei Isauro.

Moacir Beggo

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Frei Daniel é eleito presidente e Frei Fernando vice-presidente da nova Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul

São Paulo (SP) – As eleições do presidente e dos coordenadores dos serviços da 1ª Conferência Franciscana do Brasil e do Cone Sul foram os destaques neste quarto dia (24/3) da 1ª Assembleia Ampliada, que está em andamento na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro Ipiranga, em São Paulo.

O novo governo da Conferência terá como presidente o argentino Frei Daniel Alejandro Fleitas Zeni, Ministro Provincial da Província de São Francisco Solano, com sede em Córdoba, Argentina, tendo como vice-presidente o brasileiro Frei Fernando Aparecido dos Santos, Custódio da Custódia do Sagrado Coração de Jesus (SP e MG). O Ministro Provincial da Província São Francisco de Assis (RS), Frei Marino Rohden, foi eleito secretário e o Definidor e Ecônomo da Província da Imaculada Conceição, Frei Robson Scudela, foi eleito Ecônomo.

Frei Daniel Alejandro Fleitas, OFM – Novo presidente da Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul

O serviço de Evangelização e Missão terá como primeiro coordenador, Frei Edgard Alves Pereira e, como segundo, Frei Cesar Sosa. Já o Serviço de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC) terá como primeiro coordenador Frei Alejandro Verón; como segundo, Frei Marx Rodrigues e Frei Joao Pablo. A educação terá quatro coordenadores: 1. Frei Claudino Gilz, 2. Frei Horacio Duarte, 3. Frei Alex Oliveira Almeida e 4. Frei Claudio Equiza. A Formação e Estudos elegeu: 1. Frei Fernado Ferrario e 2. Frei Marcos Andrade, enquanto a Formação Permanente será animada por Frei Marcos A. Bizerra de Melo. A Animação Vocacional terá: 1. Frei Jeâ Paulo Andrade e Frei Luis Cisterna.

Frei Daniel tem 52 anos e é natural de Salta, no Norte da Argentina. Ingressou na Ordem dos Frades Menores em 1988 e fez a Profissão Solene em 1994. Foi ordenado presbítero em 2000. Antes de ser eleito Ministro Provincial da Província São Francisco Solano em 2016, Frei Daniel foi mestre dos Professos Temporários por 11 anos, mestre dos postulantes por 4 anos, Secretário da Formação e Vigário Provincial por 9 anos. O novo presidente tem Licenciatura em Psicologia, curso que fez em Roma por cinco anos.

Frei Daniel agradeceu aos Ministros e Custódios, que confiaram a ele a animação desta Conferência e encarou com alegria e disposição de trabalhar “pela comunhão e colaboração do nosso carisma”.

Que avaliação o sr. faz desta Assembleia?

Na reunião com os Ministros e Custódios, fizemos uma avaliação e creio que superamos as expectativas para esta Assembleia, para este passo novo da Conferência. A avaliação que fizemos foi positiva, em primeiro lugar pela disposição dos frades. Eles receberam como boa notícia este novo passo, depois destaco a participação, a escuta, o intercâmbio que houve entre os irmãos, numa boa troca de experiências. Isso foi mais do que esperávamos. Me alegro com as conclusões que chegamos.

Que perspectivas se apresentam para o sr. esta nova entidade?

A primeira é conhecer mais as Províncias, suas experiências, riquezas e valores. Essas experiências podem nos acompanhar, ajudar-nos nas nossas limitações, nas nossas necessidades que teremos. Creio que a Ordem, a Cúria Geral, nos convida a repensar e apontar a vida religiosa que queremos? Que Ordem queremos viver neste tempo? Qual Ordem que teremos para, juntos, animar e apoiar? Enfim, que animação franciscana queremos para Brasil, Paraguai e Argentina?

Como fazer a animação de uma entidade tão grande, talvez a maior da Ordem?

Sim, ela é a maior da Ordem. Creio que é importante confiar nos irmãos e na disposição dos que foram eleitos para os serviços. A comunicação também será muito importante neste momento para criar vínculos novos. Creio que este é o momento de aproveitar esta energia, esse entusiasmo, esse intercâmbio. Não podemos perder esse entusiasmo criado.

A próxima Assembleia da Conferência será de 25 a 27 de agosto na cidade de Lambaré, próxima da capital Assunção, no Paraguai.

O GESTO DE CLARA

O dia começou com a Celebração Eucarística, às 7 horas, na capela da Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família e foi presidida pelo presidente da União das Conferências Franciscanas da América Latina (UCLAF), José Alírio Urbina Rodriguez, e concelebrada pelo Ministro Provincial da Província da Imaculada Conceição, Frei Paulo Roberto Pereira, e pelo Ministro Provincial da Província da Santíssima Trindade (Chile), Frei Carlos Paz.

Na leitura de um trecho do livro “Sabedoria de um pobre”, o autor Eloi Leclerc diz que Clara sabia que Francisco apreciava muito flores. “E pensava que isso o ajudaria a arrancar do seu coração as plantas amargas. — Agradeço-vos — disse Francisco tomando o saquinho das sementes. Terei nisso muito gosto. Semeá-las-ei. E, com Leão, despediu-se de Clara e de suas irmãs”. Este gesto foi repetido pelos frades durante a Missa. Os provinciais entregaram para seus confrades saquinhos com sementes de flores.

Nos espaços de animação, os frades tiveram como tarefas: recordar para que foi convocada a Assembleia:  descobrir o nascimento de uma nova Conferência, um novo espaço de animação para nossas entidades em nossos países, conhecer e compartilhar e propor caminhos de animação; O que precisamos de mais importante de cada serviço de animação para este momento? Propostas de ação, agenda possível e modos de comunicação; mediações de curto e longo prazo; recolher as experiências e propô-las? Criar e/ou transformar novas possibilidades e propostas dos irmãos para a animação.

O dia também foi reservado para a foto histórica desta primeira Assembleia da nova Conferência do Brasil e Cone Sul.

MEMORIAL SANTA PAULINA

Os frades que estão hospedados na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro do Ipiranga (SP), fizeram ‘um tour’ nesta quinta-feira (24) no Memorial Santa Paulina. Conduzidos pela Ir. Luciana Feitosa, conheceram a trajetória histórica da primeira santa brasileira, mulher humilde e corajosa que trilhou o caminho da santidade; o oratório, onde ela costumava fazer suas orações; a cronologia de sua vida; e os objetos de uso pessoal.

Santa Paulina morreu aos 76 anos, nesta Casa Geral em São Paulo, dia 9 de julho de 1942, com fama de santidade, pois viveu em grau heroico as virtudes de fé, esperança e caridade e demais virtudes. Nesta Casa ela passou os últimos 24 anos de sua vida.

O Oratório em que Madre Paulina passava até 10 horas em oração.

O Memorial mostra os passos missionários da Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, em diferentes países. Com os pais, irmãos e outras famílias da região de Trentino Alto Ádige, emigra para o Brasil em 1875 e, antes de completar dez anos, passa a morar em Vígolo, na cidade de Nova Trento, em Santa Catarina, na região sul do Brasil.

Madre Paulina foi canonizada no dia 19 de maio de 2002, na Praça de São Pedro, e passou a ser chamada de Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

O Memorial é aberto de terça-feira a domingo, das 9h às 16h.

Moacir Beggo

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

“Conversão/penitência: a reforma da nossa forma de vida começa aqui”, diz o Ministro Geral

São Paulo (SP) – Os 77 frades que participam da 1ª Assembleia Ampliada da Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul tiveram um encontro, ainda que por videoconferência, muito especial nesta quarta-feira (22/3), na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro do Ipiranga, em São Paulo. O Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, Frei Massino Fusarelli, animou e orientou os frades por duas horas neste início de trabalhos da nova entidade.

Com base no documento final do Capítulo Geral e a apresentação dos mandatos e orientações, ou seja, as decisões votadas e aprovadas em Capítulo, Frei Massimo traçou as bases e apontou os desafios para a nova Conferência, partindo do título do documento: “Respondendo ao convite do Espírito Santo como irmãos e menores na Igreja e no mundo”. Segundo ele, o documento final tem na sua estrutura cinco “convites”: Convite à Gratidão (nº. 4-6); Convite a “Renovar nossa Visão” (nº. 7-16); Convite à Conversão e à Penitência (nº. 17-24); Convite à missão e à evangelização (nº. 25-33); e Convite a “abraçar nosso Futuro” (nº. 34-42).

“A gratidão/agradecimento nasce do reconhecimento de ter recebido um dom, e é uma das dimensões fundamentais da vida de quem tem fé. Precisamos cultivar a virtude da gratidão para reconhecer os dons de Deus que existem entre nós e os cultivar, não os extinguir”, disse.

No segundo convite, “Renovar a nossa visão”, a expressão retoma a primeira parte do lema do Capítulo que dizia: “Renovemos a nossa visão. Abracemos o nosso futuro. Levanta-te… e Cristo te iluminará”. “Nestes meses, depois do Capítulo, os sinais de crise sofreram uma aceleração enorme com a guerra e os riscos que essa encerra. Somos impelidos a nos perguntar o que o Espírito nos mostra e pede de nós neste tempo. Para isso, precisamos aprimorar muito a nossa capacidade de conjugar história e fé, mundo e Espírito: na América Latina, vocês são mais acostumados a essa leitura. Ao mesmo tempo, podemos progredir e não ficar paralisados porque também é urgente situar o nosso carisma hoje, abrindo-se para o futuro”, recordou o Ministro Geral, indicando a necessidade de “renovar a Formação em todos os níveis, para se tornar, não somente em palavras, o que somos! Continua com a necessidade de oferecer apoio àqueles freis que vivem momentos de crise, sendo útil, nesse sentido, conhecer o subsídio ‘Nossa vocação entre abandonos e fidelidade’, preparado pela Ordem em 2019. Afim de que a renovação aconteça verdadeira e plenamente, o Capítulo retoma o convite do CPO 2018: tornar-se “Fraternidades contemplativas em missão”, acrescentou.

O tema da conversão e da penitência, o terceiro convite, é profundamente cristão. “Justo por ser profundamente evangélico, este tema é profundamente franciscano. Esta conversão/penitência é o núcleo de nossa forma de vida e redescobri-lo assim em toda a sua consistência é da maior urgência, sem a qual simplesmente não temos mais um presente e, muito menos, um futuro. A reforma da nossa forma de vida hoje começa aqui, aqui se nutre e cresce”, ensinou. Nesse sentido, a Ordem se ocupa com três ações prioritárias: a que se refere  à tutela dos menores e dos adultos vulneráveis (nº 18-19); o aspecto econômico (nº. 20-21); chegando, enfim, ao clericalismo no seio da Fraternidade (nº. 22-24). “Desafios com os quais estamos todos ocupados”, informou.

Missão e evangelização faz parte do quarto convite, segundo o Ministro Geral. “Se ser ‘discípulos missionários’ é tarefa de todo cristão, com maior razão o é para quem segue Jesus ao modo de Francisco. A Ordem se empenhará, de modo especial, na missão-evangelização com: jovens e jovens/adultos, que com frequência não confiam mais na Igreja, afastam-se das tradições de fé de suas famílias, ou, inclusive, jamais foram iniciados em uma religião; ecologia integral; continente digital. Referente a este último âmbito, é interessante notar como Francisco recorria a todos os meios que estavam a sua disposição para fazer chegar longe a Palavra do Evangelho”, disse Frei Massimo.

“Abraçar nosso futuro” (nn. 34-42), que é também a segunda parte do lema do Capítulo, já acima apresentado, é o quinto convite, que indica diretamente quatro propostas de ação. Na verdade, abraçar o futuro significa caminhar, chamados por Cristo, como irmãos, inspirados pelo Espírito Santo, em direção ao que momentânea e transitoriamente ignoramos, porque o ponto de chegada de nosso caminho é o próprio Cristo! Que desafio! Estamos conscientes dele?”, perguntou.

A segunda proposta é a de utilizar os importantes centenários referentes à vida de Francisco (2021: Regra não Bulada; 2023: Regra Bulada [e o presépio de  Greccio]; 2024: os Estigmas; 2025: Cântico do Irmão Sol ou Louvores das Criaturas; 2026: Testamento e Trânsito), “não para rever e lamentar de modo saudosista um passado, “mas com um olhar para aquilo que pode ser regenerativo e novo, uma oportunidade para abraçar nosso futuro” (n. 38), porque a fidelidade não é repetitiva, mas sim criativa! Estas comemorações são motivação para um maior sentido de colaboração entre as três Primeiras Ordens e a Terceira Ordem Regular”, reforçou o Ministro Geral.

Em terceiro lugar, “apresenta-se a necessidade de rever as estruturas das Entidades da Ordem (Cúria Geral, Conferências, Províncias, Custódias), para que possamos responder sempre melhor à nossa missão, “em conformidade com o espírito de solidariedade fraterna” (n. 40). E, por fim, há um apelo para cultivar um sentido maior de colaboração com todos: leigos, outros institutos de vida religiosa e consagrada, e toda pessoa de boa vontade.

“Eis, então, uma síntese de todo o desafio em que já nos encontramos e do qual não podemos escapar, senão a insignificância pode se tornar maior do que aquela que vivemos. Precisamos ser capazes de enfrentar tudo isso e, em meio a tudo isso, aprender a caminhar. Sei que temos os recursos para fazê-lo; precisamos mais do que audácia para dar os passos justos hoje, neste e para este tempo. Bom trabalho em vossa grande e significativa porção de terra, onde a conjugação de fé e história pode inaugurar tantas novidades evangélicas. Que vocês trilhem um bom caminho como nova Conferência internacional e bela!”, desejou Frei Massimo, que em seguida respondeu às perguntas dos frades. Na segunda parte da manhã, os frades se reuniram em grupos conforme os serviços e secretarias, assim como os Ministros e Custódios.

Também da Cúria Geral participaram os Secretários Gerais para a Formação e Estudos, Frei Darko Tepert;  para as Missões e a Evangelização, Frei Francisco Gómez Vargas; e o Animador do Serviço de Justiça Paz e Integridade da Criação (JPIC), Frei Jaime Campos. A proposta de criar uma nova Fraternidade da Conferência na Amazônia, junto aos índios Munduruku, dominou os debates antes da Celebração Eucarística das 18 horas. O tema vai continuar nesta quinta-feira.

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

O Definidor Geral, Frei César Külkamp, presidiu a Santa Missa às 18 horas, tendo como concelebrantes Frei Fernando Aparecido dos Santos, da Custódia do Sagrado Coração de Jesus (SP e MG) e Frei Esteban Sebastian Robledo, missionário na Amazônia. Frei César celebrou esta Eucaristia em torno da temática da Evangelização, muito presente nas reflexões do dia. “De acordo com a Evangelii Gaudium 176, do Papa Francisco, evangelizar é tornar o Reino de Deus presente no mundo. Em outras palavras, é pôr-se no seguimento de Cristo, como seu discípulo de onde se recebe o envio para continuar a sua obra. O Papa traz aqui o binômio já tão insistido na Conferência de Aparecida: ser discípulos e missionários”, disse.

“A fé que recebemos é dom, como ouvimos esta manhã do nosso Ministro Geral. E a missão é envio. Assim, o centro nunca é a nossa própria pessoa. O Reino é de Deus, a missão é de Jesus Cristo. Nós somos servos humildes, como gostava de se definir São Francisco. Assim, evangelizar é servir, seja à Palavra ou ao irmão na comunidade e na caridade. A pessoa humana se torna centro quando está na dimensão relacional, no encontro de irmãos”, ressaltou Frei César, lembrando que na Palavra de Deus se ouviu a proclamação da parábola do Bom Samaritano. “Esta parábola foi tomada como ícone ou paradigma na outra Carta Encíclica do Papa Francisco, a Fratelli Tutti. A FT nos alerta para os riscos, sombras e armadilhas do nosso tempo que descarta pessoas ou anestesia os indivíduos, mesmo com os meios e redes mais modernas de comunicação”, lembrou o Definidor Geral.

Frades de nossa Custódia, participantes da Assembleia Ampliada da Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul – Da esquerda para a direita: Frei Eduardo Schiehl, OFM (SAV), Frei Lucas Lisi, OFM (Secretário para as Missões e Evangelização), Frei João Paulo Gabriel, OFM (JPIC), Frei Fernando Ap. dos Santos, OFM (Custódio), Frei José Aécio Oliveira, OFM (Comissão de Liturgia) e Frei Valdemir Rufino, OFM (Secretário para a Formação e os Estudos)

Referindo-se à leitura do texto alegórico de Elói Leclerc, “Sabedoria de um Pobre”, Francisco e o irmão Tancredo conversam sobre evangelização. “Este texto antigo parece tão atual quando falamos de nossa reestruturação. Abandonar estruturas pesadas, arrogantes e abraçar o que é simples, pequeno, pode ser um caminho para que nossa vida seja de fato significativa. A Ordem, desde o Capítulo Geral, deseja para esta reestruturação um caminho de sinodalidade. A Ordem quer que façamos este processo em todas as nossas instituições”, adiantou Frei César.

“Comecemos, conforme a FT, num verdadeiro e receptivo encontro humano. Sentar-se e escutar o outro. Superar o narcisismo e prestar atenção. Libertar-se da surdez e insensibilidade do mundo de hoje. Não percamos a capacidade de estudar. Francisco de Assis escutou a voz de Deus, a voz dos pobres, a voz do enfermo, a voz da natureza. E transformou tudo isso em estilo de vida. A forma de vida que abraçamos”, completou o Definidor Geral.

Moacir Beggo

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Ministro Geral: “Mais do que unir estruturas, queremos dar alma ao que fazemos!”

São Paulo (SP) – O Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, Frei Massimo Fusarelli, não pôde estar presente na 1ª Assembleia Ampliada da nova Conferência Franciscana do Brasil e do Cone Sul, que teve início nesta terça-feira, 21 de março, na Casa de Eventos e Hospedagem Sagrada Família, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, e vai até o dia 25 de março. Mas por vídeo, Frei Massimo viu a apresentação das 12 Províncias e Custódias que fazem parte da entidade e deixou uma mensagem aos 77 frades participantes.

Ele falou de sua alegria ao saudar a todos e explicou que não haveria tempo suficiente para estar presente no evento, mas prometeu falar aos frades na manhã desta quarta-feira. “Esta primeira assembleia de vossa Conferência Brasileira e Cone Sul é muito importante, porque nós não só queremos unir estruturas, mas queremos dar alma ao que fazemos, aos nossos encontros e à nossa animação. Também a nossa presença em toda a Ordem é cada vez mais internacional, interprovincial e intercultural”, disse. “A leitura dos sinais dos tempos nos provocam a unir energias e a imaginar, num futuro próximo, nossas entidades também em nível internacional, não só local e nacional. Estou seguro que vocês, irmãos do Brasil e do Cone Sul, já estão trabalhando especialmente para isso”, enfatizou.

Antes, os participantes da Assembleia se encontraram, às 7 horas, na Capela para a Santa Missa, presidida pelo atual presidente da Conferência, o argentino Frei Daniel Fleitas, que frisou o momento novo que vive a entidade. “Bem-vindos a todos nesta primeira Assembleia que, como todo nascimento, dá um passo novo dentro Igreja, da Ordem, tem expectativas e sonhos, projetos e esperanças. E no contexto da esperança, as leituras de hoje, a partir da proposta de Francisco, nos convidam a um novo olhar a nós mesmos, à forma de vida, à Ordem e à vida religiosa”, destacou.

“É provável que nós, em nossas províncias, em nossas entidades, tenhamos muitíssimo que agradecer à história, mas eu gostaria de animá-los neste tempo presente de nossa história, este tempo presente que se inicia com as mesmas palavras de Francisco: ‘sejam peregrinos, sejam forasteiros em busca de novo sentido, novos horizontes’”, disse, lembrando que a confiança que animou Francisco pode animar os frades agora.

“A confiança que nos animará a construir projetos novos, a confiança que nos animará a recuperar intuições, a confiança que nos animará a construir juntos este espaço novo de animação. Francisco dizia a seus irmãos: mantenham-se familiarmente juntos. Cada um de nós traz uma experiência cultural distinta, uma experiência familiar distinta, cada um tem uma experiência diferente de olhar a vida, a história. O grande desafio da Igreja de nosso tempo, da Ordem é a comunhão. O Papa está exigindo como fundamental para este tempo a sinodalidade. Ter a sinodalidade, ter a comunhão. É necessário reconhecer que as relações humanas são complexas, o trabalho é complexo, o trabalho em projetos comuns é complexo. Contudo, para nós, a única motivação na esperança de construir juntos a comunhão é a confiança”, ensinou.

Ele animou os frades lembrando que todos foram chamados para estarem aqui. “A experiência de nossa vocação é sempre o chamado, é sempre uma intuição de Deus, o sonho de Deus para nós, para a Ordem, para a Igreja, para a humanidade. O chamado pertence a Deus, não pertence a nós. A nós cabe a ousadia de responder, a ousadia de seguir o caminho como Jesus nos propõe. Jesus nos convocou, com nossa história, a construirmos juntos o próprio sonho, a continuar o sonho de Deus para a humanidade, a expulsar o mal e curar os enfermos. Aqui está, de alguma maneira, o projeto de evangelização. Cada um é chamado a expulsar o mal e curar a doenças de nosso tempo”, convidou. “Deus está aqui, presente no meio de nós, porque somos o Reino de Deus. Somos a experiência de esperança para o nosso tempo”, acrescentou.

O novo estatuto e o resgate histórico das antigas Conferência dos Frades Menores do Brasil e do Cone Sul dominaram as reflexões do dia. A CFMB foi erigida pelo Ministro Geral com o consentimento do seu Definitório em 1963, iniciando em 1964 a Primeira Assembleia. Já a Conferência do Cone Sul teve sua primeira Assembleia Constitutiva em 16 de dezembro de 1967 e seus Estatutos foram aprovados pelo Definitório geral em 16 de julho de 1970.

No dia 13 de maio de 2020, depois de suprimir a antiga Conferência do Cone Sul, passou suas três entidades para integrarem a CFMB que, por este fato, deixou de ter âmbito brasileiro e passou a denominar-se Conferência dos Ministros Provinciais do Brasil e do Cone Sul. “A Conferência é uma instância de representatividade, de comunicação e de colaboração, de modo a promover o bem comum da Ordem no Brasil e no Cone Sul, respeitando-se a autonomia de cada entidade”, explicou o Definidor Geral Frei César Külkamp.

Desta forma, por causa da pandemia e do Capítulo Geral em 2021, só agora a Conferência conseguiu se reunir em Assembleia, a instância máxima de natureza deliberativa e consultiva, composta por todos os membros da Conferência, isto é, Provinciais e Custódios, e por ser Ampliada, ela reúne outros frades que estão à frente das Secretarias e Serviços de cada entidade.

Cada uma das 12 entidades participantes da Conferência – nove do Brasil, duas da Argentina e uma do Chile – fez uma apresentação histórica e atual de sua presença em solo brasileiro, argentino, chileno e paraguaio.

Com a nova organização, os serviços ficaram sem referências e muitos projetos foram prejudicados seja por este motivo ou pela pandemia. A realização da Assembleia é importante para dar impulso na retomada da missão e evangelização, considerando a formação e a animação vocacional.

O dia terminou com um momento celebrativo pedindo paz no mundo e fazendo memória dos falecidos pela Covid-19. Os frades se reuniram no centro do pátio da Casa de Eventos, com o sol se pondo às 6 horas, para cantar a “Oração de São Francisco”.

Os 77 frades presentes no local chegaram ontem à tarde, mas cada um precisou fazer o teste rápido Covid-19. Depois do jantar, os participantes foram acolhidos pela Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição (CIIC), fundada por Santa Paulina, pelo Ministro Provincial da Província da Imaculada Conceição, Frei Paulo Roberto Pereira, e pelo presidente da Conferência, Frei Daniel Fleitas.

Moacir Beggo

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Conferência Franciscana do Brasil e Cone Sul se reunirá em São Paulo/SP para primeira Assembleia Ampliada

Imagem (Fonte): Província Franciscana da Imaculada Conceição do BrasilCentro de Eventos e Hospedagem Sagrada Família

A Conferência dos Ministros Provinciais do Brasil e do Cone Sul é uma entidade da Ordem dos Frades Menores, constituída pelos Ministros Provinciais e Custódios das Entidades da Ordem dos Frades Menores (OFM) presentes na Argentina, no Brasil, no Chile e no Paraguai.

O Ministro Geral, no dia 13 de maio de 2020, depois de suprimir a antiga Conferência do Cone Sul, passou suas três entidades para integrarem a CFMB que, por este fato, deixou de ter âmbito brasileiro e passou a denominar-se Conferência dos Ministros Provinciais do Brasil e do Cone Sul.

A Conferência é uma instância de representatividade, de comunicação e de colaboração, de modo a promover o bem comum da Ordem no Brasil e no Cone Sul, respeitando-se a autonomia de cada entidade, e tem por finalidades:

  • A comunhão entre as entidades (Províncias e Custódias) em vista do bem comum dos frades e da missão e evangelização;
  • Cooperação com o Ministro Geral e seu Definitório;
  • Cooperação na formação inicial e permanente e na vida e missão dos irmãos;
  • Ler os sinais dos tempos e das realidades onde os frades estão ou devam estar;
  • Fomentar e cultivar o relacionamento e a cooperação com a hierarquia eclesiástica local, outros institutos religiosos e com a família franciscana.
  • Favorecer o mútuo conhecimento e a comunhão fraterna entre os Ministros e Custódios da Conferência e entre as Províncias e Custódias, dentre outras finalidades.

Desta forma, por causa da pandemia e do Capítulo Geral em 2021, só agora a Conferência se reunirá em Assembleia, e que é chamada de Assembleia Ampliada. A Assembleia é a instância máxima de natureza deliberativa e consultiva, e é composta por todos os membros da Conferência, isto é, Provinciais e Custódios, e por ser ‘ampliada’, participarão vários outros frades que estão à frente das Secretarias e Serviços de cada entidade.

São 12 entidades participantes, sendo nove do Brasil, duas da Argentina e uma do Chile. Entre Provinciais, Custódios, Secretários para a Formação e Estudos, Secretários para as Missões e a Evangelização, Moderadores para a Formação Permanente, Coordenadores do Serviço de Animação Vocacional, Animadores da JPIC, Animadores da Pastoral Educacional, Definidor Geral, peritos e convidados, seremos 75 frades.

CUSTÓDIA: FRADES QUE IRÃO PARTICIPAR

Da nossa Fraternidade Custodial participarão os seguintes frades:

  • Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM – Custódio
  • Frei Valdemir Nelo Rufino, OFM – Secretário para a Formação e os Estudos
  • Frei Lucas Lisi Rodrigues, OFM – Secretário para as Missões e Evangelização
  • Frei Eduardo Augusto Schiehl, OFM – SAV (Serviço de Animação Vocacional)
  • Frei João Paulo Gabriel Mendes de Moraes, OFM – JPIC (Justiça, Paz e Integridade da Criação)
  • Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM – Membro da Comissão de Liturgia

Assembleia iniciará na noite da segunda-feira, dia 21 de março e se estenderá até no almoço da sexta-feira (25). O local será a Casa de Encontros, Eventos e Hospedagens das Irmãs da Sagrada Família no Ipiranga, em São Paulo/SP. A programação é exigente por todo o trabalho que deverá ser feito nestes dias. Cada serviço terá os seus momentos para reflexão, trabalhos e encaminhamentos como também teremos os momentos de reflexão e trabalho em conjunto.

É a primeira Assembleia da Nova Conferência e será realizada bilíngue, isto é, desenvolvendo-se no português e no espanhol, tanto nas reflexões e trabalhos quanto na liturgia.

A nossa expectativa enquanto organização da Assembleia é que tudo corra bem, especialmente neste tempo em que vamos vencendo o COVID-19, e que seja um tempo bastante fecundo para as nossas entidades e serviços que, aos poucos, vão retomando a missão e a evangelização de forma presencial. Com a nova organização, os serviços ficaram sem referências e muitos projetos foram prejudicados, seja por este motivo ou pela pandemia. A Assembleia quer e precisa ser este impulso para a retomada da missão e evangelização, considerando a formação e a animação vocacional. Todos estes aspectos da nossa vida de ora em diante serão pensados e assumidos, considerando o além Brasil, o Cone Sul (Paraguay, Argentina e Chile).

A Assembleia se incumbe primeiramente de mútuo conhecimento, considerando o caminho feito pelas extintas Conferências, a do Brasil e a do Cone Sul, e agora o novo caminho que já vem fazendo a nova Conferencia Brasileña y Cono Sur desde 2020 em modo virtual; depois, a organização das Secretarias e Serviços com os novos Secretários, Coordenadores, projetos e prioridades para o triênio.

Tudo isso deverá acontecer com as devidas eleições dentro da Assembleia, inclusive com os Ministros que deverão assumir a animação da Conferência no triênio. Do Governo Geral, teremos a presença em forma remota on-line do Ministro Geral, Frei Massimo Fusarelli, OFM, e dos Secretários Gerais: para a Formação e Estudos, Frei Darko Tepert, OFM;  para as Missões e a Evangelização, Frei Francisco Gómez Vargas, OFM e do Animador da JPIC, Frei Jaime Campos, OFM. O Definidor Geral, Frei César Külkamp, OFM, estará presencialmente conosco.

O lema escolhido é muito pertinente para o momento que estamos vivendo com a nova realidade da Conferência, consonante com o Capítulo Geral celebrado no ano passado e cheio de perspectivas e esperança para este tempo pós-pandemia.

Pela Comissão Preparatória,

Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM
Custódio – Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus

Definitório Geral com o Papa Francisco: “Vimos o afeto do Papa por nós, franciscanos no mundo!”

No dia 7 de janeiro, o Papa Francisco recebeu em audiência, no Palácio Apostólico do Vaticano, o Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, Frei Massimo Fusarelli, acompanhado por todos os membros do Definitório Geral, juntamente com o Procurador Geral, o Secretário para as Missões e Evangelização, o Secretário Geral da Ordem com o Secretário Pessoal do Ministro.

No final da audiência, que durou 45 minutos, o Ministro compartilhou que viveu um intenso e belo momento de diálogo, de escuta do Papa Francisco sobre a realidade da Ordem nas diferentes partes do mundo, referindo-se também a algumas situações particulares que dizem respeito à Igreja, testemunhando como «em particular o Santo Padre nos exortou a trabalhar com coragem entre os jovens, segundo as suas línguas e a favor das vocações, para não haver renúncias e saber olhar para a frente com confiança e fé no nosso futuro”, acrescentando, a respeito da paternidade e ternura do Papa, que devemos agradecer ao Senhor por este encontro, porque vimos o afeto do Papa por nós, franciscanos no mundo, e porque nos repetiu várias vezes que São Francisco é sedutor no melhor sentido da palavra, atrai e motiva”.

Por fim, o Sumo Pontífice convidou os frades “a viver de maneira evangélica e a trabalhar sabendo que possuem esta grande raiz de inspiração e atração”.

A audiência foi encerrada com a entrega de memórias a cada participante pelo Papa Francisco e uma curta viagem ao Palácio Apostólico.

Fonte: OFM / Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil