Irmã Aniele e Irmã Fernanda professam os votos solenes em Morrinhos/GO

No último domingo (15), Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, aconteceu na Comunidade/Igreja Nossa Sra. Aparecida e São Sebastião de Morrinhos/GO, a Profissão Perpétua da Irmã Aniele Luiz Cabral, PME e da Irmã Fernanda B. do Espírito Santo, PME, ambas pertencem a Congregação das Irmãs Pequenas Missionárias Eucarísticas.

A celebração eucarística foi presidida pelo nosso Custódio, Frei Fernando Aparecido dos Santos, OFM e concelebrada pelos vários padres religiosos e diocesanos presentes. Contou também com a presença de alguns diáconos.

Com a Profissão Perpétua as irmãs confirmam para sempre a aliança com Cristo, unindo ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo com os fortes e nobres vínculos do amor. Conduzidas e sustentadas pelo Espírito Santo, com fidelidade, tornam sinal da união indissolúvel de Cristo com a Igreja. A Profissão Perpétua exige um empenho definitivo em nossa santificação. Este nobre gesto, dá a possibilidade de colaborar mais eficazmente na santificação dos irmãos.

“A profissão só confirma a eleição de Deus por mim, dando sentido em ser toda d’Ele para sempre!”, afirma a Irmã Fernanda, PME ao conversar com a nossa Equipe de Comunicação. E apresentou que o que a motiva a ser uma religiosa, é o grande amor de Deus por ela e sua misericórdia para com todos os que necessitam de perdão.

Segundo a Irmã Aniele, PME, professar os votos solenes, “é dizer como São Francisco publicamente: ‘É isso que eu quero, é isso que eu procuro e é isso que eu desejo de todo coração’. É entregar a vida para sempre ao Senhor, bem como colocar a vida a serviço da Igreja e de todo o povo de Deus”. O que a motiva a perseverar na consagração a Deus, é  saber que Ele a conduz e a faz instrumento para o serviço do seu Reino.

Agradecemos a Deus pelo dom da vida e vocação destas nossas irmãs e suplicamos as vossas orações pela perseverança, fidelidade e amor ao compromisso assumido. Que Maria, mãe das vocações esteja sempre junto de suas filhas.

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação 


Conhecendo um pouco da Irmã Aniele, PME e da Irmã Fernanda, PME

Irmã Aniele Luiz Cabral, PME, nasceu no dia 14 de novembro de 1990 em Morrinhos/GO. Irmã Fernanda B. do Espírito Santo, PME, nasceu no dia 03 de fevereiro de 1989 em Belford Roxo/RJ. Ambas foram revestidas com o hábito religioso no dia 13 de janeiro de 2013 em Olímpia/SP, data esta em que também aconteceu os primeiros votos. Atualmente residem em Barretos/SP, na Cidade de Maria.


Transmissão – Profissão Perpétua

Irmã Aniele Luiz Cabral, PME e Irmã Fernanda B. do Espírito Santo, PME

O Papa: vacinar-se é um ato de amor

Raimundo de Lima (Vatican News)

“Com espírito fraterno, uno-me a esta mensagem de esperança por um futuro mais luminoso. Graças a Deus e ao trabalho de muitos, hoje temos vacinas para nos proteger da Covid-19. Elas dão a esperança de acabar com a pandemia, mas somente se elas estiverem disponíveis para todos e se colaborarmos uns com os outros.”

É o que afirma o Santo Padre numa mensagem em vídeo aos povos latino-americanos, lançando um apelo à consciência de cada um fazendo votos de uma atitude responsável para enfrentar juntos a pandemia.

O amor é também social e político

“Vacinar-se, com vacinas autorizadas pelas autoridades competentes, é um ato de amor. E ajudar a fazer de modo que a maioria das pessoas se vacinem é um ato de amor. Amor por si mesmo, amor pelos familiares e amigos, amor por todos os povos. O amor também é social e político, há amor social e amor político, é universal, sempre transbordante de pequenos gestos de caridade pessoal capazes de transformar e melhorar as sociedades”, prossegue o Papa.

Vacinar-se, um modo simples de promover o bem-comum

Francisco conclui afirmando que vacinar-se é uma forma simples mas profunda de promover o bem comum e de cuidar uns dos outros, especialmente dos mais vulneráveis. “Peço a Deus que cada um possa contribuir com seu pequeno grão de areia, seu pequeno gesto de amor. Por menor que seja, o amor é sempre grande. Contribua com estes pequenos gestos para um futuro melhor.”

Apelo conjunto dos prelados latino-americanos

O apelo do Papa é reforçado por vários cardeais do continente, que foram unânimes em nos lembrar da necessidade de vacinar-se contra o coronavírus. José Horacio Gómez, do México, presidente dos bispos dos EUA, espera que com a ajuda da fé as pessoas possam enfrentar os riscos da pandemia e que todos nós possamos nos vacinar. Carlos Aguiar Retes, arcebispo de Cidade do México, pediu a vacinação do norte ao sul do continente porque – afirma – estamos todos interligados e a esperança deve ser sem exclusão. O cardeal Hummes se faz porta-voz das mesmas palavras do Papa: vacinar-se é um ato de amor por todos e aponta que os esforços heroicos dos profissionais da saúde produziram vacinas seguras e eficazes para toda a família humana. O cardeal salvadorenho Rosa Chávez falou de uma “responsabilidade moral para toda a comunidade”: “Nossa escolha de vacinar afeta os outros”. O cardeal hondurenho Óscar Andrés Rodríguez Maradiaga também expressou seu apoio à campanha de conscientização: “Ainda temos mais a aprender sobre o vírus, mas uma coisa é verdade: as vacinas autorizadas funcionam e salvam vidas, são uma chave para a cura pessoal e universal”. Do Peru, dom Miguel Cabrejos Vidarte, presidente do Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), apelou à unidade e voltou ao aspecto de proteger nossa saúde integral, convidando as pessoas a se vacinarem porque “a vacinação é segura e eficaz”.

Fonte: Vatican News