Frei Paolino Vitale é homenageado em Severínia/SP, outorgando o seu nome a uma associação

“Os homens, enfim, perdem tudo o que deixam neste mundo. Levam, porém, consigo, o fruto da caridade e os donativos que fizeram. E o Senhor lhes dará por isso o prêmio e digna remuneração!” (São Francisco de Assis)

Ao término do mês janeiro deste ano, recebemos com júbilo no coração a notícia de que o nosso confrade Frei Paolino Vitale, OFM (In Memorian) será homenageado pela Associação Grupo de Amigos Voluntários de Severínia/SP (Associação GAVS). 

A associação está criando um complexo onde abrigará uma comunidade terapêutica para dependentes químicos e uma casa de acolhida para idosos. O complexo receberá o nome de “Recanto Frei Paolino” em memória deste confrade e de seu legado na cidade de Severínia/SP.

Frei Fernando em sua carta-resposta ao comunicado, refletiu: “Em um tempo tão sombrio em que estamos vivendo, potencializado pela pandemia e as suas cruéis consequências, como cristãos e franciscanos, somos impelidos a suscitar sinais de esperança e levá-los onde o desespero invade, isto é, no coração de tantos irmãos e irmãs. Sabemos o quanto Frei Paolino foi esse sinal de esperança, de fé e de caridade em vossa cidade e o quanto dedicou a sua vida para amenizar a dor que as mazelas sociais provocam nos pequenos do Reino.”

Às portas de celebrarmos os 75 anos da chegada dos frades nesta região (1947-2022), nossa Fraternidade Custodial se alegra ainda mais em poder tomar ciência desta honrosa homenagem feita ao nosso confrade in memorian, Frei Paolino Vitale, OFM.

FREI PAOLINO VITALE, OFM

♦  21/06/1926 – Frattaminore (Itália)

†  22/06/1998 – Severínia/SP

Manifestamos à Associação GAVS, em nome de toda a nossa Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus, presente no interior de São Paulo e Triângulo Mineiro, os parabéns pela vossa iniciativa e compromisso com os vulneráveis do nosso tempo, especialmente os que são acometidos pela dependência química e idosos, desejando-vos dias prósperos assim como todo o vosso trabalho e que os valores franciscanos sejam cada vez mais inspiração na vossa missão pelas lembranças e testemunhos deixados pelo nosso confrade, Frei Paolino Vitale, OFM.

Que pela intercessão de São Francisco de Assis, Deus os abençoe assim como todo o vosso projeto!

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação

SAV se reúne em Olímpia/SP para formação planejamento

Equipe do SAV (Em pé da esquerda para a direita): Frei José Aécio, Frei José Luiz, Frei Emanuel e Frei Eduardo. Abaixo (da esquerda para a direita): Frei Cristiano e Frei Lucas Oliveira.

“VEDE A HUMILDADE DISCRETA DE SÃO JOSÉ!”

Foi com a imensa alegria que o Serviço de Animação Vocacional (SAV) da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus se encontrou para o encontro de formação e planejamento de 2021,  realizado no Convento São Boaventura de Olímpia/SP e conduzido pelo coordenador do serviço, Frei José Aécio de Oliveira Filho, OFM.

Todos os irmãos integrantes da equipe não mediram esforços para comparecer no primeiro evento presencial datado de 22 a 24 de Fevereiro de 2021, mesmo neste tempo crítico de pandemia. Ressaltamos a presença significativa do Secretário para a Formação e os Estudos, Frei Valdemir Nel Rufino, OFM que presidiu a Santa Eucaristia e no tempo oportuno refletiu com todo vigor o “Plano de Ação do SAV”.

Ainda acolhemos as Irmãs Franciscanas da Penitência e as Irmãs Pequenas Missionárias Eucarísticas presentes em nosso território de missão e evangelização para uma ação vocacional conjunta e integrada.

Foram dias intensos, marcados pelo Espírito de Oração, pela partilha de vida, da convivência, de avaliação e por fim, elaboramos o planejamento do SAV deste ano; instrumento possível de transcrever para realidade.

A ocasião reservou um tempo para a formação humana, assessorada pela psicóloga Tânia e o Padre Nelber, SCJ (Dehonianos). Ela, especialista em Vida Religiosa e Sacerdotal e ele, animador vocacional da sua província e mestre dos postulantes de sua congregação. O tema trabalhado foi: “O SAV enquanto serviço de cuidado da pessoa humana e a realidade das vocações adultas e egressos”.

Por fim, a equipe do SAV agradece a atenção de cada frade em particular, para que, possamos ser os primeiros a testemunhar com a própria vida o ideal franciscano e assim provocar jovens que se proponham engrossar a fileira do seguimento de Cristo, ao modo de Francisco.

Por intercessão de São José, patrono das casas de formações espalhadas no mundo inteiro… Intercedei por nós! Amém!

Fraternalmente, 

Frei José Luiz da Costa, OFM (Vice-Coordenador do SAV)

Um ano após a declaração da Covid-19 como uma pandemia global no dia 11 de março de 2021

Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores – Frei Michael Antony Perry, OFM

Meus queridos irmãos,

Que o Senhor lhes dê paz.

A data de 11 de março de 2021 marcará um ano desde que a Organização Mundial da Saúde declarou a Sars2-Covid-19 como uma pandemia global. Naquela data, havia 118.000 infectados verificados, 4.291 mortes verificadas de Covid-19 e 114 países relataram a presença do vírus. Até 26 de fevereiro de 2021, houve cerca de 112 milhões de infectados confirmados e quase 2.500.000 mortes de Covid-19, com 192 países diretamente afetados pela pandemia. O que também está claro é o impacto desproporcional que a Covid-19 tem sobre nossos irmãos e irmãs pobres e sobre as nações mais pobres do mundo.

Não creio que seja exagerado dizer que todos nós na Ordem conhecemos alguém que foi infectado, e talvez alguém que morreu. É difícil verificar com exatidão quantos de nossos queridos frades morreram em consequência das complicações da Covid-19, mas os números são significativos. As fraternidades foram colocadas em quarentena, alguns irmãos foram isolados no hospital ou nas enfermarias da Província ou da Custódia ou em outros centros de acolhimento; os familiares se infectaram e, lamentavelmente, alguns morreram. Um número significativo de “sobreviventes” da Covid-19 está calculando os efeitos a longo prazo, como exaustão, dificuldades respiratórias, anomalias cardíacas e outras dificuldades para as quais agora estão sob cuidados médicos. Não se pode nem imaginar o impacto psicossocial da pandemia devido ao medo do contágio, do isolamento social e do desencadeamento de outras condições de saúde mental de longa duração. Não só afetam os desconhecidos, mas também a nós.

A pandemia da Covid-19 está reescrevendo a história do mundo e, mais importante, a história de cada uma de nossas vidas, da vida da Ordem e da Igreja. Não conhecemos o peso total dos “danos” colaterais que podem advir da pandemia, mas já percebemos o aumento dos desafios que afetam todos os aspectos de nossas vidas, nossas instituições e nossa presença evangelizadora no mundo atual. Rogo para que cada um de vocês tenha tido tempo para refletir sobre o impacto da pandemia em sua vida, na dos outros irmãos da fraternidade, em seu trabalho pastoral e missionário, e na vida daqueles a quem fomos chamados para servir.

Ao se aproximar o dia 11 de março de 2021, o primeiro ano desde a declaração oficial da pandemia de Sars2-Covid-19, convido a todos vocês, meus queridos irmãos, a unirmos à Fraternidade universal da Ordem para um tempo de oração, jejum e esmola. Esses três “caminhos” encontram o seu precedente nas Sagradas Escrituras e oferecem a oportunidade, a quem os abraça, de entrar num espírito de conversão da mente, do coração e da ação (cf. Joel 1,14 ss). Em anexo a esta carta estão duas orações que foram compostas em resposta à pandemia. São orações em que se pede a Deus que ouça o clamor do povo de Deus e venha em nosso auxílio. No espírito de jejum proposto pelos Profetas (cf. Is 58,6-7) e por Jesus (cf. Mt 6,16-18), o foco está centrado claramente em uma mudança radical de coração e mente, e se vincula também a atos que contribuem para a libertação do povo de Deus, unindo nossos esforços em um grande ato de solidariedade, algo tão necessário em nosso mundo, antes e como consequência da pandemia da Covid. Este é o foco da mensagem do Papa Francisco na “Fratelli Tutti” ao falar da necessidade de que o mundo inteiro se converta radicalmente (Fratelli Tutti 32, 55).

Por fim, peço-lhes que reservem algum tempo para conversar uns com os outros e expressar como a pandemia da Covid afetou sua vida pessoal, seu envolvimento com a fraternidade, seus compromissos missionários e outros desafios que enfrentam. Seria muito conveniente que as fraternidades locais celebrem juntos a Eucaristia neste dia de oração. O momento de diálogo poderia ter lugar em um capítulo especial da fraternidade ou durante o tempo da homilia da Eucaristia.

Espero de coração que nos unamos como uma única fraternidade universal nesta ocasião, o primeiro ano desde que a Covid foi declarada uma pandemia. Invocamos Maria, Mãe da Ordem Seráfica, e a todos os santos da Ordem para que intercedam diante de Deus em nosso nome e por toda a humanidade. Que o dom da nossa fraternidade seja uma fonte de apoio e encorajamento constantes, enquanto enfrentamos juntos um futuro incerto. Que possamos refletir o amor e a misericórdia de Deus, que está sempre presente conosco, especialmente nos momentos mais difíceis, convidando-nos a nos levantar e a erguer a cabeça, para ver que não estamos sozinhos (cf. Lc. 21,28).

Oremos por todos os que continuam sofrendo as consequências físicas diretas da Covid-19. Oremos também por todos aqueles que são afetados social, espiritual e economicamente. E recordemos de todos os nossos irmãos e irmãs que já passaram desta vida e agora desfrutam da plenitude da vida na eternidade.

Roma, 1º de março de 2021

Fraternalmente em Cristo e São Francisco,

Frei Michael A. Perry, OFM

Ministro Geral e Servo


ORAÇÃO PARA 11 DE MARÇO DE 2021

 Oração – I

Deus eterno e onipotente, nosso refúgio em todos os perigos, olhai benigno para as nossas aflições e angústias. Como filhos, com fé vos pedimos: concedei o eterno descanso aos que morreram, conforto aos que choram, cura aos doentes, paz aos moribundos, força aos que trabalham na saúde, sabedoria aos nossos governantes e coragem para chegarmos amorosamente a todos, glorificando juntos o vosso Santo Nome. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém!

Senhor, fortalecei os laços de nossa fraternidade espiritual, para que possamos dar testemunho da vossa presença e do vosso amor curador, pelo modo com que cuidamos uns dos outros, e pela forma com que estendemos as mãos aos nossos irmãos e irmãs mais necessitados, especialmente os mais afetados pela pandemia. Invocamos a intercessão de Maria, mãe de nossa Ordem Seráfica, de São Francisco, de Santa Clara e de todos os Santos franciscanos. Que eles intercedam por nós junto do Pai das Misericórdias. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre, na unidade do Espírito Santo. Amém!


Oração – II

Senhor Jesus, que prometestes permanecer sempre conosco, neste momento em que as notícias tristes nos dominam e o medo toma conta de nós, voltai a repetir vossa reconfortante palavra: A paz esteja convosco! Ainda que não possamos estar fisicamente perto de outras pessoas, dai-nos a força e a coragem de amar tanto quanto pudermos, porque “o amor perfeito afasta todo o medo”. Olhai com bondade os médicos e as enfermeiras, os pesquisadores e os responsáveis pela segurança. Fortalecei os enfermos e os mais vulneráveis. Consolai os aflitos. E quando a pandemia passar, quando esta terrível crise for superada, ensinai-nos a vos conhecer com mais certeza, como nosso amigo querido e nossa única esperança. Vós que viveis e reinais com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amém!


(ofereça um Pai Nosso, uma Ave Maria e Glória …)

Maria Imaculada, Padroeira da Ordem Franciscana, rogai por nós!

 

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

Fonte (Imagem):  Província São Maximiliano Kolbe (Conventuais)

Fraternidade de Uberaba/MG acolheu o Visitador Geral para a Visita Canônica

Nesta última semana (25 a 28/02), deu-se abertura em Uberaba/MG à Visita Canônica em vista do Capítulo Custodial que acontecerá em novembro próximo. O visitador geral eleito pela Cúria Geral foi Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM, frade pertencente à Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora (MT e MS).

Frei Wanderley chegou na fraternidade Nossa Sra. de Fátima de Uberaba/MG um pouco antes do almoço da quinta-feira (25), conduzido pelo nosso Custódio, Frei Fernando. O guardião local, Frei João Boga, OFM o acolheu em nome da fraternidade e logo deram sequência ao almoço e aos andamentos da Visita Canônica.

Em pé (da esquerda para a direita): Frei Antônio Carlos e Frei Pedro Neto. Sentados (da esquerda para a direita): Frei João Boga e o Visitador, Frei Wanderley Figueiredo.

Na manhã da sexta-feira (26), o Visitador Geral se reuniu com a fraternidade local, onde explanou o sentido da Visita Canônica. Realizou uma conversa particular com cada frade local, à saber: Frei Antônio Carlos Marchione, OFM (Paróco), Frei Pedro Neto Alves Lima, OFM e o guardião, Frei João.

Durante todo o decorrer da visita, Frei Wanderley realizou alguns passeios com os frades da fraternidade, onde puderam conhecer a redondeza da residência dos frades, bem como, conhecer alguns pontos turísticos e igrejas da cidade que o acolhe.

Em vista do agravamento da pandemia nos estados de São Paulo e de Minas Gerais, houve algumas adaptações durante a visita de Frei Wanderley, uma vez que é previsto que o mesmo se encontre com a OFS (Ordem Franciscana Secular), se houver fraternidade; o CPP da paróquia, bem como com o Bispo da Diocese local.

No domingo (28), domingo da Transfiguração do Senhor, o Visitador Geral juntamente com todos os membros da fraternidade local, celebraram a santa missa, contando com a presença fraterna de Frei Joaquim Camilo Alves, OFM; membro da fraternidade de Marília/SP.

Por fim, terminado a Visita Canônica na fraternidade de Uberaba/MG, Frei Wanderley seguiu para a Fraternidade Nossa Sra. de Fátima de Uberlândia/MG, onde permanecerá até o dia 05 de março. Desde já rogamos a Deus que o abençoe durante a execução deste árduo serviço em prol de nossa Ordem e de nossa Fraternidade Custodial.

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação

Falece Irmã Verônica, OSC, clarissa do Mosteiro Monte Alverne de Uberlândia/MG

IRMÃ MARIA VERÔNICA DA SAGRADA FACE, OSC
♦  24/06/1929     –     †  26/02/2021

Na noite desta última sexta-feira (26), a Irmã Maria Verônica da Sagrada Face, OSC, uma das irmãs clarissas do Mosteiro Monte Alverne de Uberlânida/MG fez sua páscoa definitiva. Nossa Fraternidade Custodial se une em oração pela sua alma, bem como se solidariza com as demais irmãs que permanecem a sua missão terrena.


Uma breve cronologia de Irmã Verônica, OSC

Irmã Maria Verônica da Sagrada Face, OSC nasceu em Selbach/RS no dia 24 de junho de 1929 e foi batizada dois dias após, recebendo o nome de “Therezinha Welter”. Toda sua formação familiar foi seguida a partir da cultura alemã, pois seus pais eram netos de alemães. Até a Segunda Guerra Mundial, só convivia com pessoas dessa nacionalidade, pois formavam uma colônia onde até na escola só se falava a língua alemã. Durante a guerra, toda a colônia foi obrigada a abandonar esses costumes e a duras penas aprenderam o português e a cultura do País. É a 13ª de 15 irmãos, que receberam sólida formação moral e religiosa dos pais.

Em 1951 entrou para a Vida Religiosa no Mosteiro da Gávea no Rio de Janeiro/RJ, percebendo sua vocação para a vida contemplativa já com 21 anos de idade. Sempre foi orientada espiritualmente pelo Padre Karson que a apresentou através de correspondência ao Mosteiro das Clarissas, o primeiro no Brasil, fundação das Irmãs de Düsseldorf. Destemida, teve a coragem de deixar seus pais e irmãos, indo sozinha, de ônibus para o Rio de Janeiro/RJ, numa época em que as estradas e os meios de comunicação eram bastante precários. Sabia que, deixando seus pais, jamais tornaria a vê-los. Mas o Senhor a conduzia e fazia arder seu jovem coração, num amor irredutível e radical.

Em 1973, após a morte da Madre Juliana, que a recebera no Mosteiro e de quem tomara a si os  cuidados durante um longo período de doença grave,  seguiu para Forquilhinha/SC, para completar o número das Fundadoras de um novo Mosteiro, que, mais tarde, em 1982 foi transferido para Lages, no mesmo Estado.

Irmã Verônica, OSC com Frei Ezimar, OFM e o nosso Ministro Geral, Frei Michael Perry, OFM (Da esquerda para a direita: Frei Ezimar, Irmã Verônica e Frei Michael)

Em Lages/SC, foi eleita Abadessa por três triênios, e, em 1996, foi eleita convidada para Abadessa do Mosteiro de Uberlândia/MG, e era muito querida e buscada por todos, que recebem dela orientação e conselhos e a valiosa intercessão.

Desde sua entrada para a Vida Consagrada Religiosa, vive em total doação ao Senhor e aos irmãos, levando no coração o mundo inteiro para apresentá-lo dia e noite a Deus nas orações, nos sacrifícios e na entrega total de si mesma, num amor incondicional e fiel.


Uma breve narrativa de Irmã Verônica, tempos antes de falecer…

“Aqui em Uberlândia/MG, comemorei meus Jubileus de Ouro e de Diamante na Vida Religiosa. Agora, já  posso desfrutar mais tempo da oração e adoração, porque meus trabalhos ficaram reduzidos por conta da idade. A saúde, entretanto, está muito bem, sinto-me muito viva e participante. Gosto de estar com as Irmãs, na vida fraterna, nos Capítulos, na Formação permanente, e no cuidado do jardim, minha grande paixão, depois de Jesus. O convívio com as flores são para mim um importante meio de contato com o Criador. Gosto de agradar as Irmãs fazendo proezas na cozinha: pão de queijo, bolo, pães, arrumo o Refeitório, cuido dos panos de pratos, das frutas,  descasco os legumes. São belíssimas oportunidades de oferecer a Jesus almas para serem salvas. […]

[…] Mas as Irmãs sempre cuidadosas zelam pelo meu descanso e não permitem excessos. Toda minha oração é para o mundo, “sustentáculo dos membros frágeis do Corpo Místico de Deus. Discípula, missionária, samaritana. A cada momento vou descobrindo novas formas de oração, sempre muito íntimas com Jesus, pelos sacerdotes, pelas almas, pelos benfeitores,  pela Federação Sagrada Família e pela Ordem, pelos meus familiares e os familiares das Irmãs das Irmãs, pela intenções que nos são recomendadas diariamente. Hoje procuro assemelhar minha vida a este poema que encontrei: Um dia, o sol ao se por atrás dos montes disse: vou embora, porém, quem me substituirá? E uma humilde lamparina respondeu: farei o melhor que puder. Eu me identifico com esta lamparina. E me pergunto: Qual foi o plano de Deus quando me criou? E como eu vivo este plano? Peço orações para ser fiel até o fim e cumprir a missão que Ele em Seu infinito amor me designou”

R.I.P.

Irmã Miriã Gabriela da Santa Cruz, OSC

Fonte: Arquivos – Mosteiro Monte Alverne (Uberlândia/MG)

Visitador Geral dá início à Visita Canônica em vista do Capítulo Custodial 2021

No início de novembro do ano passado (2020), a Fraternidade Custodial recebeu a notícia do Definitório Geral de nossa Ordem, comunicando a nomeação de Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM da Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora (MT e MS) como Visitador Geral para o Capítulo Custodial que acontecerá em novembro deste ano. Frei Wanderley dá início hoje (25) à Visita Canônica, na Fraternidade Nossa Sra. de Fátima de Uberaba/MG.


Visitador Geral: O que é?

O visitador é chamado de “Visitador Geral” por ser um representante/delegado diretamente do Ministro Geral, bem como, por realizar a visita em nome da Ordem dos Frades Menores (OFM). É o Definitório Geral da Ordem que elege o mesmo, com o serviço de visitar a todos os frades de uma Custódia ou Província. (Cf. CCGG, Art. 213)

Durante estas visitas, o Visitador Geral deve admoestar, confortar e se preciso for, corrigir na humildade e caridade os irmãos. Tem a missão de conhecer as condições e todas as iniciativas dos confrades, das fraternidades e Custódia, pois estará olhando com um olhar de fora da realidade; facilitando a ajuda no que for necessário para os encaminhamentos futuros da entidade. (Cf. CCGG, Art. 213)

Após todas as visitas, o Visitador Geral deve realizar um relatório abordando a realidade, levando em consideração a vida franciscana (vida de oração, vida fraterna, minoridade, formação, trabalho, evangelização, economia, dentre outros), a ser enviado para o Ministro Geral e para o Capítulo Custodial.


Conhecendo um pouco do Visitador Geral

Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM, filho de Bento Evangelista de Figueiredo e de Justina Gomes de Figueiredo (In Memorian), nasceu no dia 5 de maio de 1967 em Rosário Oeste/MT. Entrou para a Ordem dos Frades Menores na Custódia Franciscana das Sete Alegrias de Nossa Senhora (MT e MS) e fez o seu noviciado no ano de 1987 em Campo Grande/MS. Professou Solene no dia 14 de agosto de 1993 e Ordenou Diácono em 17 de maio de 1997 em Campo Grande/MS. Foi Ordenado Sacerdote no dia 19 de março de 1998 em sua cidade natal. É licenciado em Filosofia, Teologia e Psicologia; possui mestrado em Teologia com especialização em Espiritualidade Franciscana. Tem especialização em Bioética e Pastoral da Saúde, bem como, especialização em Gestalt-Terapia. Já foi Visitador Geral da Província Franciscana de Santa Cruz (MG) em 2011/2012 e 2015. Atualmente reside na Fraternidade Franciscana Santa Isabel da Hungria em Campo Grande/MS.


Cronograma da Visita Canônica

  • 25 a 28 de Fevereiro: Uberaba/MG
  • 01 a 05 de Março: Uberlândia/MG
  • 06 a 09 de Março: Araguari/MG
  • 10 a 12 de Março: Catalão/GO
  • 15 a 18 de Março: Garça/SP
  • 19 a 23 de Março: Marília/SP
  • 08 a 11 de Abril: Bebedouro/SP
  • 12 a 16 de Abril: Ribeirão Preto/SP
  • 17 a 21 de Abril: Olímpia/SP
  • 22 a 25 de Abril: Franca/SP (Cúria)
  • 25 a 30 de Abril: Franca/SP (Convento Santa Maria dos Anjos)


A Fraternidade Custodial acolhe com muito carinho o Visitador Geral, Frei Wanderley Figueiredo, OFM e deseja a ele votos de um profícuo serviço em prol da Ordem dos Frades Menores e de nossa Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus. Que o Seráfico Pai São Francisco o abençoe e que nossa mãe Maria, Rainha da Ordem interceda por ele durante este árduo trabalho!

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação

Vigário Custodial e conselheiro são eleitos na última reunião do Conselho Custodial

GOVERNO CUSTODIAL | Da esquerda para a direita: Frei Sérgio, Frei Edson, Frei Fernando, Frei Roberto, Frei Israel e Frei Valdemir (Miro).

Nesta terça-feira (23), aconteceu na Fraternidade Nossa Sra. de Fátima de Marília/SP a reunião do Conselho Custodial, contando com a presença do Visitador Geral, Frei Wanderley Gomes de Figueiredo, OFM.

A pauta inicial foi a carta de renúncia da função de Vigário Custodial, apresentada ao Visitador Geral pelo Frei Ezimar Alves Pereira, alegando motivos pessoais e a incompatibilidade de muitos compromissos. Depois de ponderações e respeito à decisão do confrade, o pedido foi aceito pelo Visitador, pelo Custódio e seu Conselho. No ensejo, Frei Ezimar foi muito agradecido pelo seu trabalho e dedicação como vigário, recebendo de todos os presentes uma saudação.

Na sequência da reunião, após consultado os EEPP e as CCGG da Ordem dos Frades Menores, foi realizada a eleição de um novo Vigário Custodial. Foi eleito Frei Roberto Luiz dos Santos, OFM, que atualmente reside na Fraternidade de Marília/SP e era Conselheiro até então.

Uma vez assumindo o serviço de vigário, o Conselho precisou eleger um novo conselheiro, sendo eleito o Frei Edson Pereira Lopes, OFM, membro da Fraternidade de Garça/SP. Assim ficou composto o governo Custodial até o próximo Capítulo em novembro próximo:

Custódio: Frei Fernando Aparecidos dos Santos, OFM

Vigário Custodial: Frei Roberto Luiz dos Santos, OFM

Conselheiros:

Frei Edson Pereiro Lopes, OFM

Frei Israel Costa Cardoso, OFM

Frei Sérgio Ferreira Cintra, OFM

Frei Valdemir Nelo Rufino, OFM


 

Uma breve biografia dos novos membros do Conselho Custodial

Frei Roberto Luiz dos Santos, OFM, nascido no dia 10 de maio de 1978 é natural de Pirapozinho/SP. Entrou para a Ordem dos Frades Menores e foi vestido com o habito franciscano no dia 06 de outubro de 2005. Professou os primeiros votos no dia 06 de outubro de 2006 em Catalão/GO. Professou Solene no dia 06 de setembro de 2010 e Ordenou Diácono em 27 de maio de 2011 em Marília/SP. Foi Ordenado Sacerdote no dia 09 de dezembro de 2011 em sua cidade natal.

Frei Edson Pereira Lopes, OFM, nascido no dia 18 de setembro de 1973 é natural de Barretos/SP. Entrou para a Ordem dos Frades Menores e foi vestido com o habito franciscano no dia 15 de janeiro de 1994. Professou os primeiros votos no dia 15 de janeiro de 1995 em Rodeio/SC. Professou Solene no dia 11 de agosto de 2000, Ordenou Diácono em 01 de junho de 2001 e foi Ordenado Sacerdote no dia 08 de fevereiro de 2002 em Olímpia/SP.

A Fraternidade Custodial agradece aos trabalhos desempenhados pelo nosso confrade Frei Ezimar Alves Pereira, OFM e pedimos a Deus que ajude aos novos frades eleitos, a bem desempenharem os serviços em prol de nossa fraternidade, a eles confiados.

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação

Presidente da CRB é nomeada Consultora da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica

O papa Francisco nomeou, no dia 19 de janeiro de 2021, Consultora da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e das Sociedades de Vida Apostólica, por cinco anos, Irmã Maria Inês Vieira Ribeiro, mad, presidente da CRB Nacional.

A notificação foi feita pelo Secretário de Estado, Cardeal Pedro Parolin.

Fonte: CRB Nacional

Patronato São Francisco de Assis comemorou os 65 anos de evangelização em Garça/SP

Em comemoração ao jubileu de 65 anos de fundação do Patronato São Francisco de Assis de Garça/SP, foi realizado uma celebração junto a todos os professores, funcionários e diretoria, na quadra poliesportiva da instituição na última sexta-feira (19/02), em que foi lembrado todo o empenho e dedicação de cada pessoa que por ali passou e ajudou na construção desta grande obra. 

Na oportunidade, Frei João Paulo Gabriel, que presidia a celebração, motivou os participantes a ofertarem ao altar do Senhor, os materiais que possibilitavam a execução dos trabalhos com as crianças inscritas. 

A celebração foi marcada de muita emoção e simbolismo, onde o olhar sincero e atencioso de cada professor revelava uma esperança de retorno profícuo do Patronato quanto às suas atividades junto a sociedade civil.

No sábado (20/02) e domingo (21/02), foi realizada uma homenagem ao Patronato junto à Paróquia Santuário Nossa Senhora de Lourdes, em que foi lido o histórico da instituição, pelo diretor presidente Ricardo Alexandre Conessa e o diretor pedagógico Gabriel de O. Tomaz, fazendo memória aos anos mais significativos do Patronato, desde o ano de sua fundação, em 1956, por Frei Aurélio di Falco, passando pela instalação de um grupo escolar, em parceria com a prefeitura, em 1970; a inauguração do Berçário “Gotas de Orvalho”, em 1990, até chegar nos tempos atuais em que a instituição franciscana conta com a participação de 165 educandos e 116 famílias inscritas. 

Contando com a colaboração de cada paroquiano que por ali já passou e deixou sua parcela de ajuda, foi cantado os parabéns ao Patronato, como também o seu nome foi ovacionado por todos os presentes.

Fica o muito obrigado a todos que se empenham e acreditam nesse projeto socioeducativo e que as bênçãos de Deus recaiam sobre todos.

PAZ e BEM!

Frei João Paulo Gabriel, OFM

Frei João Paulo Gabriel, OFM e a nova diretoria do Patronato São Francisco de Assis de Garça/SP, são acolhidos durante os festejos dos 65 anos da instituição

A Paróquia Nossa Senhora de Lourdes e o Patronato Juvenil de Garça passam a contar com os trabalhos de um novo religioso. Natural de Teresina, no Piauí, frei João Paulo Gabriel Mendes, ingressou na vida religiosa em 2009, em Bacabal, no Maranhão, fazendo o noviciado em Teresina.

Depois de quatro anos afastado da religião, voltou ao seio franciscano em Franca, no interior paulista, sendo que também atuou em Goiás, depois em Marília e posteriormente na capital paulista, onde atuou junto a pessoas em situação de rua. Lá atuou em projetos como reciclagem de lixo e apoio a pessoas mais vulneráveis socialmente.

Desde o último dia 05 de fevereiro, seu desafio é atuar junto à comunidade garcense, em busca de dar uma continuidade no seu trabalho social, sendo que isso também passa pelo Patronato, entidade que é uma referência no atendimento de crianças e pré-adolescentes há 65 anos.

Como presidente de honra da instituição, o novo frei ressalta que sua caminhada é buscar dar os passos conforme São Francisco e tentar ajudar os mais pobres, aqueles que sofrem no seu cotidiano e que se mostram ainda mais vulneráveis num cenário complexo como o atual, com o aumento da pobreza e com os efeitos causados pela pandemia. Ele sustenta que busca levar um pouco de esperança para quem acha que já não tem mais.

Frei João Paulo Gabriel, OFM (Presidente de Honra do Patronato São Francisco de Assis – Garça/SP)

“A minha proposta, como religioso franciscano, é sempre trabalhar nesses projetos sociais. É onde me encontrei como vocacionado, como franciscano e toda a minha caminhada, em 12 anos de vida religiosa, ela vai me carregando nesse lado assistencialista, social. Primeiramente tentamos matar a fome e depois buscamos saber qual a fonte dessa fome”, diz o religioso.

Essa chegada à Garça e ao Patronato, na visão do religioso, foi um pouco diferente, já que não foi possível inicialmente ter um contato com o povo, com os fiéis, sendo que apenas com os funcionários e com a diretoria ocorreu essa aproximação, devido ao cenário criado pela pandemia. Aos poucos, a proposta que ele leva consigo, de enxergar o outro como irmão, já está presente naquelas pessoas que fazem parte da instituição.

“Queremos encontrar o olhar de Jesus Cristo nessas pessoas que chegam até aqui, independentemente que seja uma criança que vem de uma família de dependentes químicos, se vem de alcoólatras, enfim, de onde venham, são vistas como crianças, são respeitadas no seu modo de ver o mundo e sempre são apresentados a elas, pelo que estou percebendo no comportamento das professoras, esses valores. Não vou dizer que sejam franciscanos, já que seria muito egocentrismo, mas valores de cidadão de mundo, sinto muito isso nas conversas com os funcionários e professores”, aponta.

O frei sustenta que a entidade tem 65 anos e conta uma longa história de dificuldades e de muitas alegrias também e que espera que essas alegrias continuem a vir para que o trabalho seja continuado. Ele observa que o espaço do Patronato é encantador, com muitos recursos pedagógicos e com características que seriam comum apenas a instituições privadas e que a entidade consegue oferecer em uma área periférica da cidade de Garça. “Espero que as crianças se sintam em casa nesse espaço”, observou.

Frei João Paulo lembra que na capital paulista trabalhou com a movimentação de voluntários em tendas franciscanas, com pessoas de diferentes crenças em busca de uma ação de solidariedade.

“Talvez seria possível trazer aqui. É uma ponte de voluntariado, pessoas que enxergam o mundo com os olhos de São Paulo capital para poder enxergar um pouco o mundo com os olhos de São Paulo interior. São dois mundos diferentes. E fazer também com que pessoas do interior possam enxergar esse mundo”, afirma o religioso.

“Penso muito nesse vínculo com voluntários, já que, se nós não tivermos esse vinculo grande com a sociedade civil, a gente não consegue dar um passo. A ordem franciscana tem 800 anos de história e pode ser consolidada como instituição, mas sem o povo a gente não consegue ser nada”, conclui.

“O que recebemos em troca não tem preço”

Além do novo frei, o Patronato passa também a contar com um novo diretor. Na verdade, trata-se do retorno de um dirigente, que esteve à frente da entidade entre 2011 e 2013. Trata-se do advogado Ricardo Alexandre Valsechi Conessa, que também já fez parte de outras diretorias e conselhos da instituição.

Ricardo Conessa (Presidente do Patronato São Francisco de Assis – Garça/SP)

Para ele, a ação voluntária para tocar o Patronato é algo de significativa responsabilidade, no entanto, quem atua nesse segmento recebe mais do que doa. “Isso é uma coisa que eu aprendi quando tinha 35 para 36 anos e encarei o desafio na época e me surpreendeu. Eu tenho uma gratidão tão grande pelo Patronato que acho que não fui eu que doei nada, foi eu que recebi. Assim, quando fui novamente convidado, não pensei duas vezes. Tenho um amor por aqui e penso que estou retribuindo por aquilo que já ganhei”, declarou Ricardo, visivelmente emocionado, que expressou em lágrimas sua relação com a entidade. “O que recebemos em troca não tem preço”.

Para o diretor, um desafio para quem atua no Patronato é quebrar um ciclo, oferecendo um espaço para que as crianças possam ter uma estrutura boa, um ensino diferenciado e que as famílias também sejam envolvidas.

“Na primeira vez, tivemos um jornada pesada. Logo no primeiro mês que assumi, tínhamos um caixa para o pagamento de apenas um mês, não tinha dinheiro na instituição, não tinha estatuto, não tinha regras. Estava bem complicado. E graças a Deus, com o frei Vagner, com a diretoria e, principalmente, com os funcionários, fizemos várias reuniões e desenvolvemos uma terapia do abraço, para indicar que os funcionários faziam parte de um projeto maior, de transformar vidas”, sustenta.

Essa iniciativa logo passou a dar resultados, o Patronato passou a contar com melhores resultados e o projeto de mudar vidas passou a ser uma realidade, que é verificada hoje até mesmo pelas redes sociais, com muitos ex-atendidos relatando sua vida e as mudanças que foram processadas após a passagem pela instituição.

Em sua primeira gestão à frente da entidade, com apoio incondicional do frei Vagner, Conessa buscou implantar algumas mudanças na estrutura do Patronato, como a criação de uma brinquedoteca, uma modificação organizacional, um investimento em reformas, em pinturas (deixando o espaço mais alegre e confortável para as crianças), entre outras melhorias.

Agora, ao retomar a direção, Conessa destaca que várias ações foram deixadas pelas diretorias anteriores e que vão garantindo uma estrutura ainda mais forte ao Patronato. Dentre essas melhorias estão a reforma de banheiro, da cozinha e da quadra esportiva, o projeto de energia solar, a captação de água pluvial, sendo que também há a expectativa da retomada do projeto da horta desse espaço.

O diretor agradece a toda a comunidade pela continuidade das doações à instituição, mesmo diante do caos gerado pela pandemia do coronavírus. Por sua vez, a recepção dos alunos tem sido um problema complexo, já que há diversas diretrizes a serem cumpridas e há a expectativa de que, no próximo dia 01 de março, as crianças voltem a ser atendidas no Patronato, que já se adiantou e passou a oferecer toda a infraestrutura relacionada aos cuidados com os alunos, como o uso de máscara, higienização, uso de álcool em gel, determinação de distanciamento, entre outros procedimentos.

O novo diretor lembrou, ainda, que o novo grupo eleito para administrar o Patronato teve uma renovação interessante em sua composição, com novas pessoas também se dispondo a atuar junto à entidade, trazendo novas ideias e opiniões.

“Foi uma renovação muito boa, de novas pessoas vindo. Temos algumas ideias a ser debatidas, mas que dependem ainda das circunstâncias, como aulas de música, de educação física, como artes marciais, mas como é contato ainda precisamos aguardar”, indica.

O Patronato de Garça atende hoje 165 crianças e pré-adolescentes, numa estrutura das mais consideráveis e com uma equipe de mais de 25 pessoas, entre professores, assistentes sociais, psicólogos, coordenadores, entre outros.

Fonte: Garça em Foco