Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP realizou edição online do “Leilão de Gado” em prol da casa de formação

Frei Eduardo Schiehl, OFM, guardião do Convento Santa Maria dos Anjos de Franca/SP realizando a abertura oficial do “Leilão de Gado – 2021″(online)

Aconteceu neste último domingo (18), em clima festivo, mais um tradicional “Leilão de Gado” em prol do Convento Franciscano Santa Maria dos Anjos de Franca/SP. O evento é realizado anualmente, e este ano, realizamos de forma online, devido ao contexto pandêmico que nos encontramos. Todo valor arrecadado é revertido em prol do Convento e da formação dos nossos postulantes.

Trinta e quatro lotes de bezerros foram leiloados durante o evento. Além destes lotes, várias prendas também foram arrematadas, tais como: objetos do campo, ferramentas de trabalho, quarto de porco assado, frutas cultivadas no convento, doces, chapéus, pelúcias decorativas e latões decorativos.

O leilão de gado deste ano foi um sucesso! Diante disso, o mais importante é agradecer a generosidade e confiança dos agropecuaristas que prestigiaram o evento “online”, dos doadores, colaboradores, arrematadores, apoiadores, benfeitores e da equipe organizadora deste evento; agradecer também a todos que “por trás das câmeras” participaram e se doaram de forma incansável para a realização do mesmo.

Frei Eduardo Schiehl, OFM (Guardião) e Frei Israel Cardoso, OFM (Formador dos Postulantes) realizando os agradecimentos finais

O apoio e afeto de todos, mesmo de forma que de maneira virtual, nos deixaram muito felizes e nossa Fraternidade Franciscana fica honrada e grata por tamanho afeto para com nosso Convento, para com os frades e postulantes que aqui residem. Graças a Deus, podemos contar com a generosidade de pessoas especiais. Isso nos enaltece cada vez mais. Que Deus abençoe!

Fraternalmente,

Frei Israel Cardoso, OFM


Assista a íntegra do “Leilão de Gado”

Papa Francisco: rezar é dialogar com Deus. Não cair na soberba de desprezar a oração vocal

Bianca Fraccalvieri (Vatican News)

Enquanto a oração dominical voltou a se realizar com os fiéis na Praça São Pedro, a Audiência Geral das quartas-feiras ainda tem que esperar e hoje novamente foi realizada na Biblioteca do Palácio Apostólico.

A catequese do Papa Francisco foi dedicada ao tema da “oração vocal” e mais se pareceu com uma poesia.

“A oração é diálogo com Deus”, disse o Papa, e, num certo sentido, todas as criaturas “dialogam” com Deus. Mas no ser humano, a oração torna-se palavra, invocação, cântico, poesia… A Palavra divina fez-se carne, e na carne de cada homem a palavra volta a Deus em forma de oração.


MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO (Audiência Geral – 21/04/2021)


Nenhum de nós nasce santo

As palavras nascem dos sentimentos, afirmou ainda Francisco, mas há também o caminho inverso: em que as palavras moldam os sentimentos. É por este motivo que a Sagrada Escritura nos ensina a rezar até com palavras às vezes audazes.

Nenhum de nós nasce santo, constatou o Papa, e no coração do homem existem também sentimentos pouco edificantes, até mesmo o ódio. E quando estes sentimentos negativos batem à porta, devemos ser capazes de os desarmar com a oração e com as palavras de Deus. Sem elas, o mundo poderia ser inundando pela violência.

A primeira oração humana é sempre uma recitação vocal, embora saibamos que rezar não significa repetir palavras, no entanto a oração vocal é a mais segura e pode ser praticada sempre.

A oração é uma âncora

A oração dos lábios, sussurrada ou recitada em coro, está sempre disponível, é e tão necessária quanto o trabalho manual. Francisco citou a oração dos idosos, feita no silêncio das igrejas. “Com a oração humilde, estes orantes são frequentemente os grandes intercessores das paróquias: são os carvalhos que de ano para ano alargam os seus ramos, para oferecer sombra ao maior número de pessoas. É como uma âncora: segurar-se na oração para manter-se fiel.”

Não devemos desprezar a oração vocal, foi a exortação do Papa. “É coisa para as crianças, para as pessoas ignorantes. Eu busco a oração mental, a meditação, o vazio interior para que Deus venha…” Por favor, disse o Papa, “não cair na soberba de desprezar a oração vocal, é a oração dos simples, aquela que Jesus nos ensinou. Pai-Nosso, que estais nos céus…”.

“As palavras que pronunciamos levam-nos pela mão; às vezes restituem o sabor, despertam até o mais adormecido dos corações; estimulam sentimentos dos quais tínhamos perdido a memória. E acima de tudo, de maneira segura, são as únicas que dirigem a Deus as perguntas que Ele quer ouvir. Jesus não nos deixou na névoa. Disse-nos: «Eis como deveis rezar!». E ensinou a oração do Pai-Nosso.”

Fonte: Vatican News