Responsáveis pelo Secretariado para a Missão e Evangelização de nossa Custódia, se reúnem com as novas presenças leigas que irão compor o serviço

Na noite de ontem (27), aconteceu a primeira reunião via google meet (online) dos leigos que compõe o Secretariado para a Missão e Evangelização de nossa Custódia. São elas:

  • Giselle Papani (Olímpia/SP)
  • Luciana (Uberlândia/MG)
  • Mailla Oliveira (Ribeirão Preto/SP)
  • Tassiana (Franca/SP)

A reunião também contou com a presença do Secretário para a Missão e Evangelização, Frei Lucas Lisi Rodrigues, OFM, que moderou a reunião e de Frei Valmir Ramos, OFM, Vice-Secretário para a Missão e Evangelização, que conduziu o momento formativo.

Frei Lucas, OFM além de dar as boas-vindas, motivou os participantes a uma breve apresentação, ajudando-os a compreender melhor os trabalhos desenvolvidos em nossa Custódia, partindo da própria representatividade deles em suas missões específicas.

Na sequência, Frei Valmir, OFM explicou as instâncias e obrigações deste serviço dentro da Ordem, partindo sobretudo do protagonismo do(a) leigo(a), apresentando os trabalhos que a Custódia desenvolve atualmente, bem como toda a sua presença evangelizadora. Salientou ainda que “o leigo não é colaborador do padre, mas evangelizador”, além de encaminhar os participantes para estudo do subsídio da Ordem “O Reino de Deus está próximo”, incentivando a prática da PAZ e do BEM, e da integração entre leigos e frades, em busca de um olhar mais voltado as necessidades do nosso tempo, sendo uma igreja inserida no contexto social que vivemos.

Após algumas partilhas e perguntas, com a oração do pai-nosso, Frei Lucas Lisi, OFM encerrou a reunião, propondo as leigas mais momentos de formação e partilha, tal como da leitura do subsídio, para que posteriormente se concretize ações práticas do trabalho dos leigos em consonância com os frades a nível de Custódia.

“O desejo foi de querer servir, se entregar a este carisma tão bonito e específico na igreja, que é o carisma franciscano, pensando em meios para exercer nosso protagonismo de leigos, comprometidos com a PAZ e o BEM em nossa Custódia”, salientou Giselle Papani, paroquiana do Santuário Nossa Sra. Aparecida de Olímpia/SP, graduada em jornalismo e agora, membra do Secretariado para a Missão e Evangelização.

Fraternalmente,

Equipe de Comunicação

JMJ 2023: Custódia se prepara com as juventudes para se encontrar com o Papa em Lisboa/Portugal

O Secretariado para a Missão e Evangelização da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus, abraçando uma de suas frentes de evangelização, o setor de juventudes, em parceria com o SAV (Serviço de Animação Vocacional) que propaga o anúncio do Reino de Deus “Vinde e Vede” (Jo 1, 39), chegamos até você, querendo lhe propor algo audacioso e bem diferente… Queremos que você, junto de nossos frades, vivencie a experiência da JMJ 2023, que acontecerá em Lisboa/Portugal.


O que é?

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja. 

Como surgiu?

Há quem lhe chame a mais bela invenção de João Paulo II. Em 1984, o Papa quis organizar um encontro no Domingo de Ramos, em Roma, para celebrar o jubileu dos jovens inserido no Ano Santo da Redenção 1983-1984. Esperavam-se 60 mil peregrinos. Acorreram 250 mil de muitos países. 

A experiência foi de tal modo significativa para toda a Igreja, que o Santo Padre resolveu repeti-la no ano seguinte. Nesse encontro, 300 mil jovens repartiram-se entre as igrejas da cidade para momentos de oração e catequese, reunindo-se, depois, na praça de São Pedro para participar na celebração com o Papa. Ainda nesse ano de 1985, João Paulo II escreve uma Carta Apostólica aos jovens do mundo inteiro e anuncia, a 20 de dezembro, a instituição da Jornada Mundial da Juventude.  

Dirigindo-se ao Colégio Cardinalício e à Cúria Romana, o Papa explicava assim a criação da JMJ: «Todos os jovens devem sentir-se acompanhados pela Igreja: é por isso que toda a Igreja, em união com o Sucessor de Pedro, se sente mais comprometida, a nível mundial, a favor da juventude, das suas preocupações e pedidos, da sua abertura e esperanças, para corresponder à suas aspirações, comunicando a certeza que é Cristo, a Verdade que é Cristo, o amor que é Cristo, através de uma formação apropriada». 


Venha conhecer…

Nossa Custódia deseja oferecer aos nossos jovens, a oportunidade de, além de participarem da JMJ em Lisboa/Portugal com um grupo fraterno das juventudes da Custódia, deseja ainda realizar uma experiência de imersão na espiritualidade franciscana, visitando Assis/Itália, fazendo uma experiência de peregrinação como Pré-Jornada na terra de São Francisco de Assis, bem como em Roma/Itália. Depois, seguir para Lisboa/Portugal, onde acontecerá a JMJ.

Por isso, participe de nossa “Reunião Online” no dia 05 de julho deste ano, onde você poderá saber os detalhes e os encaminhamentos para abraçar de vez este projeto. Visite a nossa página com formulário de inscrição e venha se aventurar conosco.

PAZ e BEM!

Fraternalmente,

Frei Lucas Lisi Rodrigues, OFM (Secretário para a Missão e Evangelização)

O apelo do Ministro Geral: O chamado missionário faz parte da nossa vocação

A todos os Irmãos da Ordem

Roma, 6 de maio de 2022

“O Senhor diz: ‘Eis que vos envio como ovelhas no meio de lobos. Portanto, sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. Portanto, aqueles irmãos que por inspiração divina desejam ir entre os sarracenos e outros infiéis, deixem-nos ir com a permissão de seu ministro e servo”. (RegNB XVI, 1-3)

Caros Irmãos de toda a Ordem que o Senhor te dê a paz!

De 10 a 23 de fevereiro de 2022, fiz pessoalmente a visita canônica à Custódia dos Santíssimos Protomártires de Marrocos para conhecer diretamente esta realidade que depende do Ministro geral.

Experimentei esta oportunidade como uma verdadeira peregrinação numa terra única, durante a qual cresceram em mim as palavras da Regra não marcada há pouco, e com ela a consciência de que aqui está em jogo um ponto essencial do nosso carisma: estar com e estar entre as pessoas como transparência da Encarnação e da Paixão, do Bem que habita em cada criatura. 

Ao percorrer esta terra, trouxe comigo os irmãos de toda a Ordem, sentindo que aqui estamos jogando com algo muito vital: aderir a uma terra, um povo, uma cultura, línguas e outras visões do mundo, amando-os e buscando neles humildemente os vestígios da presença do Deus da vida. Nossas Constituições dizem: “Como seguidores de São Francisco e primeiros missionários da Ordem, os frades devem estar fortemente preocupados em ir humilde e devotamente entre os povos da religião islâmica, para os quais também não há onipotência senão Deus”.

Vivemos esta vocação em muitas partes do mundo. Marrocos é o lugar onde Francisco, Clara e António gostariam de dar um testemunho radical de Cristo, e onde os Mártires da Ordem o viveram. Agradeço a todos os frades que aceitaram a inspiração divina de vir viver com e entre este povo, como resposta ao chamado interior de dizer novamente sim à vocação de Frades menores. Com estas simples palavras, é minha intenção recordar a todos os frades da Ordem a vocação missionária que pertence de dentro à nossa vocação, que morre sem manter vivo este impulso. A necessidade de novos irmãos é muito urgente:

  • Na Custódia de Marrocos, encontra-se em anexo a apresentação específica;
  • No Sudão e no Sudão do Sul, onde se exige o conhecimento do inglês e do árabe, esperamos Irmãos para o serviço de formação e para o serviço pastoral e missionário em Cartum e Juba;
  • Na Custódia da Terra Santa há necessidade de formadores e frades que, aprendendo as línguas, possam ingressar nas diversas formas que a missão neste lugar exige hoje.
  • Na Rússia e na Líbia, precisamos de irmãos que estejam disponíveis para a missão em contextos difíceis.

Peço aos frades que sentem este chamado que o escutem na oração, que façam um discernimento pessoal e com o seu Ministro e se apresentem comigo através do Secretariado Geral para as Missões e Evangelização. Agradeço-vos mesmo que seja apenas para ouvir este chamado, coração da nossa vocação. Com a bênção de São Francisco, que nos quer irmãos e menores no mundo, saúdo-vos fraternalmente.

Fr. Massimo Fusarelli, OFM (Ministro Geral)

Fonte: OFM

Párocos e Reitores da Custódia se reuniram em momento de partilha, oração e projeção no Espírito Franciscano

“Foi-se realizado o encontro dos Párocos e Reitores da Custódia: muita partilha e projeção para uma caminhada franciscana em conjunto!” (Frei Lucas Lisi, OFM)

No último dia 10 de março aconteceu em Olímpia/SP, o encontro dos Párocos e Reitores de Santuários de nossa Custódia. O encontro contou com a participação de vários confrades deste serviço e além de ser uma oportunidade de reavaliar a vida e missão, busca formas conjuntas de evangelizar em nossas fraternidades evangelizadoras. O encontro foi vivido em três aspectos: oração, formação e confraternização.

Tivemos um momento de oração entre os confrades, uma rica partilha dos irmãos em troca de uma experiência e em busca da identidade do pároco como frade menor. Fizemos um momento significativo de encontro fraterno através de um churrasco oferecido pela fraternidade local e anfitriã do encontro.

Frei Lucas Lisi Rodrigues, OFM guardião da fraternidade que acolhe e Secretário para a Missão e Evangelização que preparou o encontro, ressalta que: “O encontro visa a integração dos confrades em sua vida e missão, partilhando das alegria e desafios do serviços assumidos em fraternidade, e fomenta ainda mais o trabalho conjunto entre todas as nossas missões ligadas sobretudo ao trabalho paroquial, buscando formas análogas de propagar o Carisma Franciscano”. Já para Frei Mauro Luiz de Oliveira, OFM, representante da frente de Paróquias e Santuários da Custódia, disse: “O encontro não teve um fim, haja visto, o desejo e o prazer dos confrades estarem reunidos entre irmãos num ambiente fraterno e agradável”.

Ao final, mesmo não estando marcado na agenda custodial, os confrades marcaram um novo encontro previsto para o segundo semestre em local e data ainda a serem combinados, no entanto, já foi um grande sinal de que ali o mesmo trouxe bons frutos de fraternidade e partilha fraterna.

Que o nosso bom Deus possa nos guiar para que assim, sintamos sua presença fortalecedora nos dando o necessário para bem trabalharmos em prol do seu Reino. São Francisco seja sempre nossa inspiração de vida evangélica.

PAZ e BEM!

Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM

Frades do Secretariado para a Missão e Evangelização se reúnem em Franca/SP

Da esquerda para a direita: Frei João Paulo Gabriel, OFM (JPIC), Frei Lucas Lisi, OFM (Secretário para a Missão e Evangelização), Frei Lucas Oliveira, OFM (Juventudes), Frei Suelton Oliveira, OFM (Comunicação) e Frei Eduardo Schiehl, OFM (SAV)

Na manhã de hoje (15), reuniu-se para a segunda reunião do Secretariado para a Missão e Evangelização do triênio 2022/2024 os frades que compõe este serviço, no Convento Santa Maria dos Anjos, na cidade de Franca/SP.

Além da partilha da Missão e Evangelização, refletiu-se toda a caminhada franciscana em nosso território custodial, representando frades de todas as frentes de evangelização. Estiveram presentes os seguintes frades: Frei Lucas Lisi Rodrigues, OFM (Secretário para a Missão e Evangelização), Frei João Paulo Gabriel Mendes de Moraes, OFM (JPIC), Frei Lucas de Oliveira Santos, OFM (Juventudes), Frei Mauro Luiz de Oliveira, OFM (Paróquias e Santuários), Frei Suelton Costa de Oliveira, OFM (Comunicação) e Frei Eduardo Augusto Schiehl (SAV).

O encontro visa a integração dos serviços, uma vez que este é um serviço de articulação entre as frentes existentes. Foi realizada uma partilha dos trabalhos e uma preparação dos compromissos que serão assumidos e conduzidos pela equipe no primeiro semestre, além de fomentar novas atividade e propor uma linha de caminhada fraterna e integrada, buscando coesão em todas as atividades que serão desenvolvidas.

O Secretariado apresentou e definiu, após longa reflexão, o tema que norteará nossas atividades nos mais variados serviços: “Somos todos irmãos: escutar, discernir e agir!”. Após grande partilha das atividades, avaliação do serviços e planejamento do ano, os frades, que unidos com mais 4 leigos que integram a equipe, serão inseridos na missão, fazendo germinar a semente da evangelização franciscana em todo nosso território custodial.

Que Deus em sua infinita bondade e Maria a mãe dos frades menores, interceda pelos frades em seus mais variados serviços; e ajude este secretariado a se manter unido em busca da Missão e Evangelização de nossa Custódia e Ordem.

Secretariado para a Missão e Evangelização

2º Episódio da série realizada pela Fraternidade Missionária de Capaccio/Itália sobre a história do Convento Santo Antônio

Irmãos e irmãs, preparamos uma série de vídeos sobre o Convento Franciscano de Capaccio/Itália dedicado a Santo Antônio de Pádua.

Por isso, convidamos um amigo especial, o professor Caetano Puca, que publicou em 2002 o seu livro “Capaccio e seu Convento Franciscano”.

Acompanhe essa linda série!

Fraternidade – Capaccio/Itália


VÍDEO | 02 – ABERTURA e INTRODUÇÃO

Fraternidade Missionária de Capaccio/Itália realiza série especial sobre a história do Convento Santo Antônio

Convento Franciscano Santo Antônio – Capaccio/Itália

Irmãos e irmãs, preparamos uma série de vídeos sobre o Convento Franciscano de Capaccio/Itália dedicado a Santo Antônio de Pádua.

Por isso, convidamos um amigo especial, o professor Caetano Puca, que publicou em 2002 o seu livro “Capaccio e seu Convento Franciscano”.

Acompanhe essa linda série!

Fraternidade – Capaccio/Itália


VÍDEO | 01 – APRESENTAÇÃO


 
Conheça um pouco sobre a história do “Convento Franciscanos Santo Antônio” de Capaccio/Itália
 

O convento foi construído pelos frades carmelitas em 1500 e utilizado por eles até 1652. Quase destruído pelo terramoto de 1682, foi reconstruído e confiado aos frades franciscanos em 1723. Em 1866, já sem os frades, a sua estrutura foi utilizada como casa municipal, prisão e escritório judicial. Foi reaberto e entregue aos frades franciscanos em 1934, permanecendo com os mesmos até o ano de 1999.

Foto antiga do Convento Santo Antônio – Capaccio/Itália

Após um período de 18 anos (2000-2018) em que não houve presença permanente dos frades como residentes, devido à diminuição de vocações, a estrutura do convento foi confiada e administrada de forma excelente pelos irmãos e irmãs da “Ordem Terceira Franciscana” de Capaccio (OFS). Eles garantiram a funcionalidade da igreja e do Convento. Durante este período, de modo particular, a celebração dominical da liturgia foi sempre garantida, graças aos frades da Província Franciscana Salernitana-Lucana e os párocos de Capaccio.

A parte do convento com as antigas celas dos frades, após adequada reestruturação, era utilizada como casa de acolhida para turistas e de grupos para retiros espirituais. No claustro do convento, durante o verão, realizam-se eventos culturais e exposições de fotografia, pintura e escultura. O claustro é sustentado por colunas de pedras locais e decorado com afrescos que narram episódios da vida de São Francisco e Santo Antônio. A igreja também é adornada com afrescos e telas. As pinturas do claustro, da igreja e “A Última Ceia”, no salão inferior, são do pintor do século XVIII, Giuseppe Rubini. Na igreja existe um antigo órgão de tubos com dois teclados e com um som precioso que, graças a comunidade capacessa e franciscana, sempre manteram a manutenção do precioso instrumento. Destacamos que, ilustres organistas atuaram e atuam nos concertos que são organizados durante os anos.

No dia 17 de setembro de 2019, o conventual foi confiado aos frades misionários da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus, entidade brasileira pertecente a Ordem dos Frades Menores. Confiados a assistência do povo de Capaccio e sua família franciscana, ao povo de Monteforte e também com um particular trabalho colaborativo e direto voltado aos irmãos e irmãs migrantes que se encontram na região.


Resumo Cronológico

  • 1652 – Os conventos dos agostinianos e carmelitas são suprimidos em Capaccio. Tendo abandonado o convento carmelita, resta apenas a igreja, que depois é demolida. No mesmo local começou a ser construída uma nova igreja para ser dedicada a São Vitto.
  • 1717 – O município (universistas) de Capaccio decide fundar um convento, com o consentimento do Bispo, Monsenhor Carlo Francesco Giocoli, que acena como positivo para a comunidade de 1200 habitantes.
  • 1719 – Realiza-se um encontro entre o clero secular da paróquia São Pedro e os frades franciscanos para estabelecer normas e acordos, pois todos os direitos do extinto convento carmelita pertencia, até então, a Paróquia São Pedro.
  • 1743 – São inaugurados as construções do convento franciscano e a sua igreja, contando com a participação do novo bispo de Capaccio, Dom Pietro Antonio Raimondi. Registro desse fato está conforme consta na placa localizada à esquerda do altar-mor da atual igreja.
  • 1749 – A estrutura está concluída. A data é gravada no poço central do claustro “1749”. Colaboraram com a construção: o município que construiu o altar dedicado a São Francisco. Além do município, particulares que também ajudaram na construção, desenvolvimento e manutenção do convento. A família Tanza que ofereceu um terreno próximo ao antigo mosteiro carmelita para a construção do convento, igreja e jardim/claustro dos frades. A família Arcione que construiu a capela de São José. A família Maida construiu a capela dedicada a Santo Antônio. A família Fierro construiu a capela de São Pascoal Bailão. (Outras famílias nobres e distintas da cidade como Angeli, Cannicchio, Elisei, Laudisi, Nápoles, Vignali, Zappulli, Pasca, Vita, Sapere, Trentinaro, Pisacane, Maria, Carducci, Forlani, Bamonde, Longobardo, Salati, Bellelli, De Paoli ajudaram muito na construção, desenvolvimento e manutenção do convento. No final do século XVIII, o convento franciscano se tornou e continua a ser um marco para a cidade.)
  •  1823 – No convento de Cappacio habitava 4 frades sacerdotes e 4 frades leigos. No século XIX, o convento tornou-se uma referência social, espiritual e cultural.
  • 1848 – O convento torna-se um importante marco da cidade, os Capaccesi aguardavam a chegada de Costabile Carducci (capaccesi que se tornou um famoso político da época que governava a região) na praça em frente ao convento.
  • 1866 – Após a unificação da Itália, com uma nova lei de supressão, os frades do convento de Montecorvino são transferidos para o convento de Capaccio.
  • 1902 – O convento de Cappaccio se despede dos Frades.

Da saída dos frades até o ano de 1933, a estrutura do convento era utilizada pelo município como sede municipal, como posto policial, como jardim de infância e como tribunal distrital e prisões.

Claustro do Convento Santo Antônio – Capaccio/Itália
  • 1933 – Os Frades Franciscanos voltam a Capaccio após o envolvimento do notário De Maria. O convento tornou-se um centro de formação, vida e cultura por várias gerações. Os cidadãos de Capaccio voltam a demonstrar afeto para com os Frades franciscanos, oferecendo-lhes comida e a possibilidade de manter o convento.
  • 1999 – Os Frades Franciscanos Menores, por falta de vocações, deixam novamente o convento. Desta vez, os Frades da Imaculada Conceição tomam lugar e ali permanecem por um ano.
  • 2000 – Agora o convento é administrado pela OFS (Ordem Franciscana Secular), cujo assistente é Frei Fulvio Sabia, e a igreja do convento é dirigida por Frei Innocenzo Sigillino. Além de Frei Fulvio, os padres de origem de Capaccio, Frei Ângelo Fasano e Frei Severo Carola, colaboram para manter viva a espiritualidade franciscana. A igreja é administrada pela ordem franciscana secular e o convento é usado como casa de hospitalidade.
  • 2018 – O convento retoma a presença dos frades franciscanos, desta vez, missionários do Brasil pertencentes à Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus (nos estados de São Paulo e Minas Gerais).

Fonte bibliográfica:

Gaetano Puca, “Capaccio e seu Convento franciscano”, Roccadaspide, 2002. Grafica Letizia.